[SUB 17] Paraná e Verê fazem confronto equilibrado e empatam sem gols

Foto: Gabriel Sawaf/Do Rico ao Pobre
  1. Na manhã desta quinta-feira (05), o Paraná recebeu o Verê no Estádio Erton Coelho Queiroz, em duelo válido pela 4ª rodada da 2ª fase do estadual. Embora começasse melhor e dominando as ações, o Tricolor não conseguiu fluir seu jogo devido a grande marcação da equipe do sudoeste. E os visitantes não ficaram só atrás, souberam levar perigo e quase marcaram. No fim, o empate sem gols foi festejado pelo Rubro Verde e muito lamentado pelos paranistas

#PRSUB17
Por Gabriel Sawaf

PRÉ - JOGO – O embate na Vila Olímpica ainda trazia um gostinho do que aconteceu a duas semanas atrás no interior do estado. O Verê vinha com uma campanha quase impecável na competição, com apenas uma derrota, e segurava o empate contra o Paraná até o último minuto, quando o Tricolor aproveitou um contra ataque e definiu o jogo. A partida na capital valia muito mais para olhar para frente. Uma vitória paranista praticamente colocava os donos da casa nas quartas de final e complicaria muito a vida dos visitantes. Por isto, a expectativa para o duelo era grande. 

O EMBATE - A partida se iniciou com o Verê muito nervoso, sem saber direito o que fazer com a bola. O Paraná se aproveitou do momento ansioso do adversário e foi para cima, pressionando no campo de ataque e ficando por muito tempo com a bola. Porém, a pressão paranista não resultou em chegadas perigosas e os visitantes logo souberam colocar a cabeça no lugar e se acalmaram, conseguindo frear o jogo dos donos da casa.

A primeira chance de perigo foi aos 18 minutos, e foi do Verê. João Pedro cobrou falta pela direita, a bola atravessou a área e pingou na frente de Murilo, que ainda assim fez grande defesa, mas a bola sobrou para Zezinho, que, sozinho na pequena área, testou para. Para sorte do zagueiro, a partida já estava parada. Os visitantes conseguiam anular a proposta de jogo paranista e não deixavam que o goleiro João Vitor tivesse trabalho, e ainda levavam perigo. Aos 30 minutos Cequinato fez boa jogada individual e finalizou para fora. O Paraná só conseguiu levar perigo aos 35 minutos, quando Gabriel arrancou pela direita, tabelou com Lucas Sene e finalizou para grande defesa de João Vitor. O Tricolor ainda assustou no último minuto, quando Lucas Sene cruzou e Carlos Eduardo subiu, cabeceando para fora.
Partida foi muito disputada, mas a rede não balançou. (Foto: Gabriel Sawaf/Do Rico ao Pobre)


A segunda etapa começou da mesma forma que terminou a primeira, com o Verê fechando os espaços e não deixando o Paraná atacar. E, novamente, foi a equipe do interior que levou perigo primeiro, nas bolas paradas. Aos cincou minutos Matheus cobrou falta e Vitão subiu mais alto, mas cabeceou para fora. O Tricolor logo respondeu aos oito minutos, quando Carlos Eduardo lançou Gabriel pela direita, o lateral entrou na área e chutou cruzado por cima do gol. A partir dos dez minutos um fator foi totalmente diferencial no jogo: o preparo físico. Os visitantes não conseguiam manter o ritmo de marcação e alguns atletas sentiam câimbras. O escrete paranista se aproveitou e criou as chances. Aos 12 minutos Lucas Sene aproveitou sobra na entrada da área e arriscou, para defesa de João Vitor. Na cobrança de escanteio, o próprio camisa 10 levantou para a área e Vinicius Sacoman cabeçeo


Aproveitando-se do cansaço do adversário, o treinador Nem colocou o atacante Guilherme no lugar do zagueiro Thiago, para dar mais opções ao ataque. Em resposta, Kokan tirou Bispo e João Pedro, que estavam sentindo dores, para a entrada de Passarinho e Bauru, reforçando a marcação. O resultado foi que o Paraná se manteve mais no ataque, porém deixava espaços atrás e quase foi castigado. Aos 25 minutos, Cequinato aproveitou chutão após escanteio do adversário, fez boa jogada pela esquerda, invadiu a área, mas finalizou fraco para tranquila defesa de Murilo. Embora pressionasse, o Tricolor não levou muito perigo na reta final de jogo. A única oportunidade foi aos 31 minutos, quando Lucas Sene arriscou e João Vitor fez boa defesa. O Verê soube controlar bem na marcação e impedir ataques paranistas, embora ficasse o receio devido ao jogo no interior. No fim, muita comemoração dos atletas rubro-verdes e reclamações do treinador Nem a equipe. 

