Paraná Clube goleia o Brasil de Pelotas e se reencontra com a vitória


Na noite fria dessa terça-feira (18) o Paraná recebeu o Brasil de Pelotas na Vila Capanema, tentando se afastar da zona de rebaixamento. Jogando com o treinador interino, o Tricolor saiu atrás do marcador e foi buscar o empate ainda na primeira etapa. No segundo tempo o escrete da Vila foi melhor e dominou o embate, conquistando a virada e fazendo o marcador virar goleada, por 4 a 1. O Paraná voltou a vencer após três rodadas e volta a pensar em acesso.
#SÉRIE B

PRÉ-JOGO: Tudo diferente. Na última vez que o Paraná Clube teve um embate a frente de sua torcida, quando enfrentou o América Mineiro, a situação era completamente o oposto de atualmente. O Tricolor estava de olho no G4, vinha de uma vitória e a Vila recebia um bom público. Já pela 15ª rodada, diante do Brasil de Pelotas o cenário era outro. O escrete não foi comandado por Cristian de Souza, demitido após a derrota para o Oeste, que foi a segunda em sequência. 

O olhar agora era para se afastar da zona de rebaixamento e tentar pensar novamente em se aproximar dos primeiros colocados. De novo no Tricolor havia a estreia do zagueiro Iago Maidana e o retorno do goleiro Marcos ao banco e reservas. O Rubro Negro também vinha com o mesmo pensamento, já que entrou em campo com os mesmos 17 pontos que o Paraná. Além das dificuldades na tabela, os escretes também encararam um frio de doer na espinha, já que a temperatura beira os seis graus no início do embate.

Primeiro Tempo - Os primeiros minutos foram um verdadeiro show de horror aos torcedores. Primeiro Minho foi dar um toque de letra e acertou o próprio joelho, com 20 segundos de jogo, e a bola foi para lateral. Na cobrança, a bola escorregou da mão de Wender para completar a bizarrice. Depois foram dois bate rebotes em sequência. Em meio as tranqueiras do jogo, o Paraná teve a primeira chance do jogo, em chute de fora da área de Leandro Vilela, que parou nas mãos do goleiro Marcelo Pitol, aos dois minutos. O Brasil teve sua primeira chance na bola parada. Itaqui, que já marcou em cima do Tricolor quando jogava pelo São Bento, cobrou falta de longe e a bola passo ao lado do gol de Richard. As duas equipes abusavam nos erros de passes e em jogadas mal feitas. E foi num erro que a rede balançou. Iago Maidana errou a saída de bola, o Rubro Negro foi para o ataque e Rodrigo Silva tentou "chapelar" Cristovam, o lateral ganhou, mas a bola sobrou para Itaqui, que finalizou firme e abriu o marcador. 



Atrás no marcador, o Paraná teve que se soltar para buscar o empate, e conseguiu. Aos 20 minutos Jhony cruzou buscando Minho, a zaga gaúcha cortou e a bola sobrou para João Pedro, que tocou para Robson, que invadiu e chutou no canto direito de Pitol, que não conseguiu segurar e viu a rede balançar. Com o placar empatado novamente, o jogo voltou a ficar truncado no meio, e as duas equipes apostavam em jogadas individuais com habilidade e em bola paradas. O Xavante chegou aos 28 minutos, quando Rafinha chuto de fora da área e Richard defendeu em dois tempos. Os visitantes se animaram e chegaram de novo. Itaqui fez boa jogada pelo meio e tocou para Rafinha, que invadiu a área pela esquerda, fintou Cristovam e finalizo para grande defesa de Richard. No lance o atacante xavante se machucou e teve que ser substituído, dando lugar à William Ribeiro.

O Paraná apostava muito nas jogadas pelas laterais, e assim voltou a assustar. Aos 35 minutos Cristovam fez boa jogada e a bola encontrou Robson, que subiu bem e cabeceou para firme defesa de Marcelo Pitol. A chance animou o Tricolor, que voltou a chegar no minuto seguinte, quando João Pedro chutou rasteiro de fora da área e a bola passou ao lado da trave. O escrete mandante chegou novamente aos 38 minutos, quando Minho foi acionar Robson, a bola sobrou para Igor que entro na área e finalizou para fora. O Paraná se animou e pressionou o Brasil no final da primeira etapa. Aos 43 minutos, Leandro Vilela lançou Robson, que foi prensado pelo goleiro Pitol antes de finalizar. Ainda deu tempo do goleiro xavante fazer ao seu milagre. Aos 44 minutos Alemão recebeu na entrada da área, girou e chutou para grande defesa do arqueiro. 



Segundo Tempo - A segunda etapa começou como ficou em boa parte da primeira etapa, com jogadas truncadas no meio e com mudanças na temperatura: apenas três graus na noite fria curitibana. O Tricolor continuou apostando nas laterais, e foi assim que quase chegou a virada. Cristovam fez boa jogada pela direita e tocou para Robson, que finalizou de fora da área para grande defesa de Marcelo Pitol. O escrete da Vila mostrava chegar com perigo em chutes de longe. Aos setes minutos João Pedro bateu falta e a bola passou por cima do ângulo esquerdo de Pitol. O Paraná pressionava e conseguiu a virada. Aos dez minutos João Pedro cobrou falta, a bola sobrou para Robson, que teve a bola roubada por Eduardo Brock, que finalizou, a bola desviou em Leandro Camilo, e morreu nas redes, ativando a lei do ex pelo lado Tricolor

A frente no marcador, o Paraná jogou com mais tranquilidade atrás e tirou um caminhão das costas. Para controlar mais o meio o treinador Matheus Costa colocou Renatinho no lugar de Minho. O Tricolor seguiu no ataque e criando chances. Aos 21 minutos Leandro Vilela chutou, a bola desviou na zaga e sobrou para Cristovam, que cruzou para Renatinho, o meia chegou atrasado, mas tentou de calcanhar, mandando a bola por cima do gol. Aos 23 minutos Renatinho bateu escanteio, a zaga afastou mal e Alemão, que tentou de voleio e mandou por cima da balisa. O escrete xavante só chegou aos 25 minutos, quando Itaqui, sempre ele, bateu falta de longe com efeito, a bola quase enganou Richard, que fez a defesa em dois tempos. 

Os gaúchos se animaram e chegaram novamente no minuto seguinte, quando Marcinho fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Rodrigo Silva, que não empatou somente pela chegada do lateral Igor, que deu um carrinho e jogou para escanteio. Quando os visitantes ameaçavam uma pressão, o Tricolor aproveitou a frágil defesa rubro negra para ampliar o marcador. Cristovam fez boa jogada pela direita e invadiu a área, quando finalizou o goleiro fez grande defesa. A bola seguiu viva, Cristovam e Felipe Alves não conseguiam se decidir o que fazer e a bola sobrou pro lateral, que tentou cortar Evaldo, o zagueiro cortou, só que com a mão. Pênalti, cartão vermelho para o defensor, e gol de Robson, que bateu firme no meio do gol, aos 30 minutos da segunda etapa. 

Não deu nem tempo dos gaúchos se organizarem, pois Felipe Alves recuperou a bola na saída e lançou Renatinho, que finalizou rasteiro e transformou em goleada o marcador. Depois disto o Tricolor controlou a bola e ameaçava chegar no ataque. O Brasil ainda assustou aos 41 minutos, quando Itaqui cobrou falta na cabeça de Gustavo Papa, que teve a finalização cortada por Brock. Ainda deu tempo do Paraná chegar aos 47 minutos com Renatinho, que foi travado por Itaqui.



OS ESCRETES  xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Paraná Clube: 1 Richard; 2 Cristovam, 3 Eduardo Brock, 4 Maidana e 6 Igor; 5 Jhony, 8 Leandro Vilela e 10 João Pedro (15 Zezinho); 7 Robson, 9 Alemão (18 Felipe Alves) e 11 Minho (17 Renatinho). T: Matheus Costa. T: Matheus Costa.

Brasil de Pelotas: 1 Marcelo Pitol; 2 Wender, 3 Leandro Camilo, 4 Evaldo e 6 Breno; 5 Itaqui, 7 Marcinho, 8 João Afonso e 11 Nem (14 Teco); 9 Rodrigo Silva  (18 Gustavo Papa) e 10 Rafinha (17 William Ribeiro). T: Rogério Zimmermann. 

FICHA TECNICA - PARANÁ CLUBE 4 X 1 BRASIL DE PELOTAS XXXXX

Cartão Amarelo: Evaldo (Brasil de Pelotas).
Cartão Vermelho: Evaldo (Brasil de Pelotas).
Gols: Itaqui, para o Brasil de Pelotas, aos 13' do 1ºT; Robson aos 20' do 1ºT  e aos 30' do 2ºT, Eduardo Brock, aos 10' do 2ºT, e Renatinho, aos 31' do 2ºT, para o Paraná.


__________________________________________

DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO