Atlético perde pênalti na primeira etapa e sai derrotado diante do líder Corinthians

Furacão chegou mais, mas faltou criatividade para marcar diante do Corinthians (Foto: Gil Pereira/Do Rico ao Pobre)


Equipe da casa não aproveitou um pênalti, desperdiçado por Nikão em defesa de Walter, e a maior pressão sobre o adversário durante boa parte do jogo. Giovanni Augusto, em lance de sorte e insistência marcou para o Corinthians e deu a vitória aos visitantes.

#BRASILEIRÃO


PRIMEIRO TEMPO - O início de jogo foi com o Corinthians adiantado e marcando os donos da casa no campo defensivo. A equipe rubro negra retomou o espaço e chegou com perigo com Lucho, que recebeu cruzamento na esquerda e chutou para defesa de Walter aos 4'. A resposta do timão foi com Romero, que recebeu ótimo cruzamento na área e no canto direito chutou de primeira para fora. 

A partida seguiu sem muitas emoções, mas com o Atlético ficando mais no campo de ataque. Os defensores corintianos conseguiam evitar lances de maior perigo. Na bola parada a equipe paranaense chegava mais. Aos 12', Gedoz cobrou falta, a bola atravessou a área e chegou em Fabrício, que chutou de primeira com perigo para fora. Quando tinha a bola, o time paulista não conseguia trabalhar os passes e perdia a posse rapidamente para o adversário.

Aos 17', Romero recebeu grande lançamento, cortou o zagueiro e quase fez um belo gol encobrindo Weverton, que espalmou para frente e Rodriguinho, no rebote, chutou pra fora de dentro da área. Aos 19', de novo de falta, Gedoz arriscou de longe e mandou um forte chute, que balançou a trave de Walter e quase deu o gol atleticano. 

O jogo se manteve muito truncado e com poucos lances de mais profundidade. A pressão do Furacão já não era tão forte e o time dava espaços ao Corinthians. Com 31', Nikão tentou o cruzamento na área e Fágner desviou a bola com o braço, falta marcada e pênalti para o Atlético. Na cobrança, Nikão cobrou no meio e Walter, com o pé, defendeu. 

Após o pênalti, o jogo ficou aberto e os dois times conseguiam ir ao ataque, porém faltava criatividade para que os atacantes recebessem em condições de marcar. Após ataque corintiano, Lucas Fernandes saiu da defesa e quase entrou na área, sendo derrubado na entrada aos 41'. Aos 44', aós paralisação, Gedoz cobrou falta e no desvio Fabrício chutou desviado e quase fez. 
Depois do grande período com atendimento de Lucas Fernandes, foi Romero quem ficou no chão após entrada de Thiago Heleno. Primeiro tempo tenso com lances isolados de perigo para as equipes. 

Marcação das equipes dificultava o trabalho dos atacantes (Foto: Gil Pereira/Do Rico ao Pobre)


SEGUNDO TEMPO - O começo de segunda etapa foi morno, mas com o Furacão tendo mais posse. Nenhuma das equipes conseguia realizar maiores trocas de passe no campo de ataque sem errar e perder a bola na intermediária. Aos 8', cruzamento na área e Walter se atrapalhou, quase dando o gol para Fabrício, que estava na sobra de bola e foi bloqueado. 

Aos 11', sobra de bola na entrada da área e Lucho chutou desviado para a bola passar perto do gol de Walter. Pressão maior do rubro negro, que apostava muito nos cruzamentos, uma das fraquezas da equipe corintiana. Aos 16', Gedoz recebeu na intermediária e chutou, mas mandou longe da meta de Walter. Os erros de passes dos dois times se seguiam na partida, tornando o jogo sem maiores emoções. 

Tentando tornar o Corinthians mais criativo, Carille trocou Clayson por Giovanni Augusto. A equipe da casa fazia certa pressão e abusava dos cruzamentos, não conseguindo furar a defesa alvinegra. Jogo seguia zerado no placar e avançava nos 31'. Quando o jogo parecia morto, ainda aos 31', Giovanni Augusto tentou o cruzamento de média altura na área, ninguém desviou e Weverton viu a bola quicando entrar direto no gol, 1 a 0 Corinthians.

A pressão atleticana seguiu após o gol, com o time procurando espaços na fechada defesa paulista. Com Gedoz sentindo lesão, Fabiano Soares tirou ele e colocou Douglas Coutinho para aumentar o poder de ataque da equipe da casa. O treinador do Furacão tirou Nikão para colocar Pablo e ter mais um atacante em campo. No lado corintiano, Walter sentiu lesão no músculo adutor da coxa e foi substituído por Caique no gol. 

Com seis minutos de acréscimos, aos 45', Fabrício recebeu na entrada da área mas finalizou longe do gol. No minuto seguinte, Coutinho tentou de cabeça e também mandou pra fora. Nos minutos finais, o Corinthians soube segurar a bola e conseguiu manter o placar favorável, final 1 a 0. Esta foi a primeira vez que o Corinthians conseguiu duas vitórias seguidas no segundo turno do campeonato. Já o Atlético estaciona na tabela e se afasta do grupo da Libertadores, podendo cair para o décimo quarto lugar na tabela, dependendo dos resultados da rodada. 

Jogo travado prevaleceu no final de partida e o Atlético saiu derrotado de casa (Foto: Gil Pereira/Do Rico ao Pobre)



 OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Atlético: 12 Weverton, 2 Jonathan, 13 Paulo André, 44 Thiago Heleno, 87 Fabrício, 21 Pavez, 3 Lucho, 23 Lucas Fernandes (Matheus Anjos), 10 Gedoz (Coutinho), 11 Nikão (Pablo), 9 Ribamar.

Reservas: 1 Santos, 4 Cleberson, 20 Rossetto, 25 Wanderson, 27 Zé Ivaldo, 39 Bruno Guimarães, 47 Cascardo, 55 Matheus Anjos, 77 Douglas Coutinho, 91 Ederson, 92 Pablo, 97 Nicolas.

Técnico: Fabiano Soares

Corinthians: 27 Walter (Caique), 23 Fagner, 4 Balbuena, 3 Pablo, 13 Guilherme Arana, 29 Camacho, 8 Maycon (Paulo Roberto), 26 Rodriguinho, 11 Romero, 25 Clayson (17 Giovanni Augusto), 7 Jô.

Reservas: 1 Matheus Vidotto, 40 Caique, 2 Léo Principe, 14 Léo Santos, 17 Giovanni Augusto, 18 Kazim, 20 Danilo, 21 Felipe Bastos, 22 Marciel, 28 Paulo Roberto, 38 Pedrinho.

Técnico: Fábio Carille

FICHA TÉCNICA XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Amarelos: Thiago Heleno e Fabrício (Atlético-PR), Maycon (Corinthians)
Gol: Giovanni Augusto aos 31' do 2º tempo
Arbitragem: Wagner do Nascimento Magalhães 
Assistentes: Rodrigo F. Henrique Correa e Thiago Henrique Neto Correa Farinha





__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO