Em jogo de muita marcação, Clássico dos Italianos Termina Sem Gols

Os times tiveram algumas chances pra conseguirem a vitória, mas desperdiçaram (Foto: Dudu Nobre)
Iguaçu e Trieste jogaram neste sábado (30) no Estádio Egydio Ricardo Pietrobelli pela oitava rodada da Série A da Suburbana. O clássico foi disputado, mas os times tiveram dificuldades de jogar no gramado castigado pela chuva e o placar não saiu do 0x0.

#SUBURBANA2017

PRÉ-JOGO – São 70 anos de confrontos entre Iguaçu e Trieste. É um dos clássicos mais tradicionais desta competição. As duas equipes lutavam pela liderança e desejavam ultrapassar o líder Vila Fanny. O Iguaçu era o 3º colocado na competição, e em seu último jogo empatou sem gols com o Grêmio Palmeirinha. Já o Trieste era o vice-líder, e em sua última partida goleou o Uberlândia por 6x2, contando com o faro de gol do artilheiro da competição: Bruno Batata, com oito bolas na rede.

PRIMEIRO TEMPO – O jogo começou com domínio do time visitante, até os 20 minutos iniciais. No entanto a marcação era forte e não sobrava muito espaço para os atacantes das duas equipes. Cambalhota foi quem teve a primeira chance de abrir o placar, aos 3’, mas finalizou pra fora. O Alvinegro chegou com perigo aos 13 minutos, após cobrança de falta de Luisinho Netto, quando Douglas subiu e tocou de cabeça por cima da meta de Jociel.

A partir da metade da etapa inicial, o Iguaçu se recuperou e passou a criar chances pela faixa central do gramado. Aos 21’ Helton deu um toque por cima da defesa adversária e encontrou Hideo, mas Jociel saiu nos pés do meia iguaçuano para evitar que ele abrisse o placar. O Trieste respondeu aos 29” com um cabeceio de Romero em uma bola parada.

O “Japonês Voador da Suburbana” era o principal articulador dos mandantes. Hideo quis surpreender o goleiro Jociel aos 31’ com um chute alto, mas o goleiro tricolor estava atento. Ele tentou novamente após troca de passes pelo centro, mas de novo parou no arqueiro rival. Mesmo com mais chances iguaçuanas, a partida era equilibrada e a expectativa era de que os times adotassem uma postura mais ofensiva.

Os atletas iguaçuanos correram pra cima da arbitragem, alegando um tapa do zagueiro Jair (Foto: Dudu Nobre)
SEGUNDO TEMPO – Os dois times sabiam que o clássico era também um “jogo de seis pontos” no campeonato, por isso a pressão ia aumentando com o passar dos minutos. A primeira chance da etapa final foi visitante: Cambalhota recebeu um passe rasteiro aos 11’, ficou livre para marcar, porém Rodrigo dividiu com o atacante tricolor e evitou o gol da equipe visitante.

Igor poderia ter assustado a meta triestina aos 16’, mas levou um tapa do zagueiro Jair. O clima esquentou entre os jogadores e, após muita discussão, o árbitro Thiago Mendes Moreira mostrou o segundo amarelo ao atleta, deixando o Trieste com 10 em campo. Mesmo em desvantagem numérica o tricolor não recuou e o time da casa também chegava, deixando a partida eletrizante. Os visitantes criaram lance perigoso aos 26’, Roberto cobrou falta fechada e Rodrigo fez boa defesa. O Alvinegro respondeu com Alex Pinhais, que cabeceou por cima do gol.

Mas as melhores chances do jogo ainda estavam por vir. Aos 28’ Roberto chutou do meio da rua, Rodrigo soltou a bola e Bruno Batata não calibrou o chute por cobertura, colocando pela linha de fundo. Braian saiu do banco de reservas e teve a melhor oportunidade dos mandantes no jogo. Igor fez excelente passe e o jogador saiu sem marcação adversária, mas Jociel fechou bem o ângulo e o atacante desperdiçou.

Braian teve no pé direito a chance de sair do banco para dar a vitória aos mandantes, mas jogou pra fora (Foto: Dudu Nobre)
O Iguaçu ainda tentou abrir a contagem aos 43’, quando Alex Pinhais tocou de peito, mas a bola foi sem força e o goleiro segurou. Não tinha jeito: no Egydio Ricardo Pietrobelli, Iguaçu 0, Trieste 0. O alvinegro ficou em 4º e o tricolor em 3º lugar após o término da 8ª rodada. O Trieste jogará em casa na próxima semana contra o Imperial, enquanto que o Iguaçu visita o líder Fanny.
OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

IGUAÇU: 1 Rodrigo; 2 Luisinho Netto, 3 Douglas, 4 Emerson e 6 Aderaldo; 5 Erick, 8 Helton, 7 Tom Tom (18 Braian) e 10 Hideo; 9 Alex Pinhais e 11 Igor (Jonathan Ilha). Técnico: Juninho.

TRIESTE: 1 Jociel; 2 Jair, 3 Igor, 4 Romero e 6 Marabá; 5  Joãozinho (14 Bodão), 7 Grillo , 8 Aroldo (13 Neto) e 10 Rodrigo Crasso (15-Roberto); 9 Bruno Batata e 11 Marquinhos Cambalhota (17 Edu). Técnico: Ivo Petry.

FICHA TÉCNICA - IGUAÇU 0 X 0 TRIESTE XXXXXXXXXXXXXX

ARBITRAGEM: Thiago Mendes Moreira.
ASSISTENTES: Wesley Waldir Marmitt (1) e Roberto Rivelino dos Santos Junior (2).
AMARELOS: Feijão, Aderaldo, Felipe Melo, Hideo e Helton (Iguaçu); Jair, Romero (Trieste).
VERMELHOS: Jair (Trieste).

__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO