Operário sub-23 empata dentro de casa com o Toledo


A equipe sub-23 do Operário Ferroviário enfrentou o Toledo ontem (14) em confronto válido pela quinta rodada da primeira fase da Taça FPF. A partida aconteceu no Estádio Germano Krüguer e terminou com placar igualado. Apesar das últimas conquistas do Operário na série D, poucos torcedores marcaram presença no local. O empate por 2 a 2 não é suficiente para garantir o Fantasma na próxima fase, mas ainda existem jogos adiados que podem assegurar a pontuação necessária. Já o Toledo, alcança 10 pontos com o resultado e sobe na tabela


#TAÇA FPF
Por Raylane Martins

PRÉ JOGO: Ocupando a oitava colocação na tabela com cinco partidas jogadas, o escrete operariano entrou em campo nesta quarta-feira (13) vindo de uma derrota para o FC Cascavel por 1 a 0. O Toledo estava uma posição acima do time alvinegro, mas com nove partidas jogadas.  O Operário está atrasado no campeonato devido à disputa do time profissional no Campeonato Brasileiro da Série D. Para este jogo a equipe da casa contou com Lucão, que retornava de uma suspensão, mas Paulo Henrique ficou fora por estar lesionado. Já o jogador Vandinho, artilheiro na Taça FPF 2016, retornou dos jogos do Brasileirão e foi relacionado como reserva.

PRIMEIRO TEMPO: O Operário Ferroviário começou dominando a partida e impondo o ritmo. Aos 3’ de jogo, após a cobrança de lateral de Bruno na grande área, Glenisson tentou uma bicicleta, mas sem sucesso, Diego completa o lance chutando na rede pelo lado de fora. Com mais posse de bola e mantendo uma boa movimentação, o Operário teve o primeiro escanteio com Glenisson, que deu início a uma jogada ensaiada, porém equipe não conseguiu finalizar e a bola foi para fora. Uma cobrança de falta favorável à equipe do Toledo chegou a assustar o time da Vila Oficinas aos 12’. Após desvio da zaga alvinegra, a bola quase chegou, mas saiu para escanteio definindo a primeira grande chance perdida do visitante.

O primeiro amarelo do embate sai para Vitor Ferraz, do Toledo, após falta em cima do atacante Diego. Nos minutos seguintes é marcado um pênalti para a equipe do Operário em cima do mesmo camisa 6, que faz a cobrança deslocando o goleiro e marca o primeiro gol da partida. Próximo aos 30’ rodados, Cristian, do Toledo, bate no segundo pau e João Neto cabeceia com qualidade, mas a defesa do Fantasma afastou novamente. Não demora muito para que, após rebote do escanteio, o juiz amarele o Toledo pela segunda vez devido à entrada forte de Dantas sofrida por Diego. Aproximando-se das cenas finais, Fred Saraiva perdeu a última grande oportunidade do primeiro tempo. Aos 41’, o jogador errou a mira e chutou o ar, entregado a bola para os adversários. 


SEGUNDO TEMPO: Retornando ao campo sem nenhuma alteração, os dois lados do confronto trabalhavam bem a bola. Após jogada individual de David, do Toledo, e defesa do goleiro Matheus, Guilherme arrematou igualando o placar logo nos primeiros minutos da segunda etapa. Ao contrário do primeiro tempo, com muitos escanteios, dessa vez a bola percorreu mais o campo e as equipes conseguiram desenrolar mais. Mesmo assim, o embate seguiu faltoso e o primeiro cartão amarelo para o Fantasma surgiu aos 17’ para o lateral Bruno. Outros três jogadores foram advertidos na sequência. Cristian e Rafinha pelo Toledo e Erick pelo Operário.

Ataques e contra ataques se alternaram continuamente no Germano Krüguer. Uma bela jogada do Toledo apareceu com o camisa 10, Cristian, que saiu do meio do campo individualmente e bateu rasteiro balançando as redes e colocando o Toledo em vantagem sobre o Operário. No suceder dos lances, uma saída da equipe do Oeste interrompida pela marcação operariana acabou em penalidade máxima em cima de Fred Saraiva. Vandinho assumiu a cobrança e o goleiro defendeu, mas o próprio atleta foi atrás, pegou no rebote e conseguiu marcar o gol. Com isso, o escrete alvinegro recupera a confiança na partida e se mostra mais seguro.

Algum tempo depois, em um contra ataque do Toledo, Erick cortou para impedir a chegada dos adversários e recebeu o segundo cartão, sendo expulso da partida. Já na reta final, uma confusão no banco do Operário terminou em outra expulsão. Dessa vez, de integrantes da comissão técnica da casa, o que revoltou a torcida presente no estádio. Dando continuidade à partida, o número de jogadores se iguala quando Vitor Ferraz tenta impedir o andamento do contra ataque agarrando Vandinho. A terceira expulsão da noite saiu para Dantas, responsável por prolongar o tempo de jogo com um chute desnecessário na devolução de bola.   

Chegando ao fim do jogo, Vandinho quase marcou um gol, mas o goleiro Jonathan defendeu bem. Com um a mais, o Operário pressionava tentando chegar a vitória. Já passava dos 45’ quando Alexandre colocou na área mas Bruno perdeu uma cabeceada decisiva. Sem tempo para reverter o resultado, o árbitro finaliza a partida com um empate de 2 a 2.


OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Operário: Matheus, Thalles (Juninho), Lucão, Alex, Erick, Bruno, Fred Saraiva, Alexandre, Diego (Vandinho), Murilo, Glenisson (Cristian). Técnico: Joel Preisner

Toledo: Jonathan, Cortez, João Neto, Vitor Ferraz, Diego, Dantas, Rafinha (Andrézinho), Igor, David (John Vitor), Cristian (William), Guilherme. Técnico: Zé Maria

FICHA TÉCNICA – OPERÁRIO 2 X 2 TOLEDO XXXXXXXXXXXXXXXXXX

CA: Erick, Bruno. (Operário) | Vitor Ferraz, Dantas, Jonathan, Igor, Cristian, Rafinha. (Toledo)
CV: Erick (Operário) | Vitor Ferraz e Dantas (Toledo)
Árbitro: Rafael Moura de Oliveira
Público/renda: PAGANTE: 201 e TOTAL: 239 | RENDA: R$: 2080, 00


__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO