Em clássico pegado, Novo Mundo e Capão Raso ficam no empate


Rodolfo foi uma das válvulas de escape do time da casa (Foto: Bia Lima)
Neste sábado (26) o Novo Mundo encarou o Capão Raso na Arena Vermelha pela 4ª rodada da Série A da Suburbana. As duas equipes fizeram uma partida disputada onde no final o equilíbrio prevaleceu. O empate em 1 a 1, gols de Rogério para o Alvirrubro e Marcelinho para o Tricolor, ficou amargo para os dois times.

#SUBURBANA2017

PRIMEIRO TEMPO - O confronto iniciou equilibrado e aberto, com as equipes indo pra cima. No primeiro avanço de maior perigo, aos 5', Rogério apareceu sozinho e ficaria de frente para o goleiro, mas estava impedido. O Novo Mundo conseguia se aproximar mais da área, porém faltava o último passe para a chance de gol aparecer.

A primeira finalização mais precisa foi de Caíque, que chutou de fora da área e mandou por cima do gol. Aos 12', jogada pela direita e Gui cruzou rasteiro para Rogério chegar livre e empurrar para a rede, 1 a 0 Novo Mundo. Após o gol, a pressão seguiu com os donos da casa, que arriscavam nos chutes de longe. 

Já o Capão Raso não conseguia seguir muito tempo com a bola nos pés, pecando nos passes e nas jogadas de mais profundidade. Aos 21', falta perigosa para o time tricolor, mas a bola ficou na barreira. Com 23', os visitantes vinham com mais espaço e Juarez acabou arriscando de fora da área, mas chutou para fora. 

O Tricolor de Aço foi tomando conta do jogo e chegava mais nas bolas paradas, procurando o tento de empate. Também nas bolas paradas, o Alvirrubro voltou ao jogo, procurando nos cruzamentos o camisa 9 Rogério. Como os times não trabalhavam a bola, a partida ficou truncada com muitos lançamentos diretos, que eram mais fáceis de serem cortados. 

Apenas duas chances ao final do primeiro tempo. Aos 46', ataque do Novo Mundo e Caíque chegou chutando para defesa de Gê. O arqueiro também trabalhou aos 48' em cobrança de falta de Alex na entrada da área.

Com o empate o Alvirrubro cai para sexto lugar, ultrapassado por Fanny e Quitéria (Foto: Bia Lima)
SEGUNDO TEMPO - A segunda etapa começou com o Novo Mundo buscando jogadas pela ponta, principalmente com o rápido Rodolfo. O jogo ficou pegado e com dois amarelos  para o Capão Raso. As chances não aconteciam e as ações paravam muito nos passes errados. Aos 15', quando a partida parecia não caminhar para maiores perigos, Marcelinho recebeu grande lançamento e saiu de cara pro gol, tocando por baixo das pernas do arqueiro para igualar o marcador.

A partida voltou a ter mais ação e os dois times se lançaram ao ataque, mas não evitava que o jogo não continuasse faltoso. Rodolfo seguia jogando bem e aos 27' quase marcou ao tentar encobrir Gê, que estava adiantado. A resposta do Capão Raso veio com Diego, que cabeceou cruzamento por cima do gol e assustou o goleiro André. 

O reflexo do jogo faltoso aconteceu aos 40' quando Guilherme Lino foi expulso por uma segunda falta forte e deixou o Novo Mundo com um a menos. Aos 48', na bacia das almas, Lincon desviou de cabeça e quase fez para os donos da casa, mas não mexeu no placar final: Novo Mundo 1, Capão Raso 1. 

O Tricolor de Aço também ficou para trás do Auriverde, ocupando a oitava posição (Foto: Bia Lima)
OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

NOVO MUNDO: 1 André; 2 Gui, 3 Fabrício, 4 Hudson (13 Luiz Maciel), 5 Jean (16 Diego), 6 Alex, 7 Evandro, 8 Caíque, 9 Rogério, 10 Bruno (19 Guilherme Lino) e 11 Rodolfo (17 Izael). Técnico: Altevir Sales.

CAPÃO RASO: 1 Gê; 2 Felipe, 3 Taxinha, 4 Jean, 5 Daniel, 6 Bruninho, 7 Juarez, 8 Peter (18 Lincon), 9 Diego, 10 Roney e 11 Marcelinho. Técnico: Júnior Saurin.

FICHA TÉCNICA – CAPÃO RASO 1 X 1 NOVO MUNDO XXXXXXXXXXXX

ÁRBITRO: Régis Eduardo da Silveira
ASSISTENTES: Daniel Cotrim de Carvalho (1) e Marco Aurélio dos Santos (2)
GOLS: Rogério aos 12' do 1°T (Novo Mundo) e Marcelinho aos 15' do 2°T (Capão Raso).
AMARELOS: Alex e Guilherme Lino (Novo Mundo); Juarez, Taxinha e Roney (Capão Raso).
VERMELHOS: Guilherme Lino (Novo Mundo).


__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO