Operário ganha nos pênaltis do Espírito Santo e está próximo do acesso

Comemoração da equipe do Fantasma após repetir a façanha de dois anos atrás, conquistar a vaga para a fase de quartas de final da Série D nas penalidades (Foto: Danilo Schleder)

Operário Ferroviário e Espírito Santo duelaram na tarde deste domingo (30), no Estádio Germano Kruger, em confronto válido pelo jogo de volta da fase de oitavas de final do Campeonato Brasileiro da Série D. Com casa cheia, a equipe alvinegra venceu pelo mesmo placar do jogo de ida e, por isso, a vaga foi decidida nas penalidades máximas. Com 100% de aproveitamento e com duas cobranças desperdiçadas do escrete capixaba, a equipe alvinegra conseguiu o triunfo e agora está próxima do acesso à Série C.

#SÉRIE D

PRÉ-JOGO: No primeiro tempo dos 180’, a equipe do Espírito Santo conseguiu o triunfo por um gol de diferença. Mas dentro do Estádio Germano Kruger o escrete do Operário não sabe o que é perder, mesmo que do outro lado, o time capixaba também não sabia o que é derrota fora de seu mando. O outro destaque entre as equipes é choque das duas melhores defesa do certame. Números que já premeditavam que o embate não seria nada fácil para o time da cidade de Ponta Grossa, que necessitava de uma vitória simples para levar para as penalidades ou por dois gols para garantir a classificação direta. Mas do outro lado, a equipe do Espírito Santo conquista a vaga para a próxima fase com um empate.

PRIMEIRO TEMPO: Com bola rolando, a equipe do Operário já nos primeiros minutos tentou procurar o gol.  Em poucos minutos, o escrete do fantasma chegou pelo menos duas vezes. Destaque para Lucas Batatinha, o jogador mais acionado no setor de ataque da equipe da casa. Mas sem sucesso, com a forte marcação da equipe capixaba. Em meio a isso, várias faltas aconteceram a favor da equipe alvinegra com 10’ decorridos. Mas do outro lado, a equipe do Espírito Santo também assustou com jogadas de contra-ataque.

Com 15’, a equipe da casa continuou com mais de posse de bola. Devido a isso, o escrete paranaense conseguiu chegar e assustar mais vezes o goleiro Alan. Novamente, Lucas Batatinha recebeu, com jogada iniciada por Washington, e fez jogada individual arrematando, mas o arqueiro afastou o perigo.  Aos poucos a equipe visitante foi arramando o jogo e com 22’ o jogo foi paralisado com atendimento ao jogador do time capixaba. Fato que deixou irritado os jogadores da equipe paranaense. Minutos depois, Ronaldo saiu por lesão e no seu lugar entrou Ranieri.

Passado dos 30’, o time do Operário diminuiu as ações ofensivas, pois o time do Espírito Santo, bem postado defensivamente, segurou firme a tentativa de ataque. Mesmo assim, aos 32’, a equipe do Fantasma conseguiu furar o bloqueio, mas foi travado com falta. Na cobrança, Athos não aproveitou a oportunidade, para a tranquilidade do arqueiro Alan. Nos minutos finais, empurrado por sua torcida, o escrete do Operário quase chegou a marcar o primeiro tento. Após cobrança de escanteio, Índio arrematou na primeira tentativa, mas sem sucesso. Na segunda, Quirino arrematou e Alan Faria fez ótima defesa e tranquilizou a equipe do Espírito Santo, mantendo o placar fechado. Lance que motivou ainda mais a equipe da casa, que na sequência conseguiu chegar algumas vezes à meta do arqueiro escrete capixaba, mas sem sucesso e o placar terminou fechado.

Jean Carlo converteu e anotou o último tento nas penalidades a favor do Fantasma. (Foto: Danilo Schleder)

SEGUNDO TEMPO: No retorno para a segunda etapa, as duas equipes retornaram com os mesmo jogadores que terminaram a etapa inicial.  Além disso, a postura da equipe da casa foi mantida com a conversa do intervalo com o treinador Gerson Gusmão. Ou seja, o time do Operário com mais posse de bola pressionou logo nos primeiros minutos da etapa complementar. Mas sem efetividade. Com 10’, as duas equipes realizaram alterações. No lado visitante, o atacante João Paulo saiu lesionado e entrou o meia Makele. Com isso, o time capixaba ficou mais defensivo. Do outro lado, o meio campista Robinho entrou no lugar do lateral Acácio, com o intuito de deixar o time do Fantasma mais ofensivo. O troca-troca pelo lado do time da casa não resultou em algo imediato, já que o escrete capixaba esteve bem postado defensivamente. Neste período, o Operário passou a tocar de um lado para o outro, mas sem conseguir ser efetivo. Devido a isso, o treinador Gerson Gusmão fez outra alteração. Colocou Schumacher e sacou Athos.

As estrelas do treinador do Gerson Gusmão e de Schumacher brilharam aos 24’ da etapa complementar e o escrete do Operário abriu o placar no Estádio Germano Kruger. O lance do gol iniciou com jogada pelo lado direito, com Quirino, e Schumacher finalizou para abrir o marcador. Minutos depois, o treinador do Fantasma trocou o ataque alvinegro. Sacou Lucas Batatinha e colocou Jean Carlo. Já que o resultado de 1 a 0 levava a partida para as penalidades.  

Na reta final da etapa complementar o time do Operário perdeu a força e pouco pressionou a meta do arqueiro Alan Faria. Do outro lado, a equipe do Espírito Santo pouco chegou a meta do goleiro Simão.  Não deu outra, com o mesmo resultado da partida de ida, no Espírito Santo, a vaga para a fase de quartas de final foi decidida nos pênaltis. O curioso é que o treinador Cleiton Marcelino trocou os goleiros. Saiu Alan Faria e entrou Camilato.

Goleiro Simão, um dos destaque do Operário, defendeu a penalidade do jogador do Espírito Santo, Edmar. (Foto: Danilo Schleder)

PENALIDADES: Nas penalidades, a equipe do Espírito Santo começou nas cobranças. Vitinho e Serrano marcaram. Enquanto que Marcelinho chutou para fora e Edmar teve o pênalti defendido por Simão. Do lado alvinegro, 100 % efetivo nas penalidades.  Washington, Robinho, Schumacher e Jean Carlo converteram as cobranças.

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Operário: 1. Simão; 2. D. Baia, 3. Alisson, 4. Sosa e 6. Acácio (18. Robinho); 5. Chicão, 8. Índio, 11. Washington, 10. Athos (19. Schumacher); 9. L. Batatinha (17. Jean Carlo) e 7. Quirino. Treinador: Gerson Gusmão

Espírito Santo: 1. Alan (12. Camilato); 2. Edmar, 3. Martinelli, 4. Leandro e 6. Serrano; 5. Ronaldo (14. Ranieri), 7. R. César, 8. Marcelinho e 10. Vitinho; 11. J. Paulo (15. Makele) e 9. Nilo. Treinador: Cleiton Marcelino.

FICHA TÉCNICA XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Gol: Schumacher aos 24’ do 2º tempo (Operário)
CA: João Paulo, Edmar (Espírito Santo) e Sosa, Danilo Baia e Chicão (Operário).
Árbitro: Paulo Sérgio Moreira (MA)
Assistentes: Carlos André Sousa e Antônio Adriano de Oliveira (MA)
Público: Pagante: 3.870 pessoas | Total: 4.255 pessoas


__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO