Santíssima Trindade supera Bangú nos pênaltis e está na elite da Suburbana

Bem-vindo à elite! Jogadores do Santíssima Trindade comemoram a conquista do acesso
(Foto: Cleiton da Cruz).
Emocionante! Não há outra palavra que possa resumir tão bem o desfecho do duelo entre Bangú e Santíssima Trindade, disputado no estádio Francisco Tiago da Costa, no Tanguá. O Bangú venceu o jogo no tempo normal por 2 a 1 com dois gols de Edmar, mas nas penalidades, o Trindade foi preciso nas cobranças e conquistou a classificação para a finalíssima da Série B e também o acesso para a elite do futebol amador de Curitiba. Tudo em homenagem a Rodolfo, o eterno camisa 10 do Parque Linear. 

#SérieB
Por Yuri Casari

Pré-jogo: Bangú e Santíssima Trindade se enfrentariam para definir um dos acessos para a Série A da Suburbana. O Trindade tinha a vantagem do empate conquistada no jogo de ida, mas o Bangú teria um campo um pouco melhor para trabalhar mais a bola e jogar a seu estilo.

Primeiro tempo: Precisando fazer o resultado, o Bangú logo se lançou ao ataque, apostando na bola parada de Joãozinho. Logo aos 2 minutos, o camisa 10 tentou o gol olímpico. Aos 6, Joãozinho levantou na área e Ronan cabeceou para fora. Mas aos 8, a arma da bola parada funcionou. Joãozinho fez o levantamento e Edmar mandou de cabeça para as redes. A vantagem do Trindade estava liquidada. 

A expectativa de um Bangú arrasador foi rapidamente dissipada, pois o Trindade não deixou de jogar seu futebol. Aos 18, Batoré levantou a bola e Marcão tentou um belo voleio, que passou perto do gol. Aos 23, a equipe do Cajuru recuperou a vantagem. Bola na área e Geovane, livre de marcação, cabeceou para o gol, empatando a partida.

O gol fez o Trindade crescer na partida. Aos 28, Tupã fez grande jogada e bateu forte, mas Ricardo praticou linda defesa, impedindo um golaço. Aos 35, Baiano quase encobriu Ricardo em uma tentativa de cruzamento. E aos 38, Giovani arriscou o chute de fora da área e acertou o travessão. O Bangú só voltou a ter uma grande chance de marcar já aos 41 minutos, com Luizinho, que recebeu pela direita e tentou o arremate, mas a bola saiu pela linha de fundo.

Equilíbrio da primeira etapa ficou marcado no placar: 1 a 1, e vantagem do Trindade para o segundo tempo (Foto: Cleiton da Cruz).
Segundo tempo: A segunda metade de jogo começou com menos qualidade de jogo e mais discussão. As equipes pareciam querer ganhar o acesso no grito. Ainda assim, algumas chances foram criadas para ambos os times. A melhor aconteceu aos 19, em favor do Trindade. Tom chutou, Ricardo fez boa defesa e no rebote Luiz Fernando finalizou para fora. E quando o Trindade estava mais próximo do gol, quem balançou as redes foi o Bangú. Romarinho fez ótima jogada pelo lado direito e tocou para trás para Edmar bater de primeira e colocar o Bangú de novo na frente. 

Aí o Bangú passou a dominar o jogo e teve as melhores oportunidades. Aos 32, Juninho cabeceou na trave. Dois minutos depois, após boa trama, Joãozinho chutou para fora. Aos 38, a situação ficou ainda mais favorável. Anderson foi expulso após dura falta em Romarinho. No lance após a expulsão, Juninho desperdiçou a melhor e última chance de matar a partida. O jogo se arrastou até o apito final, com os dois times satisfeitos com a disputa de penalidades.

Edmar foi o grande nome da partida, marcando os dois gols da vitória do Bangú e tendo importante papel defensivo
(Foto: Cleiton da Cruz).
Nas cobranças, Jé foi o responsável pela primeira cobrança. O camisa 7 do Trindade não titubeou e abriu a contagem. Na sequência, Romarinho tentou mandar a bola no ângulo, mas acabou acertando a trave. Tupã bateu com categoria e aumentou a vantagem do time auriazul. O zagueiro Merci converteu sua cobrança e abriu a conta para o Bangú. Na terceira cobrança, Juliano bateu e Ricardo defendeu. Era a chance de empate banguense. Mas Xuxu bateu forte, e Paulo fez defesa espetacular. Em seguida, Luiz Fernando bateu firme e marcou o terceiro do Trindade. Joãozinho marcou o segundo do Bangú e manteve um fio de esperança. Mas na quinta cobrança do Trindade, Lelo não vacilou e colocou o Trindade na primeira divisão amadora de Curitiba. 

Lelo deu números finais à disputa de penalidade e colocou o Trindade na elite de Curitiba
(Foto: Cleiton da Cruz).
A festa tomou conta do estádio do Tanguá. Rapidamente os jogadores do Trindade se uniram em uma corrente para comemorar o acesso e dedicá-lo a Rodolfo, atleta do clube que veio a falecer no dia 25 de agosto, vítima de um acidente enquanto trabalhava com a manutenção de um elevador. A emoção era visível no rosto de cada um dos jogadores, dirigentes e comissão técnica, que agora enfrentam o Fortaleza na finalíssima da Série B da Suburbana.

O capitão Queen abraça um membro da comissão técnica, vestido com uma camisa em homenagem a Rodolfo (Foto: Cleiton da Cruz).
OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

BANGU: 1 Ricardo; 2 Ronan, 3 Paulo Sergio, 4 Merci, 6 Xuxu; 5 Valdir, 7 Léo (17. Romarinho), 8 Edmar, 10 Joãozinho; 9 Luizinho (16. Juninho) e 11 Juliano (15 Foca). Téc: Jeferson Silveira.

SANTÍSSIMA TRINDADE: 1 Paulo; 2 Baiano, 3 Anderson, 4 Queen, 6 Juliano; 5 Marcão, 7 Jé, 8 Tupã e 11 Tom (19 Lelo); 9 Geovane (13 Marlon) e 18 Batoré (20 Luiz Fernando). Téc. Dinei.

FICHA TÉCNICA – BANGÚ 2x1 SANTÍSSIMA TRINDADE (2x4)

ARBITRAGEM: Marcelo Sales Corrêa.
ASSISTENTES: Wesley Waldir MArmitt e Alexsandro Euzébio da Silva.
GOLS: Edimar, aos 8' do 1º tempo e aos 21' do 2º tempo; Geovane, aos 23 do 1º tempo.
AMARELOS: Merci e Juninho (BAN); Anderson, Juliano e Tupã (TRI).
VERMELHO: Anderson (TRI).