Em jogo pegado, Vasco vence o Santíssima Trindade por 2 a 1

Tobi, com os dedos erguidos, comemora o gol de falta que abriu o caminho para a vitória vascaína
(Foto: Yuri Casari).
No ensolarado feriado de 7 de setembro, o que não faltou aos jogadores de Santíssima Trindade e Vasco foi disposição. Desde o início, a partida foi muito brigada, e em alguns momentos os limites chegaram até a ser ultrapassados. Mas o que importa é bola na rede, e os gols do jogo saíram todos na segunda etapa, com vantagem para o Vasco que saiu na frente e suportou a pressão nos minutos finais. 

#Suburbana

Por Adson Lima e Yuri Casari

Pré-jogo: Sem rodada marcada para o feriado prolongado, a FPF aproveitou o dia da Independência para colocar em dia a tabela da série B da Suburbana. Santíssima Trindade e Vasco se enfrentaram no estádio Pedro de Almeida no Bairro Alto, em jogo válido pela 3ª rodada, e que havia sido cancelado por conta do falecimento do camisa 10 do Santíssima Trindade, o meia Rodolfo. O Santíssima precisava da vitória pra reassumir a liderança e o Vasco tinha que se recuperar da derrota na rodada anterior.

Primeiro tempo: Muitas jogadas duras e reclamações de ambos os lados. Assim foi o começo da partida no surrado campo do Bairro Alto. Parecia que ninguém queria saber de jogar bola e pelo andar da carruagem, era claro que o jogo não terminaria com 22 atletas em campo. Para se ter uma ideia da dificuldade que as equipes tinham de colocar a bola no chão, o primeiro ataque efetivo aconteceu apenas aos 20 minutos, em lance de escanteio para o Vasco que Carlinhos cabeceou por cima do gol. Aos 23, foi a vez do Santíssima atacar com Nando, que chutou de fora da área e Ade defendeu após desvio de Pará. 

Na casa dos 30 minutos nova sequência de lances isolados de ataque. Primeiro com o Vasco, que quase marcou com Luizinho, que venceu do marcador na velocidade, mas chutou pra fora. No lance seguinte, o Santíssima Trindade respondeu com Geovani, que recebeu na área, mas finalizou sem força. O jogo prosseguiu até o fim do primeiro tempo com muito bate-boca, ligação direta e o famigerado "bumba meu boi" no meio de campo.

Do pescoço pra baixo é canela! Santíssima Trindade e Vasco não pouparam esforços em busca da vitória e a arbitragem teve bastante trabalho para conter os ânimos dos jogadores. (Foto: Yuri Casari).
Segundo tempo: Ainda na primeira etapa, o técnico Jurandir Senna, do Vasco, mexeu na equipe, colocando o artilheiro Rafa no lugar do amarelado Pixola. No intervalo, colocou Tobi no lugar de Meira. Modificações que se mostrariam fundamentais na construção do resultado final. Na volta do intervalo, o jogo ficou um pouco mais corrido, mas seguiu sem muita qualidade. Porém, o Vasco chegou em duas oportunidades, sem assustar. Mas na terceira chance, não teve jeito. Em cobrança de falta frontal aos 11 minutos, Tobi bateu forte de canhota sem chances para Marlon, que contra o forte sol não conseguiu impedir o gol adversário. Aos 16 minutos, em novo ataque vascaíno, Rafa recebeu na entrada da área, dominou a bola já tirando o marcador da jogada, e com a pelota ainda no ar encheu o pé e marcou um belo gol, aumentando o placar para o Vasco.

Mas não houve nem tempo de comemorar, e no minuto seguinte o Santíssima Trindade diminuiu. Após cruzamento na área, Tupã escorou de cabeça para trás e Mauro estufou a rede. Logo depois do gol marcado, um recuo de bola para o goleiro assinalado pelo árbitro contra o Vasco gerou grande discussão,e mesmo com os nervos à flor da pele, ninguém recebeu nenhuma advertência. Na cobrança do tiro livre indireto, a bola acabou explodindo e voltando para a defesa do Santíssima. Sabino roubou a bola e saiu de frente para o gol e chutou, e Marlon praticou boa defesa. Na sequência do lance, Marlon apareceu de novo mandando a bola para escanteio. E na jogada de corner, Rafa quase marcou de cabeça o terceiro do Vasco.

Aos 31, o Trindade quase empatou com Mauro, que tabelou na entrada da área e finalizou para fora. O Vasco voltou a atacar aos 33 com Rafa, que recebeu pela esquerda e fuzilou, mas a bola saiu pela linha de fundo. Esse foi o último lance de perigo do jogo, pois em seguida o Vasco se limitou a defender, enquanto o Santíssima não conseguia encontrar espaços para a finalização, e mesmo com o jogo indo até os 50 minutos, o placa permaneceu em 2 a 1 para o Vasco, que ganha uma posição na tabela e está na quinta colocação. Já o Santíssima estaciona na quarta posição.

A segunda etapa continuou bastante disputada, mas o Vasco criou mais oportunidades e conquistou a vitoria. (Foto: Yuri Casari).
OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Santíssima Trindade: 27. Marlon, 2. Baiano, 3. Anderson, 4. Queen e 6. Folha; 5. Mauro (19. Wescley), 7. Jé, 8. Nando e 20. Tupã; 9. Geovani (16. Lelo) e 11. Leandro. Técnico: Oscar Kirsten.

Vasco: 1. Ade, 2. Pixola (17. Rafa), 3. Carlinhos, 4. Luizinho e 6. Pará; 5. Marcelinho (25. Ale), 7. Júlio, 8. Asiático e 10. Joãozinho; 9. Gaúcho (18. Sabino) e 11. Meira (13. Tobi). Técnico: Jurandir Senna.

FICHA TÉCNICA – SANTÍSSIMA TRINDADE 1x2 VASCO XXXXXXXXXXXXXXXXXX

GOLS: Tobi, aos 11' e Rafa aos 16' (VAS), e Mauro aos 17' (TRI) do 2º tempo.
CA: Jé e Nando (Santíssima Trindade); Pixola, Julio e Tobi (Vasco)
ÁRBITRO:  José Ricardo de Souza Costa.
ASSISTENTES: Reube Dobrychlop dos Reis e Daniel Olivio Tschöke.
DELEGADO: Paulo Madruga.