Em partida movimentada, Coritiba e Santos não saem do zero no Couto


Na noite deste domingo (20) o Coritiba recebeu o Santos, pela 21ª rodada do Brasileirão. A chuva não parou de cair em nenhum dos 90 minutos de embate, deixando o jogo mais rápido. Os primeiros minutos pareciam mostrar que o jogo seria um dos melhores, mas as equipes pecaram muito e também contaram com ótimas atuações dos seus sistemas defensivos. Na segunda etapa os escretes finalizaram mais, porém pararam nos goleiros e na trave. O placar zerado foi prejudicial ao Verdão, que vê a zona de rebaixamento se aproximar cada vez mais.

#SÉRIEA2017

PRÉ-JOGO: O Coritiba recebeu o Santos no último horário de jogos do domingo pelo Brasileirão. O Verdão entrou em campo sabendo da vitória do Vitória e também dos triunfos de Bahia e Ponte Preta, que fizeram o escrete do Alto da Glória para a parte de baixo. Para vencer e tentar não se aproximar da zona de rebaixamento, o treinador alviverde promoveu algumas mudanças para enfrentar o Peixe, como o retorno de Iago Dias e Walisson Maia e a entrada de João Paulo no time titular, algo inédito nessa temporada. Já o Alvinegro Praiano veio a Curitiba tentando vencer para colar no Grêmio e tentar diminuir a vantagem para o Corinthians. 

PRIMEIRO TEMPO - O Coritiba começou o jogo a mil. Logo na saída de bola, Alecsandro roubou a bola, lançou Iago Dias que cruzou na área, a defesa cortou e a bola sobrou para Alan Santos, que chutou com desvio, fazendo a bola passar perto do travessão, isto só com apenas 12 segundos. No minuto seguinte, Alecsandro arriscou de fora da área e assustou Vanderlei. Como quatro minutos o escrete alviverde teve dois escanteios. A estratégia de Marcelo Oliveira era clara: marcar o time visitante no seu campo de defesa. Com o passar do tempo, a postura do Coxa começou a deixar espaços na defesa, tendo uma grande chance aos dez minutos, quando Kayke foi lançado para ficar de frente a Wilson, mas foi travado por Marcio. Aos poucos o Peixe foi chegando mais perto do gol de Wilson e teve sua primeira finalização aos 14 minutos, quando Lucas Lima bateu falta por cima do gol de Wilson. O Alviverde respondeu no minuto seguinte, quando Iago Dias cruzou para Alecsandro, que tentou de bicicleta, mas a jogada parou tranquilamente nas mãos de Vanderlei.

Com o passar do tempo a partida caiu muito de nível. As equipes erraram muitos passes e não conseguiam finalizar. Quando tentavam, arriscavam de longe, e proporcionavam lances pitorescos, como no chute de Copete, que mandou a bola para a galera da Mauá. A bola chegou próxima de uma das traves só aos 24 minutos, quando Vanderlei bateu tiro de meta, Bruno Henrique resvalou de cabeça e a bola sobrou para Kayke, que chutou rasteiro para fora. De resto, as equipes ficavam muito com a bola no meio de campo, sem acertar passes ou lançamentos longos. 



As equipes mostravam ter poucas alternativas. O Coxa tentava muito pelas nas jogadas pelas laterais, principalmente pela direita com Léo e Iago Dias, porém sem dar muito perigo a Vanderlei. Já o Santos contava muito com Lucas Lima, que tentava trabalhar com os pontas Bruno Henrique e Copete, mas as investidas santistas paravam em boas atuações de Alan Santos e Marcio. Com isto, as chances de gol foram poucas. O Coritiba chegou aos 35 minutos, quando Thiago Carleto arriscou de fora da área, mas a bola chegou a mão de Vanderlei sem sustos. O Peixe fez a bola encontrar Wilson aos 43 minutos, quando Copete fez boa jogada individual, indo da ala esquerda ate a meia lua, mas chutou desequilibrado e sem força. 



