Em jogo histórico, Paraná vence Internacional e segue no G4 da Série B

Maidana foi o responsável pela alegria da torcida tricolor (Foto: Gabriel Sawaf)
Nesta terça-feira (3) o Paraná Clube fez um dos jogos mais importantes do ano. Com o apoio de mais de 39 mil presentes na Arena da Baixada, o Tricolor recebeu o Internacional pela 28ª rodada da Série B. Após um primeiro tempo de superioridade dos mandantes, o Inter pressionou em parte da segunda etapa, mas no quarto final de jogo o Paraná foi seguro para conquistar um triunfo importantíssimo na busca pelo acesso.

#SÉRIEB2017
Por Dudu Nobre

PRÉ-JOGO - As duas equipes estavam no grupo dos clubes que hoje subiriam a Elite Nacional. Na liderança, o Colorado ostentava uma sequência de quatro vitórias seguidas. Já a Gralha Azul teve sua sequência de cinco vitórias seguidas quebrada na última sexta (29) após o revés sofrido contra o Figueirense no Orlando Scarpelli.

PRIMEIRO TEMPO – Mesmo como visitante, o Inter começou com mais posse de bola e se defendendo em duas linhas de quatro, dificultando as infiltrações dos mandantes. Por conta desse obstáculo o escrete Paranista tentava fazer seu jogo pelas pontas ou arriscando de fora da área. Foram nos chutes de longa distância as primeiras oportunidades do time da casa, aos 5’ e aos 9’. O inter respondeu com Eduardo Sasha, que cabeceou pela linha de fundo aos 12’. A partida ainda estava em período de estudos.

Aluno aplicado, o Tricolor aprendeu rápido o mapa da mina: verticalizar o jogo pela direita para Cristovam e João Pedro – contando com a aproximação do volante Gabriel Dias para fazer tabelas. Dali surgiram outras duas chances: aos 19’ Robson recebeu de Gabriel e finalizou pra fora. No minuto seguinte Cristovam enfileirou três e cruzou para Alemão, que também desperdiçou. Mesmo com o pé descalibrado, o Paraná era melhor.

Ainda assim, a palavra de ordem era atenção. A zaga conseguia travar a ofensiva visitante, mas aos 29’ apareceu uma brecha e Sasha mandou um petardo de fora, obrigando Richard a se esticar para fazer a defesa. Aos 36’, outro espaço após escanteio da direita, Charles apareceu livre, mas tocou pra fora. O Tricolor havia diminuído o ímpeto. Mas um bom aluno não esquece uma lição. Aos 41’, escanteio pela direita. Renatinho colocou na pequena área e Maidana subiu sozinho para abrir o placar e incendiar a Baixada. Gol merecido pela superioridade em 30’ dos 45’ minutos iniciais. A pergunta de um milhão de dólares era saber qual a postura do time paranista com a vantagem na mão.

O Paraná teve uma atuação impecável na primeira etapa (Foto: Gil Pereira)
SEGUNDO TEMPO – A resposta com certeza não agradou o torcedor, pelo menos nos primeiros minutos. O Colorado seguia com maior posse de bola, mas a grande diferença foi o protagonismo de Edenilson nos lances ofensivos – com o auxílio dos laterais. Dessa forma o Inter incomodou. Aos 7’ Damião foi lançado e acertou a trave. Três minutos depois o centroavante tentou uma bicicleta, mas Richard segurou. Vendo o recuo de sua equipe, Matheus Costa colocou Jhonny no lugar de João Pedro – alteração que não surtiu efeito para desafogar o Tricolor.

A mudança de estratégia era necessária, já que o Tricolor tinha inferioridade numérica nas puxadas de contra golpe (três contra cinco, dois contra quatro...), o que facilitava o trabalho da defesa adversária. Matheus tentou, colocando o atacante de velocidade Vitor Feijão no lugar do homem de área Alemão. Feijão forçava Winck a não subir tanto, o que diminuiu a pressão colorada. O Inter ocasionalmente chegava através de cabeceios, mas não era tão incisivo quanto nos 15’ primeiros da etapa complementar. Após os 40’, o cenário padrão de um placar de 1 a 0. O vencedor buscava uma estocada para manter a redonda o mais longe possível da zaga. O perdedor encurralava o rival na linha da área querendo o empate a todo custo.

Mas a barreira não era de 11 atletas. Era de mais de 35 mil Tricolores (excluindo os quatro mil Colorados) que esperaram muito tempo por um momento como esse. O caminho ainda é longo, mas essa batalha foi vencida. Final no Joaquim Américo, Paraná Clube 1, Internacional 0.

A união entre time e torcida é o combustível do tricolor para a luta pelo acesso (Foto: Gabriel Sawaf)
O resultado deixou a Gralha azul momentaneamente na segunda colocação com 49 pontos - o América-MG joga sábado e pode ultrapassar o Paraná se vencer o Santa Cruz-, enquanto que o Inter segue na liderança (momentaneamente com 5 pontos de folga). Na próxima rodada as duas equipes jogam em casa: o Colorado contra o Brasil de Pelotas na segunda (9) e o Tricolor contra o Criciúma na sexta (13)

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

PARANÁ CLUBE: 1 Richard; 2 Cristovam, 3 Maidana, 4 Brock e 6 Igor; 5 Vinicius Kiss, 8 Gabriel Dias, 7 Robson, 10 Renatinho (21 Raphael Lucas) e 11 João Pedro (16 Jhonny); 9 Alemão (19 Vitor Feijão). Técnico: Matheus Costa.

INTERNACIONAL: 1 Danilo Fernandes; 29 Claudio Winck (47 Juan), 3 Danilo Silva, 33 Leo Ortiz e 6 Uendel; 13 Rodrigo Dourado (35 Charles), 11 Edenilson e 10 D’Alessandro; 7 Nico López, 9 Eduardo Sasha (21 Camilo) e 22 Leandro Damião. Técnico: Guto Ferreira.

FICHA TÉCNICA: PARANÁ CLUBE 1 x 0 INTERNACIONAL XXXXXXXXXXXX

ARBITRAGEM: Leonardo Bizzio Marinho – São Paulo
ASSISTENTES: Daniel Paulo Ziolli (1) e Daniel Luis Marques (2) - Ambos de São Paulo.
GOL: Maidana aos 41’ do 1°T (Paraná).
AMARELOS: Gabriel Dias, Igor e Jhonny (Paraná); Claudio Winck e D’Alessandro (Internacional).
PÚBLICO TOTAL: 39.414 presentes.

__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO