Operário Ferroviário é derrotado pelo Globo por 1 a 0, mas conquista a série D 2017


O Operário Ferroviário sagrou-se campeão da série D na noite deste domingo (10), mesmo após ser derrotado pela equipe do Globo (RN) pelo placar de 1 a 0 em pleno Estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa. O Fantasma soube administrar a larga vantagem adquirida fora de casa no primeiro jogo da final, onde goleou a equipe do Rio Grande do Norte por 5 a 0, e conquistou o título brasileiro, até então inédito na história do clube. Ambas as equipes estão classificadas para a disputa da terceira divisão nacional do ano que vem.

#SérieD
Por Allyson Santos

PRÉ-JOGO: O Alvinegro de Vila Oficinas entrou em campo com o objetivo de controlar o placar elástico construído em Ceará-Mirim no último domingo (03) e levar alegria aos torcedores operarianos que lotaram as arquibancadas do Germano Krüger duas horas antes do jogo à espera do título brasileiro. O escrete do Globo chegou à Ponta Grossa em busca de uma virada histórica, já que a equipe nordestina precisava vencer por 6 gols de diferença para ser campeã diante de um Operário invicto dentro de casa na competição. Além da grande festa dos torcedores da casa, uma linda homenagem ao goleiro Danilo (ex- Operário Ferroviário), morto na tragédia com o avião da Chapecoense, roubou a cena minutos antes da partida, quando Ilaídes Padilha, mãe do jogador, entregou a antiga camisa de Danilo à Simão, atual goleiro do Operário.

PRIMEIRO TEMPO: Os primeiros minutos do embate são de muito estudo entre as duas equipes, com o time Alvinegro trocando passes em seu campo defensivo com o intuito de frear o ímpeto do adversário, que fecha bem os espaços na meia cancha. As chances de gol começam a aparecer por volta dos oito minutos de jogo quando Quirino foi lançado pelo flanco direito da defesa. O camisa 7 operariano tenta cruzamento para Lucas Batatinha, mas esbarra no goleiro Dasaev, que, bem postado no centro do gol, faz a defesa. O Fantasma domina o confronto, porém segue com dificuldades em penetrar a defesa do Globo e recorre às bolas alçadas na área em busca do primeiro tento. Jean Carlo e Danilo Baia são muito acionados pelas laterais do campo.

O elenco visitante, que antes jogava por um contra-ataque, passa a pressionar a equipe do Operário na metade da primeira etapa, mas para na forte marcação. A melhor oportunidade do escrete nordestino até então, surgiu com o volante Reinaldo, que arriscou belo chute da intermediária, levando perigo ao canto direito da meta defendida por Simão. Aos 18 minutos, veio a resposta dos donos da casa. Quirino recebe lindo passe de Robinho, avança sobre a pequena área e obriga Dasaev a praticar uma linda defesa em chute cruzado.

A reação do Alvinegro durou pouco tempo. Bola alçada na área de Simão, a defesa tenta afastar mas após bate-rebate a bola sobra para Tiago Lima estufar as redes do Operário com um forte chute de perna esquerda aos 25 minutos, sem chances para o goleiro do Fantasma. Ainda na primeira etapa o Operário deu trabalho ao guarda-redes do Globo, Dasaev fez defesas seguras em arremates de Lucas Batatinha e Jean Carlo que infiltraram com facilidade no lado esquerdo da defesa.


SEGUNDO TEMPO: O Operário criou mais oportunidades nos primeiros 45 minutos do duelo, mas não conseguiu ser eficiente e pecou nas finalizações. A segunda metate da partida não foi diferente. O escrete Operário detém a posse de bola e dita o ritmo do jogo, enquanto o Globo permanece recuado em seu campo defensivo já admitindo que seria muito difícil reverter o placar de 5 a 0 construído pelo fantasma em Ceará-Mirim.                              

Logo aos 10 minutos o esquadrão alvinegro pressiona a saída de bola dos visitantes, Lucas Batatinha retoma a posse de bola no campo de ataque, dribla o zagueiro e arremata com chute de direita, obrigando Dasaev a mais uma grande defesa no canto inferior de sua meta. A pressão da equipe mandante fica mais nítida a cada minuto, a defesa do Globo fecha bem os espaços e não deixa o Operário finalizar a gol, muitas vezes cometendo faltas perigosas. Em uma delas, aos 17 minutos, Robinho parte para a cobrança na entrada da área da equipe adversária, a bola passa pela barreira e por pouco não atinge o ângulo esquerdo da meta adversária.

O coração do torcedor pontagrossense bateu mais forte na metade final da partida, aos 32 minutos, quando Sosa subiu mais alto que Dasaev após cruzamento de Alisson, a dividida entre os jogadores obrigou o goleiro da equipe potiguar a soltar a bola, que foi parar no fundo das redes. Porém o árbitro Rodrigo Alonso Ferreira assinalou falta do zagueiro operariano no lance.

Mesmo antes do fim do jogo, a torcida alvinegra já fazia a festa nas arquibancadas, celebrando de maneira eufórica a primeira conquista nacional do Operário Ferroviário. O escrete soube administrar a partida de volta da grande final da série D, e escreveu mais um capítulo importante em sua história conquistando o título. Aos 45 minutos e sem mais acréscimos, o a arbitragem encerrou as atividades, garantindo de vez o título ao Fantasma de Vila Oficinas.
                      
            
FICHA TÉCNICA ++++++++++++ OPERÁRIO 0x1 GLOBO
Gol: Tiago Lima aos 25’ do Primeiro Tempo
CA: Serginho Paulista (OFEC) // Cosme, Erick, Gravatá, Negretti (GLOBO)
Árbitro: Rodrigo Alonso Ferreira (SC)
Público e Renda: Pagante (8679), Total (8830) // Renda (R$ 247.480,00)

++++++++++++++ OS ESCRETES ++++++++++++++++++++
OPERÁRIO: Simão, Danilo Baia, Alisson, Sosa, Peixoto, Índio, Serginho Paulista, Robinho, Jean Carlo, Quirino e Lucas Batatinha.
Técnico: Gérson Gusmão
GLOBO: Dasaev, Angelo, Negretti, Gravatá, Reinaldo, Renato Carioca, Tiago Lima, Erick, Glaucio, Renato Potiguar e Cosme.
Técnico: Luizinho Lopes