SEGUNDO TEMPO - A etapa final começou da mesma forma que a inicial, com um time pressionando logo de cara e ficando no campo de ataque nos primeiros minutos. Só que dessa vez quem fez isto foi o Santos, que assustou Wilson aos dois minutos, quando Lucas Lima fez boa jogada individual e a bola sobrou para Kayke, que chutou forte na rede pelo lado de fora. O Verdão respondeu e seguia apostando nas jogadas pelas laterais, assustando aos cinco minutos, quando Iago Dias finalizou bonito da entrada direita da área e obrigou Vanderlei a fazer excelente defesa. A chuva ficou intensa e fez com que as bolas rasteiras ficassem mais rápidas, e venenosas se fossem na direção do gol. Foi assim que aos oito minutos Thiago Carleto fez Vanderlei trabalhar, quando arriscou de fora da área e contou com um desvio, que acelerou a trajetória e quase fez a finalização ser mortal. O embate ficou animado e o Peixe chegou logo no minuto seguinte. Bruno Henrique fez boa jogada pela esquerda e cruzou, João Paulo cortou e a bola ficou oferecida para Léo Citadini, que pegou mal e chutou para fora. 

Assim como na primeira etapa, os minutos iniciais acelerados não prosseguiram durante o embate. Para tentar animar o confronto os treinadores promoveram alterações. Marcelo Oliveira colocou Anderson, que voltava de lesão, no lugar de Iago Dias e pouco depois sacou Matheus Galdezani, que estava amarelado, para colocar Neto Berola. Já Levir Culpi promoveu a estréia de Nilmar pelo Peixe, colocando o atacante no lugar de Kayke. Com as alterações o jogo ganhou mais velocidade, porém os times não conseguiam finalizar, devido as ótimas atuações de ambos os escretes. Os sustos vieram de formas inesperadas. Aos 26 minutos Neto Berola foi cruzar na área e pegou errado, mas a bola foi em direção ao gol e Vanderlei teve que ir na bola para evitar que ela chegasse na rede. No minuto seguinte foi a vez de Copete chutar de fora da área, a bola parecia sem rumo, porém desviou em Walisson Maia e quase matou Wilson. 


Com o jogo chegando no fim as equipes começaram a se arriscar mais para tentar o gol triunfante. Aos 32 minutos Léo Citadini lançou Bruno Henrique, que saiu cara a cara com Wilson, que saiu bem e fez grande defesa. Marcelo Oliveira tentou dar mais ofensividade ao seu escrete e colocou Filigrana no lugar de Thiago Carleto. Logo na primeira jogada do colombiano, aos 33 minutos, ele recebeu na área e ajeitou para Alan Santos, que ajeitou e chutou colocado na trave. Os escretes permaneceram em cima, porém não conseguiam caprichar e levar perigo real aos goleiros. No último minuto, Neto Berola fez boa jogada pela esquerda e furou na hora de finalizar. Foi a última chance para os dois lados, findando o marcador sem gols.


O placar zerado não ajudou nenhuma das duas equipes. O Coxa ficou com 26 pontos, na 14ª colocação, e viu a Chapecoense, que ganhou do Palmeiras, chegar a 25, e está a três pontos do São Paulo, primeiro time da zona de rebaixamento. O Alvinegro viu o Corinthians se afastar mais ainda. Com o empate o Peixe chegou a 37 pontos, parando na terceira colocação e  ficando a dez do líder. Na próxima rodada, o escrete santista vai a Belo Horizonte enfrentar o Cruzeiro, no domingo. Já o Verdão recebe o Vitória na segunda-feira no Couto, em confronto direto das posições de baixo da tabela.




OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX


CORITIBA: 84 Wilson; 22 Léo, 74 Marcio, 21 Walisson Maia e 66 William Matheus; 5 Alan Santos, 20 Matheus Galdezani (9 Neto Berola), 31 João Paulo e 88 Thiago Carleto (90 Filigrana); 7 Iago Dias (18 Anderson) e 85 Alecsandro. Técnico: Marcelo Oliveira.

SANTOS: 1 Vanderlei; 4 Victor Ferraz, 28 Lucas Verrisimo, 14 David Braz e 37 Zeca; 5 Alison, 19 Léo Citadini e 10 Lucas Lima; 27 Bruno Henrique, 36 Copete e 11 Kayke (18 Nilmar). Técnico: Levir Culpi.


FICHA TÉCNICA - CORITIBA 0 X 0 SANTOS XXXXXXXXXXXXXXX

AMARELOS: Marcio, Matheus Galdezani e Neto Berola (Coritiba); Lucas Lima (Santos).


__________________________________________

DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO