Em jogo de cinco gols, Atlético perde para o Santos na ida das oitavas da Libertadores


Jogando na Vila Capanema, o escrete do Atlético-PR não conseguiu fazer valer a presença de mais de 13 mil torcedores para sair com a vitória. Mesmo saindo na frente no placar, o furacão sofreu com os erros e o nervosismo em vários momentos do jogo e não conseguiu segurar os contra golpes do time do Santos, que matou o jogo no começo da segunda etapa e venceu de virada por 3 a 2.

#LIBERTADORES
Por @joaoheim

No inicio do embate o Atlético manteve mais posse de bola e já procurou os espaços na defesa santista, fazendo também marcação adiantada. A estratégia deu certo pois no primeiro avanço certo ao ataque atleticano, com 6', cruzamento de Sidcley, com furada de Lucho e conclusão precisa de Nikão para marcar, 1 a 0 furacão. Minutos depois, novo avanço rubro negro com Cascardo sofrendo falta na lateral direita. No cruzamento para a área, Thiago Heleno subiu mais alto que a defesa adversária e cabeceou por cima do gol, assustando o arqueiro Vanderlei. A partir disso, a equipe do Santos se fechou no campo defensivo e pouco conseguiu sair do meio campo. No primeiro avanço do peixe, Copete apareceu impedido na jogada e finalizou para fora de longe da área. 

Com 16' de jogo, o primeiro escanteio para o alvinegro praiano e susto para os donos da casa com o bate rebate na defesa. Não deu outra, o escrete do Santos conseguiu segurar a pressão inicial do adversário e buscou o ataque. Porém, sem muitos espaços e tentando jogadas pela lateral, que esteve bem ocupada pelos defensores atleticanos. Aos 23', Cascardo recebeu bem posicionado na ponta direita e buscou a jogada para o meio, mas chutou por cima do gol de Vanderlei. Mas foi aos 24', em contra golpe rápido do Santos, que Lucas Lima avançou pelo meio e tocou para Kayke marcar o tento de empate da equipe do peixe, tocando no contra pé do goleiro Weverton, 1 a 1. 

Devido a isso, os visitantes tomaram mais ânimo e tiveram mais posse de bola, enquanto o Atlético-PR errou muitos passes na intermediária, para nervosismo da torcida presente. Com o campo aberto, o jogo foi um revezamento de ataques das duas equipes, com o peixe mais perigoso que o furacão, que não conseguia finalizar.  Com 34' de jogo, Cascardo tentou o cruzamento para a área e exigiu de Vanderlei, que precisou espalmar para fora a bola. Minutos depois, Lucas Lima sofreu falta e ele mesmo cobrou, mandando direto pra Weverton afastar com um soco. Quase no final da primeira etapa, aos 44', Lucho avançou da intermediária e chutou rasteiro, obrigando Vanderlei a grande defesa. No escanteio, Douglas Coutinho apareceu de cabeça e quase fez. Final de primeiro tempo 1 a 1. 




SEGUNDO TEMPO - Na segunda etapa, bobeada da defesa atleticana e o Santos quase marcou com Kayke, que saiu de frente para o gol e Weverton abafou para salvar com um minuto de jogo. Aos 5' a resposta atleticana, Coutinho avançou da intermediária e chegou na área para chutar cruzado com perigo no gol de Vanderlei.  Ações que deixaram visível que os donos da casa tinham mais posse, mas faltou criatividade para encontrar espaços na defesa santista. A torcida, impaciente, pediu a entrada de Carlos Alberto em campo. Mas minutos depois, aos 11', Victor Ferraz arriscou de longe e Weverton espalmou para o lado, perdendo a bola, Bruno Henrique chegou para completar e marcou para o Santos, 2 a 1. 

Pressionado, Eduardo Baptista chamou Carlos Alberto e Pablo para o gramado. Lucho e Coutinho saíram para a entrada dos dois aos 16'. Com 17', nova chegada do Santos, Copete subiu sozinho na área mas mandou para fora, por cima do gol. Nervoso em campo, o rubro negro errou e ficou sobre pressão na defesa.  Aos 22', lançamento de Lucas Lima para Bruno Henrique na ponta esquerda, que cruzou rasteiro no meio para Kayke completar e marcar o terceiro do peixe, 3x1.


A resposta atleticana chegou aos 25', com Rossetto tentando de longe e passando perto do travessão. O lance deu ânimo aos donos da casa, que no minuto seguinte, cruzamento na área e Rossetto ajeitou no meio para Ederson completar e marcar o segundo tento atleticano, 3 a 2. O furacão se animou ainda mais quando Eduardo Baptista colocou Grafite no lugar de Rossetto para tentar o empate. Na marca dos 30', Lucas Lima foi derrubado e cobrou falta da intermediária, no bate rebate, a bola voltou pra área e Bruno Henrique, que chutou para no desvio da defesa a bola ir para escanteio. No escanteio, Lucas Lima fez Weverton desviar para não sofrer um gol olímpico.

Nos minutos finais, pressão atleticana. Aos 35', cruzamento na área e Nikão, na sobra, chutou para quase marcar o gol de empate. Dois minutos depois, Grafite cruzou e Pablo chegou desviando para a bola passar pelo gol e não entrar. Na pressão, o Atlético apostou nos cruzamentos, mas a bola não sobrou para um atleta do time. Com quatro minutos de acréscimos, o Atlético tentou o tudo ou nada na partida, enquanto o Santos trocou Kayke por Noguera para segurar o jogo. Final de jogo 3 a 2 Santos, que conquista uma importante vitória e agora joga por apenas um empate na volta na Vila Belmiro. Já o Atlético necessita de uma vitória por dois gols de diferença para se classificar. 



ESCRETES xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

ATLÉTICO-PR: 12 Weverton, 6 Sidcley, 13 Paulo André, 4 Thiago Heleno, 14 Cascardo, 3 Lucho (8 Pablo), 7 Otávio, 11 Nikão, 20 Rossetto (23 Grafite), 28 Douglas Coutinho (19 Carlos Alberto), 9 Ederson. Tec.: Eduardo Baptista

SANTOS: 1 Vanderlei, 4 Victor Ferraz, 28 Lucas Veríssimo, 14 David Braz, 20 Jean Motta, 29 Thiago Maia, 8 Renato, 10 Lucas Lima (21 Vecchio), 27 Bruno Henrique, 18 Copete, 11 Kayke (6 Fabian Noguera). Tec.: Levir Culpi

Gols: Nikão 6', Kayke 24', Bruno Henrique 11' (2ºt), Kayke 22', Ederson 26'.


__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO