Atlético-PR goleia o Avaí e se reencontra com a vitória em casa


O Atlético entrou em campo na noite desta quinta-feira (03) jogando sob pressão. Mesmo com a vitória contra o Vasco na última rodada, o Furacão precisava da vitória para voltar a vencer em casa e se afastar da zona de rebaixamento. Se a vitória bastava, o escrete rubro-negro fez ainda mais, aplicando uma sonora goleada de 5 a 0 no Avaí, com dois gols de Guilherme, dois de Eduardo Henrique e um contra de Capa. Com o placar de mão cheia, a equipe atleticana se afastou da zona da degola e da esperanças de dias melhores para a sua torcida.
t
#SÉRIEA2017

PRÉ-JOGO: O Atlético chegava para o embate contra o Avaí aliviado, depois da vitória diante do Vasco, mas pressionado, pois precisava de uma vitória para se afastar de vez da zona de rebaixamento, já que no início da rodada a distância para o 17º era de apenas um ponto. Para conseguir seu primeiro triunfo na Baixada, o técnico Fabiano Soares promoveu mudanças no Furacão, iniciando com Guilherme e Lucas Fernandes na meia cancha e com o retorno de Thiago Heleno. Já o Leão da Ilha tentava buscar uma vitória, que poderia tirá-lo da zona da degola. 

PRIMEIRO TEMPO - Com a bola rolando, o Atlético tentava ficar mais com ela, o que está se tornando habitual após a chegada de Fabiano Soares, mas os visitantes não davam sossego e marcavam bem, saindo no contra ataque. Dessa forma o Leão teve a primeira chance de perigo do jogo. Júnior Dutra recebeu pela direita, passou por Thiago Heleno e chutou para fora, quando o relógio marcava sete minutos. O Rubro Negro chegou a ficar com quase 90% da passe de bola no começo do jogo e teve que trabalhar melhor suas jogadas para passar pela marcação catarinense e assustar Douglas. A primeira que isto aconteceu foi aos dez minutos, quando Pavez chutou para defesa tranquila do arqueiro adversário. Aos 13 o chileno recebeu na pressão e tocou de primeira para Lucas Fernandes, que chutou rasteiro para fora. 


O posicionamento da defesa adversária dificultava muito o jogo atleticano, que precisava ficar tocando a bola até encontrar um espaço, o que irritou a torcida e gerou vaias aos 20 minutos de andamento. Uma das soluções encontradas foi apostar na bola área. Aos 21 minutos quase funcionou. Nikão cruzou na área, Lucas Fernandes fez um belo domínio, mas não chutou e nem tocou para Ribamar, fazendo a bola passar na frente do gol de Douglas. Outra solução que quase funcionou foi a bola parada. Aos 25 minutos Nikão bateu falta da intermediária e obrigou Douglas a fazer boa defesa, no rebote Ribamar não aproveitou.

O Furacão controlava o jogo e criava suas chances, tentando na bola cruzada, aos 31, quando a redonda sobrou para Lucas Fernandes, que foi travado na hora da finalização. Se os cruzamentos não dava resultados, a bola parada tinha que dar. E aos 34 minutos Matheus Rossetto bateu falta que explodiu na barreira e sobrou para Guilherme, que só teve o trabalho de empurrar para as redes e abrir o marcador. Com o placar em aberto, o Avaí tentou sair mais para o jogo e ficava mais com a bola, porém não chegou a criar nenhuma boa chegada. Já o Atlético teve a baixa de Sidcley, que saiu machucado, dando lugar para o estreante Fabrício. Controlando a bola, o Rubro Negro foi para o vestiário com a vantagem mínima. 

SEGUNDO TEMPO - O Atlético iniciou a segunda etapa mais com a bola, marcando o Avaí no campo de defesa, dificultando a saída de bola dos visitantes e buscando o segundo gol. O Avaí assustou primeiro, quando Pedro Castro chutou para grande defesa de Weverton. Depois só deu Furacão. Aos 11 minutos Cascardo chutou de longe, Douglas deu rebote nos pés de Guilherme, que marcou o segundo. Dois minutos depois Nikão fez boa jogada pela esquerda, cruzou na área e Capa empurrou contra o próprio patrimônio, fazendo o terceiro rubro negro no jogo.


Com o marcador amplo ao seu favor, o Atlético só controlou o jogo. O treinador Fabiano Soares colocou Éderson e Eduardo Henrique nos lugares de Ribamar e Matheus Rossetto. O Leão tentava chegar, mas nada conseguia. O Furacão aproveitava a velocidade do seu ataque para chegar bem a área e ampliar o marcador. Eduardo Henrique tabelou com Guilherme entrou na área e fez o quarto, aos 26 minutos. 

O Furacão goleava e tinha o jogo nas mãos e ficava mais no campo de ataque e ameaçando ainda mais. A goleada ficou ainda maior quando aos 33 minutos Éderson, curtindo uma de ponta, cruzou a bola na cabeça de Eduardo Henrique, o volante subiu bonito e marcou o seu segundo gol no jogo. O clima tenso do início da partida ficou pra trás, a goleada trouxe harmonia entre a torcida, gritos de olé e até de esperança em relação ao confronto da Libertadores, perante ao Santos semana que vem. E após muito tempo, o Atlético saiu de campo sem vaias e devidamente aplaudido pela sua torcida.

Antes do confronto decisivo pela Libertadores, o Furacão vai até São Paulo enfrentar o Palmeiras no final de semana, em busca da terceira vitória consecutiva na competição.


OS ESCRETES  XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

ATLÉTICO-PR: 12 Weverton; 47 Cascardo, 25 Wanderson, 44 Thiago Heleno e 8 Sidcley (87 Fabrício); 21 Pavez, 20 Matheus Rossetto (6 Eduardo Henrique), 17 Guilherme, 23 Lucas Fernandes e 11 Nikão; 9 Ribamar (91 Ederson). Técnico: Fabiano Soares.

AVAÍ: 22 Douglas; 2 Leandro Silva, 4 Alemão, 3 Betão e 6 Capa; 93 Judson, 7 Simião (21 Luanzinho) e 26 Pedro Castro; 99 Joel (28 Willians), 11 Romulo (30 Maurinho) e 9 Júnior Dutra. Técnico: Claudinei Oliveira.

FICHA TÉCNICA - ATLÉTICO 5 X 0 AVAÍ XXXXXXXXXXXXXXX

GOLS: Guilherme aos 34' do 1°T e aos 11' do 2ºT, Capa (GC) aos 13' do 2ºT e Eduardo Henrique aos 26' do 2T e 33' do 2ºT para o Atlético.
AMARELOS: Matheus Rossetto (Atlético); Betão e Judson (Avaí).



__________________________________________

DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO