Jonas, o herói da decisão da Taça Paraná


Na final disputada no domingo, 2, Fanático e Iguaçu deixaram a desejar. Faltou futebol por parte dos jogadores de linha. então, sobrou espaço para que Jonas pudesse brilhar de maneira decisiva. Além da qualidade embaixo das traves e do ótimo jogo com os pés, Jonas também mostrou a frieza dos campeões na disputa de penalidades que definiu o campeão da 54ª edição da Taça Paraná.

#FIGURINHA DO JOGO
Por @yuricasari 

Os 90 minutos da finalíssima da Taça Paraná não teve o nível esperado, ainda mais levando em conta a qualidade das duas equipes. Mas teve muita emoção, principalmente durante a disputa de penalidades. Se com a bola rolando foi difícil escolher um nome de destaque, na hora da decisão Jonas se sobressaiu. Mesmo tendo pouco trabalho durante o tempo regulamentar, Jonas tentou ser protagonista. No primeiro tempo, cobrou uma falta da entrada da área, mas Rodrigo defendeu com tranquilidade. 

Nas poucas finalizações do Iguaçu, exceto em um chute de Pablo, o goleiro do Fanático sempre esteve ali, seguro para garantir o gol tricolor intacto. E ainda deu tempo até para fazer uma graça. Em determinado momento, a bola foi lançada em sua direção. Já com o jogo parado, Jonas ajeitou no peito com a categoria de um camisa 10, arrancando reações das arquibancadas. 

Quando o jogo foi para os pênaltis, Jonas voltou a protagonizar um momento decisivo. O goleiro realizou a segunda cobrança da série de cinco do Fanático, mas acabou mandando a bola no travessão. Depois de um campeonato perfeito, Jonas terminaria como vilão? Já na cobrança seguinte Jonas respondeu a pergunta. Sem tremer, o goleiro ficou imóvel no chute de Douglas. Na cobrança de Juninho, pulou para seu lado esquerdo defendendo a bola. E na última batida do Iguaçu, saltou para o lado direito para espalmar o chute de Luisinho Netto, garantindo o posto de herói do jogo e do título da Taça Paraná.


__________________________________________

DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO