Coritiba pressiona a Ponte Preta, mas fica só no empate

Henrique Almeida bastante acionado no primeiro tempo, mas sem sucesso no segundo tempo foi substituído na segunda etapa. (Foto: Site oficial do Coritiba)

Coritiba e Ponte Preta jogaram na noite deste domingo (12) no Estádio Major Antonio Couto Pereira, em confronto válido pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2017. Em um jogo com maior posse de bola, a equipe do Coritiba sofreu o primeiro gol. Porém, a reposta foi imediata, mas não o suficiente para a virada. Mesmo com o empate, o Coritiba manteve seis jogos sem perder no certame.


#SÉRIE A
Por @rafaelbuiar

PRÉ-JOGO: A equipe da Ponta Preta, que perdeu na rodada anterior para o Grêmio, chegou em Curitiba com desfalque de Fernando Bob e do atacante Sheike, os principais jogadores da equipe da cidade Campinas. Diferente do Coritiba, que apresentou evolução nos resultados e não perde a quase um mês no certame, foi à campo mais leve e sem a pressão dos últimos jogos. A expectiva poderá definir qual caminho as duas equipes irão percorrer nos últimos quatro jogos do Brasileirão de 2017.

PRIMEIRO TEMPO: A equipe do Alto da Glória iniciou o embate com mais volume de jogo e já com menos de 4’, o arqueiro Wilson já tentou repor em jogadas de contra-ataque pelas pontas. Após as investidas da equipe da cidade de Campinas, principalmente com Léo Gamalho. Aos 6’, em ótima trama de Rildo com Carletto, dentro da área. Mas o camisa 88 do Coritiba foi desarmado no momento da conclusão. Coritiba pressionou nos primeiros minutos. Minutos depois, com jogada de Henrique Almeida, que recebeu de Léo no meio de campo. O camisa 91 chegou até a ponta da área e chutou cruzado, Rildo até tentou empurrar a bola para o fundo da rede, mas chegou atrasado.

Próximo dos 15’, o rendimento da equipe do Coritiba diminuiu, pois a equipe do Ponte Preta teve momentos de bola parada perto da área. Foram dois laterais e dois escanteios, mas sem sucesso. Lances que motivaram a equipe de Campinas, que a partir disso passou a ficar com mais posse de bola no setor de meio de campo. Porém, o sistema defensivo do escrete alviverde efetuou bem o serviço.

Com 30’, o embate passou a ficar mais preso no sistema de meio de campo e com ataques esporádicos de ambas as equipes. No lado da macaca, Léo Gamalho ganhou de presente a bola, após erro de passe no meio de campo, e desceu em profundidade e quase marcou. No escrete alviverde, Henrique Almeida arrematou de fora da área e Aranha defendeu com tranquilidade. Nos minutos finais da etapa inicial, o jogo ficou faltoso e o árbitro Elmo tirou o cartão amarelo do bolso duas vezes, um para cada lado. Ou seja, o futebol de ambas as equipes na reta final não apareceu, já que a forte marcação foi o forte neste período do embate.

SEGUNDO TEMPO: No retorno para a etapa complementar, o treinador Marcelo Oliveira colocou o atacante Kleber, o gladiador, no lugar de Jonas, que levou o cartão amarelo no primeiro tempo. Diferente da Ponte Preta, que retornou com o mesmo escrete que terminou a primeira etapa. Não deu outra, o time alviverde voltou mais ativo no sistema ofensivo e as jogadas de ataques já procuraram o camisa 83 do Coritiba, Kleber. Com mais de 10’, a equipe do Coritiba passou a ter mais frequência no campo de ataque da Ponte Preta, mas ansioso não conseguiu inaugurar o placar neste período. Devido a isso, o espaço para o contra-ataque ficou aberto e a Ponte Preta também chegou algumas vezes a meta do arqueiro Wilson. Ao passar do embate, o técnico Marcelo Oliveira sacou Henrique Almeida e colocou Daniel no seu lugar. Alterando novamente o sistema de jogo da equipe alviverde. 

Mas quem assustou com perigo de gol foi a equipe da macaca, que após cobrança de escanteio, Léo Gamalho sozinho perdeu a oportunidade de abrir o placar. Na sequência, novamente em cobrança de escanteio, Léo Gamalho antecipou do zagueiro e abriu placar aos 19’. Mas a comemoração do time de campinas não durou por muito tempo, pois aos 20’ Yan Sasse aproveitou o bate rebate, após passe de Daniel, e pegou o arqueiro Aranha de surpresa e empatou o confronto.

A resposta após o gol de empate foi imediata, pois a equipe do Coritiba passou a frequentar mais o campo de ataque.  Kleber, Daniel e Carletto os mais acionados. Percebendo isso, o técnico da Ponte mudou o seu escrete. Colocou mais uma atacante, Saraiva, no lugar do camisa 10 da macaca, Léo Arthur. Mas o escrete alviverde ficou inspirado depois do gol de empate, junto com a sua torcida, que passou a empurrar mais. Aos 31’, em roubada iniciada por Daniel, Thiago Real cruzou para Kleber que pegou de voleio e quase virou o confronto. Aos 33’, a equipe da Ponte quase surpreendeu o time da casa, que errou na saída da bola e Lucca quase desempatou.

Nos minutos finais da etapa complementar, o escrete do Coritiba passou alguns sustos, principalmente, em jogadas de bolas lançadas na área, que sempre perdeu a segunda bola. Mas a partir dos 40’, a equipe do Coritiba, com mais posse de bossa, passou a ficar só no campo de ataque. Porém, cedeu espaço para os contra-ataque. Mas nada mudou o cenário do placar no Couto Pereira, pois o jogo persistiu em 1 a 1 até o apito final de Elmo.

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

CORITIBA: Wilson; Léo, Werley, Cléber Reis e Thiago Carleto; Jonas (Kleber), Alan Santos, Tiago Real e Yan Sasse (Getterson); Rildo e Henrique Almeida (Daniel). Técnico: Marcelo Oliveira.

PONTE PRETA: Aranha; Nino Paraíba, Yago, Rodrigo e Jeferson; Naldo (Wendel), Elton, Danilo e Leo Arthur (Saraiva); Lucca (Claudinho) e Léo Gamalho. Técnico: Eduardo Bapstista.

FICHA TÉCNICA – CORITIBA X PONTE PRETA XXXXXXXXXXX   

ÁRBITRO: Elmo Alves Resende Cunha;
ASSISTENTES: Fabricio Vilarinho e Cristhian Sorence;
CARTÃO AMARELO: Jonas, Rildo (Coritiba) e Naldo (Ponte Preta)
CARTÃO VERMELHO:

GOLS: Léo Gamalho aos 19’ do 2º tempo (Ponte Preta) e Yan Sasse aos 20’ do 2ºtempo (Coritiba)

__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO