Bruno Batata, o destaque da partida entre Trieste e Vila Sandra

O atacante tricolor divide a artilharia com o companheiro Cambalhota e com Dinda, do Uberlândia (Foto: Arthur Henrique)
No último sábado (26) o Trieste assumiu a liderança da Série A da Suburbana ao vencer o Vila Sandra por 4 a 1. O tricolor foi ganhando confiança ao longo do jogo para construir o placar, muito pela atuação de gala do centroavante Bruno Batata, que com dois gols e uma assistência tornou-se a sexta figurinha da Divisão Especial do Futebol Amador de Curitiba.

#FIGURINHA DO JOGO


Após uma boa estreia na semana anterior contra o Capão Raso, Bruno estava em condições bem melhores que no José Carlos de Oliveira Sobrinho, já que o clima era ensolarado e o gramado estava em perfeito estado.

Na primeira etapa o camisa 9 da Colônia já mostrava que estava afim de jogo, vindo tabelar na intermediária e puxando alguns contra golpes. No entanto faltava acertar a pontaria, já que em duas oportunidades o chute foi pela linha de fundo.

Na volta do intervalo Batata calibrou o pé e decidiu em um momento importante. O placar estava empatado e o Vila neutralizava a troca de passes Triestina quando Bruno recebeu na esquerda do ataque e apostou na individualidade. Deu certo, passou por três jogadores e chutou no canto esquerdo para fazer 2 a 1.

A vantagem desestabilizou o adversário, prova disso foi o chapéu que o centroavante aplicou em Dedé (lance no qual estava de costas para o marcador). Com isso o time criava ao natural, como aos 14’ quando Bruninho cruzou e Batata deu o gol para Cambalhota – mostrando frieza ao evitar o chute na marcação.

Aos 45’ o jogo parecia definido quando Jociel lançou ao ataque. Uma bola alta, difícil para dominar. Mas Bruno deu a prova cabal de sua categoria: de costas pro gol, controlou a redonda antes dela cair no chão e em um toque a deixou pronta para o chute, aí foi só correr pro abraço. Com quatro gols em dois jogos, o camisa 9 da Colônia avisa que não veio para passear no futebol amador.
__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO