Depois do acesso à elite da Suburbana, a missão é o título


Na tarde do próximo sábado (4), as equipes de Santíssima Trindade e Fortaleza realizam o primeiro embate da final da Divisão de Acesso do futebol amador de Curitiba de 2017, no Estádio Parque Linear. O objetivo principal da temporada já foi conquistado, agora a missão de ambos os clubes é levantar o caneco para presentear o bom ano.

#NÚMEROS
Por @rafaelbuiar

O ano de 2016 para Fortaleza e Santíssima Trindade não foi os dos melhores, pois ambas as equipes foram eliminadas antes de chegarem à finalíssima do campeonato. A equipe do bairro do Cajuru chegou até a fase de quartas de final e foi eliminada pelo escrete do Palmeirinha, que no placar agregado venceu por 4 a 3. No caso do time do bairro do Jardim Gabineto, a eliminação foi mais dolorida porque foi diante o rival e na fase semifinal da competição. Ou seja, em 2017 as duas equipes estavam mais cascuda para concretizar e realizar com sucesso o objetivo da temporada, o acesso.


SANTÍSSIMA TRINDADE - No início do certame venceu os primeiros jogos – União Ahú e Bairro Alto. Mas depois ficou dois jogos sem vencer, já que perdeu para Vasco e Tanguá. Coincidentemente, as primeiras derrotas da equipe do bairro do Cajuru aconteceram quando o camisa 10 da equipe, Rodolfo, faleceu. Mas nos dois jogos seguintes, a vitória voltou e a equipe do Santíssima Trindade venceu Nacional e o Grêmio Ipiranga. Triunfos que praticamente concretizaram a vaga na próxima fase, mesmo com o empate na última rodada com o Renovicente, em 4 a 4.

Na fase seguinte, a equipe do bairro do Cajuru passou pelos tradicionais times do Vila Hauer e Bangú. Ambos favoritos para o acesso, desde o início da competição. A fase de quartas de final, a equipe do Santíssima venceu por 4 a 2 no Parque Linear e perdeu no Donato Gulin por 2 a 1. O mesmo aconteceu na fase seguinte, já que em casa venceu o escrete do Bangú por 1 a 0 e fora perdeu de 2 a 1. Neste caso, a vaga do acesso foi decidida nas penalidades. Vitória por 4 a 2 a favor do time do bairro do Cajuru. No geral, a equipe soma a quarta melhor campanha e devido a isso, irá decidir se leva o caneco fora de casa.


FORTALEZA - No início do certame era uma incógnita, pois perdeu vários jogadores do ano passado e por isso, teve que “reconstruir” novamente como a maioria dos clubes do futebol amador de Curitiba. Mas as escolhas foram determinantes e os números mostram isso, já que em onze embates a equipe do Fortaleza ainda não sabe o que é derrota em 2017.

No primeiro embate do certame, a equipe do Forta venceu o São Braz e na sequência empatou com o Caxias e Bangú. Empates que deram gás para a equipe do Gabineto vencer os próximos embates – Vila Hauer, Shabureya, Olímpico e na última rodada da primeira fase o Urano. Classificada antes da última rodada, a equipe do Fortaleza enfrentou na fase seguinte o escrete do Grêmio Ipiranga, que conseguiu a classificação na última rodada, mesmo com a derrota diante o Nacional.

Mesmo assim, o confronto com o Grêmio Ipiranga não foi parada fácil, já que os dois embates terminou empatado e por isso, a decisão foi para às penalidades. Neste momento foi que a estrela do arqueiro Valderson, com duas defesas. Na sequência, fortalecido com vitória nas penalidades, o time do Fortaleza enfrentou Caxias e venceu os dois empates, que no agregado ficou em 7 a 2. Números que retratam 75% de aproveitamento no certame.


JUVENIL – O embate entre Urano e Nacional foi adiado devido o problema de escalação irregular e ainda segue sem data prevista para primeiro embate da final.


  __________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO