Atlético-PR repete atuação apagada e perde para a Ponte Preta em casa


Com os dois gols marcados no Joaquim Américo, Lucca chegou a 10 e assumiu a artilharia do campeonato (Foto: Cleiton da Cruz) 
Sob pressão da torcida e nervoso em campo, o time atleticano não conseguiu superar a fechada equipe de Campinas e perdeu pelo placar de 2 a 0 em jogo válido pela décima sexta rodada do Campeonato Brasileiro da Série A, realizado na Arena da Baixada. Lucca, com dois gols, sendo o segundo de pênalti, fez os tentos da vitória da macaca. Após o oitavo jogo sem vencer, a torcida atleticana protestou contra o treinador, o time e a diretoria atleticana pela situação do clube, que está na décima sexta colocação, podendo entrar na zona de rebaixamento ao fim da rodada.

#SÉRIEA2017

PRIMEIRO TEMPO - O início de jogo entre as equipes foi com o escrete do furacão mais nervoso e sob pressão da torcida, já que antes da partida a própria entoou gritos, cobrando a equipe. A Ponte desde o principio fez marcação adiantada no adversário e não deixou o time da casa ter espaço para os ataques. Aos 5', falta na direita e Rossetto cruzou de longe para Ribamar chegar cabeceando para fora na primeira chance do jogo. Minutos depois, em escanteio, Pablo subiu mas não conseguiu cabecear com mais espaço para marcar e também mandou para fora. Com 12' jogados, falta perto da área para o time rubro negro. Nikão cruzou na área e Ribamar quase marcou o dele de cabeça, passando perto do gol de Aranha. A equipe da casa até que tentou, mas sem sucesso. Enquanto que a Ponte respondeu com alguns cruzamento. Dentre eles, um saiu dos pés de Jeferson, mas a defesa cortou na frente do gol. 

Mesmo assim, a equipe rubro-negra, animada no jogo, cresceu e conseguiu cercar a Ponte e, com isso, também abusou das faltas pelo excesso de vontade. Com 20', invertida de jogo para Sidcley, que mandou para Nikão e ele cabeceou com perigo para Aranha espalmar para escanteio. Porém, a partir da metade do primeiro tempo, o escrete da casa passou a errar muitos passes na intermediária e recuou bastante a bola para recomeçar o jogo. Por isso, o time da baixada não conseguiu criar perigo e, com isso, deixou a torcida nervosa com a falta de perigo do time. Mesmo que aos 33', Rossetto tentou da intermediária e o chute rasteiro no canto obrigou Aranha a intervir. No lance seguinte, Thiago Heleno ajeitou a cobrança do escanteio para Paulo André girar e chutar para o goleiro encaixar. O final de primeira etapa foi sem muitas emoções e com o jogo truncado entre as equipes. A torcida perdeu a paciência e pediu raça ao time, enquanto os jogadores entravam no vestiários. 

Aranha fez boas intervenções durante a partida (Foto: Cleiton da Cruz)
SEGUNDO TEMPO - Para a segunda etapa, o treinador atleticano colocou Matheus Anjos no lugar de Douglas Coutinho. Renato Cajá entrou no lugar de Claudinho para melhorar a criação da equipe de Campinas. Usando a mesma arma atleticana da primeira etapa, a bola parada, a Ponte Preta chegou nos pés de Renato Cajá. Aos 6', contra golpe ponte pretano e Cajá lançou Lucca, que avançou e tocou na saída de Weverton para marcar 1 a 0 Ponte. Thiago Heleno sentiu no lance do gol e o jogo ficou parado para atendimento do atleta.

Aos 10', depois de rodar a bola, o furacão chegou com perigo com Pablo, que obrigou Aranha a defender e no rebote Rossetto fez o arqueiro trabalhar novamente. Mas a ponte voltou a recuar a equipe no campo defensivo e assim fez com que o rubro negro precisasse girar o jogo em passes e não conseguisse se aproximar do gol. Porém, aos 18', Pablo tentou jogada individual da entrada da área, mas acabou chutando para fora sem muito perigo. Com 20', falta frontal na intermediária para o Atlético. Matheus Anjos cobrou, mas parou na barreira. 

A partir disso, o treinador do Atlético-PR Fabiano Soares tirou Pablo e colocou Eduardo da Silva, gerando protestos da torcida.  Matheus Anjos fez jogada aos 22' e cruzou para o brasileiro naturalizado croata, que cabeceou para Aranha defender, mas o juiz marcou impedimento. Minutos depois, Gilson Kleina colocou Jadson no time para segurar mais o jogo atleticano, tirando Léo. Aos 28', Ribamar recebeu lançamento e parou no goleiro Aranha, mas o impedimento foi marcado. Gedoz foi chamado para o jogo, mas Nikão foi o substituído, atiçando novamente a ira do público. 

Na base dos cruzamentos, o Atlético tentou chegar ao empate no desespero, mas a ponte se fechou na área com quase todo o time. Aos 37', Gedoz ajeitou para Eduardo da Silva arriscar de fora da área e obrigar Aranha a grande defesa novamente. Com 41', Gedoz encontrou espaço na intermediária e chutou colocado para a bola passar perto da trave do goleiro alvinegro. Aos 43', nova tentativa atleticana e Gedoz tentou o chute para Aranha salvar no canto do gol. 

No apagar das luzes da Arena, na bacia das almas, Jadson foi derrubado na área e o juiz marcou pênalti. Lucca cobrou e marcou para a macaca, 2 a 0, chegando ao 10ª gol no certame. Na sequência, o árbitro decretou o final de jogo e a equipe do Atlético-PR teve a quarta em casa. Caso o São Paulo vença o Grêmio nesta segunda (24), o furacão poderá entrar na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. 

Torcida se irritou e protestou bastante ao final de jogo (Foto: Cleiton da Cruz)
OS ESCRETES  XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

ATLÉTICO-PR: 12 Weverton, 47 Cascardo,  13 Paulo André, 44 Thiago Heleno, 8 Sidcley, 6 Eduardo Henrique, 20 Rossetto, 77 Douglas Coutinho (Matheus Anjos), 11 Nikão (Gedoz), 92 Pablo (Eduardo da Silva) e 9 Ribamar. Técnico: Fabiano Soares.

PONTE PRETA: 1 Aranha, 2 Jeferson, 3 Marllon, 4 Rodrigo, 6 Danilo, 5 Elton, 7 Maranhão (Kadu), 8 Naldo, 10 Léo Artur (Jadson), 9 Lucca, 11 Claudinho. Técnico: Gilson Kleina.

FICHA TÉCNICA - ATLÉTICO-PR 0 X 2 PONTE PRETA XXXXXXXXXXXXXXX

GOLS: Lucca aos 6' e aos 47' do 2°T (Ponte Preta).
AMARELOS: Eduardo Henrique (Atlético-PR), Aranha (Ponte Preta).

__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO