[SUB 20] Em jogo pegado, Atlético vence Coritiba com gol nos acréscimos

Foto: Dudu Nobre/Do Rico ao Pobre
O Atlético recebeu o Coritiba na noite dessa quarta-feira (30) na Arena da Baixada. O clássico era válido pela 3ª rodada da segunda fase do Brasileirão Sub20 e serviu como uma preliminar para o embate profissional do próximo dia 10. O jogo foi muito disputado e com entradas violentas, incluindo uma expulsão para cada lado. No fim, o Furacão venceu com um gol aos 48 minutos da segunda etapa e assumiu a liderança do Grupo E. A Equipe DRAP esteve na Baixada e fez algumas observações quanto aos futuros jogadores da principal dupla da nossa capital

#SUB20                                     
Por:@gabrielsawaf 

A noite quente em Curitiba esquentou ainda mais com o clássico Atletiba, realizado na Baixada. Tudo bem que era válido pela 3ª rodada da segunda fase do Brasileirão Sub20, mas já foi uma boa prévia do derbi que será realizado no próximo dia 10, no mesmo palco. As duas equipes chegavam empatadas na liderança do Grupo E, com quatro pontos. O que diferenciava os escretes eram os dados: o Coxa tinha o melhor ataque, com seis gols em dois jogos. O Furacão marcou apenas um, mas não sofreu nenhum. Além do clima de clássico. a prévia para o embate no Brasileiro também foi vista nas catracas: a biometria foi obrigatória para todos que foram ao Joaquim Américo, gerando alguma filas. 

Antes de falar sobre o embate, vamos relatar sobre a forma de atuar de cada equipes e sobre destaques que podem aparecer e brilharem nos escretes profissionais nos próximos anos. 

ATLÉTICO - O Rubro Negro jogava em casa e colocava na vitrine para sua torcida alguns jogadores que já tiveram passagem pelo time profissional neste ano: Renan Lodi, Jacy, Rhiuler, Murillo e Léo já se juntaram aos profissionais e marcaram presenças em alguns embates.  

Dento de campo a postura se assemelha bastante com o time principal, que é a principal filosofia das equipes do Atlético, que são lideradas por Paulo Autuori. O que muda são os nomes: Alex no meio, Vitinho e Marcelinho nas pontas, Rhiuner e Renzo na volância e Murillo no ataque. Outro ponto forte do Furacão era a defesa, que ainda não tomou gol nessa fase da competição. No fim, o Atlético mostrou que tem um elenco forte, tendo o placar decidido graças a jogadores que estavam no banco e a ousadia de quem entrou e mostrou serviço.

Foto: Dudu Nobre/Do Rico ao Pobre

FIQUE DE OLHO (Julian) - O embate já estava perto do seu final quando Tiago Nunes chamou Julian, mais exatamente aos 36 minutos. O meia de 18 foi festejado pelos torcedores e entrou no lugar de Alex, que estava ganhando está parte do texto para si. Porém, em apenas 15 minutos, Julian conseguiu apimentar o jogo e fazer grandes jogadas. Fez dois lances individuais que quase resultaram em gols, indo um para fora e outro nas mãos do goleiro. Além das chances desperdiçadas, Julian também se destacou pela movimentação - jogando em ambas as pontas. O que é muito importante visando o esquema adotado pelo Atlético em suas categorias e, essa posição, acabando ganhando uma grande importância dentro do plantel. Certamente, o jovem jogador deve ter deixado boas impressões a Fabiano Soares e Paulo Autuori, que assistiam o jogo junto à imprensa. 

Foto: Dudu Nobre/Do Rico ao Pobre
CORITIBA - Vindo com um poderoso ataque, o Coritiba chegou na liderança do grupo e mostrando um futebol bastante ofensivo. O nome de mais destaque era o do zagueiro Romércio, que ficou várias vezes no banco nesse Brasileiro. Para os fãs do amador, outra figurinha conhecida no elenco alviverde era o meia Matheus Costa, que surgiu no juvenil do Novo Mundo. Porém, apesar de não tão conhecida assim, a principal arma era o trio de ataque composto por Lalau, Mosquito e Yuri.  O que pareceu é que o Coxa teve muita dificuldade para jogar no gramado sintético e não conseguiu atuar bem errando muitos passes e perdendo bastante o controle da bola. Como o setor ofensivo não conseguiu atuar muito bem, o destaque ficou para a defesa, que segurou o resultado até os 48 minutos da segunda etapa.