As equipes voltam a campo na próxima semana, atuando em seus domínios. No dia 12, o Verê recebe o líder Cianorte. No dia 14, o Paraná recebe o lanterna do grupo, Grêmio Maringá.

PARANÁ – Os comandados pelo ex-zagueiro Nem não conseguiram desenvolver um bom futebol na manhã desta quinta. Embora conseguissem efetuar boas jogadas pela meia cancha e ocupar bem a zona ofensiva, faltou arriscar mais e levar mais perigo ao gol adversário. Também houve a dificuldade de enfrentar um adversário acuado, que não deu muitos espaços para o Tricolor atuar. Fica o ressalto da boa atuação do sistema de meia cancha, liderada pelo ótimo meia Lucas Sene. E também pela boa atuação dos laterais Gabriel e Valdeir, que apoiavam muito bem no ataque e trabalhavam bem na zona defensiva.
Foto: Gabriel Sawaf/Do Rico ao Pobre

FIQUE DE OLHO (Fernando) – Se a meia cancha foi o destaque do escrete paranista, o nosso olhar especial fica por um dos encarregados a manter ela bem postada. O volante Fernando ganhou nosso lugar destaque não somente pela participação defensiva, mas também por articulação ofensiva. O camisa 5 sabe trabalhar muito bem nesta posição de transição, que leva a bola do campo de defesa ao campo de ataque, carregando a bola, não dando lançamentos diretos, e também efetuando bons passes para os atletas da zona ofensiva. O jogador lembra muito Leandro Vilela, que é uma revelação da base tricolor. 
Fernando se destacou pela sua mobilidade em ajudar o meio de campo. (Foto: Gabriel Sawaf/Do Rico ao Pobre)

VERÊ – O time caçula do interior do estado mostrou que o projeto desenvolvido no sudoeste é para valer, e que a grande campanha desempenhada no campeonato não é a toa. O escrete rubro verde se portou muito bem em campo, impedindo o Paraná de trabalhar a bola e criar chances de perigo. Apesar do que muitos pensam, os visitantes não pararam de atacar. Confiando na ligação de Bispo e João Pedro (e depois Bauru), e na velocidade e habilidade de China e Cequinato, o Rubro Verde levou perigo ao gol de Murilo e encerrou o jogo no campo de ataque. Agora, com dois jogos seguidos em casa, é esperado que o escrete caçula confirme vaga nas quartas de final. 

Foto: Gabriel Sawaf/Do Rico ao Pobre

FIQUE DE OLHO (Zezinho) – A proposta do jogo do Verê era se fechar bem, sem deixar de jogar. E o zagueiro Zezinho foi fundamental para que os visitantes conseguissem fazer isto. Passando muita segurança e confiança, o camisa 3 chegava bem na dividida com os atacantes e saiu bem no teste de marcar o grandalhão Guilherme. Além de ser uma arma na defesa, o zagueiro mostrou ter poder no ataque, ganhando bolas áreas quando subiu para a área adversária e dando lançamentos precisos, um deles acabando em um gol anulado de Stanley.

Zezinho ajudou o Verê a sair sem gols do Boqueirão (Foto: Gabriel Sawaf/Do Rico ao Pobre)

 
OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

PARANÁ CLUBE: 1 Murilo; 2 Gabriel, 3 Thiago (16 Guilherme), 4 Léo e 6 Valdeir; 5 Fernando, 7 Vinicius Sacoman, 8 Carlos Eduardo e 10 Lucas Sene; 9 Andrey e 11 Matheus Gabriel (19 Victor). Técnico: Nem Lima.

VERÊ: 1 João Vitor; 2 Matheus, 3 Zezinho, 4 Vitão e 6 Lucas; 5 Chapecó, 7 Bispo (13 Passarinho), 8 Stanley e 10 João Pedro (18 Bauru); 9 China e 11 Cequinato (15 Pedro). Técnico: Kokan. 

FICHA TÉCNICA - PARANÁ 0 X 0 VERÊ XXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

ÁRBITRO: Diego Henrique Bueno.
ASSISTENTES: Andrey Valenga Guimarães (1) e Daniel Olivio Tschoke (2)

AMARELOS: Passarinho (Verê).