Foto: Dudu Nobre/Do Rico ao Pobre

FIQUE DE OLHO  (Arthur) - Pela boa impressão e pela intensidade nos primeiros minutos, quem foi ao Joaquim Américo ver o clássico achou que o destaque viria do setor ofensivo. Pelas circunstâncias já citadas, o destaque acabou ficando para o início do time. De maneira mais específica, para o número 1 mesmo. Em um jogo muito truncado no meio, o jogadores do escrete do Alto da Glória não conseguindo criar muitas chances, o goleiro Arthur alcançou o status de destaque da partida no segundo tempo. Primeiro com uma linda defesa após cabeçada de Jacy (foto abaixo). Depois salvando o Coxa após excelente jogada de Julian. O gol não teve como salvar, mas o arqueiro coxa branca mostrou segurança em outros momentos do jogo que teve que trabalhar e pode dar esperanças a torcida do Verdão que as balizas do Alto da Glória estarão sobre boa proteção.

Foto: Dudu Nobre/Do Rico ao Pobre

O EMBATE - O jogo era promissor. Mas isto não se viu na maior parte da primeira etapa. Tentativas de jogadas inviduais erradas, lances de ousadia desnecessária e muitas entradas violentas marcaram o início do embate. A emoção ficou por conta da vez que Murillo recebeu boa enfiada e foi travado pela marcação, isto aos 25 minutos de jogo. E assim resumiu-se boa parte das chegadas das equipes: entravam na área e eram travadas pelos seus marcadores. O Coxa só chegou com perigo aos 37 minutos. Rusch cobrou escanteio da direita e Fernando Dinis testou para fora. O Furacão ainda assustou aos 43 minutos, quando Weverton subiu ao ataque e arriscou de fora da área, mandando a bola para fora. Sem muita criatividade, a primeira etapa chegou ao fim. 



A segunda etapa começou animada. Logo no primeiro minuto, Matheus Bueno tabelou com Yuri e chutou bonito por cima do gol. Aos 11 minutos o Furacão chegou. Thiago fez boa jogada pela direita e cruzou para Marcelinho, que finalizou desajeitado pra fora.  Os donos da casa voltaram a assustar aos 19 minutos, quando Alex bateu escanteio, Jacy subiu e cabeceou e Arthur fez grande defesa. O embate caiu na "mesmice" e ninguém arriscava muito. Até que uma grande confusão fez tudo pegar fogo. Danilo e Léo se estranham e todo mundo foi pra cima de todo mundo. No fim, os dois precursores foram expulsos.

O jogo ficou muito pareio até os acréscimos. Quando as alterações atleticanas fizeram efeito. Aos 45 minutos, Julian fez grande jogada pela direita e finalizou para grande defesa de Arthur. Na sobra, Thiago testou e a zaga salvou. O camisa 19 entrou com tudo e dois minutos depois fez boa jogada individual e chutou para fora. Mas o prêmio estava para o banco. Aos 48 minutos Demethryus fez boa jogada individual e cruzou para trás. Thiago se apresentou e chutou firme. A zaga alviverde ainda tentou cortar mas a bola balançou a rede e decretou a vitória Rubro Negra, fazendo a torcida e os jogadores realizarem uma grande festa na Baixada. 


Foto: Dudu Nobre/Do Rico ao Pobre

As equipes voltam a campo pelo certame nacional no próximo dia 06, onde novamente se enfrentam, em partida marcada para o Ecoestádio, as 15h. 


OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

ATLÉTICO: 1 Caio; 2 Breno, 3 Jacy, 4 Weverton e 6 Renan Lodi; 5 Renzo, 8 Rhiuler (20 Demethryus), 7 Marcelinho (15 Geovane), 10 Alex (19 Julian) e 11 Vitinho (17 Thiago); 9 Murillo (18 Danilo). Técnico: Tiago Nunes.

CORITIBA: 1 Arthur; 2 Araújo, 3 Fernando Dinis. 4 Romércio e 6 Léo; 5 Carvalho, 8 Rusch e 10 Matheus Bueno (13 Willian); 7 Lalau (21 Luizinho), 11 Mosquito e 9 Yuri (20 Fernandinho).  Técnico: Sandro Forner.

FICHA TÉCNICA ATLÉTICO 1 X 0 CORITIBA XXXXXXXXXXX

GOL: Thiago, aos 48' do 2ºT, para o Atlético.
CA: Demethryus (Atlético)
CV: Danilo (Atlético); Léo (Coritiba)


__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO