Em jogo truncado, Atalanta e Fanático empatam sem gols


A tarde tipicamente curitibana se fez presente em São José dos Pinhais no último domingo (11). Com um sol que aquecia os torcedores em meio ao ar frio, o Estádio Moacir Tomelin foi palco do confronto de ida da semifinal da Taça Paraná, entre Atalanta e Fanático. Na partida, muita marcação e divididas, uma expulsão para cada lado e nada de gols. O placar zerado foi melhor para o Tricolor, que joga por um empate para chegar novamente à decisão.

#TAÇA PR 2017
Por @GabrielSawaf


Um reencontro. Uma semana após o duelo na capital da porcelana, Atalanta e Fanático se encontraram novamente para um embate ainda mais decisivo, válido pela semifinal da Taça Paraná. Na ocasião anterior, vitória dos campo-larguenses por 2 a 1. Agora, o time de São José não poda nem sonhar com uma derrota, já que o rival joga por dois resultados iguais. Para buscar a vitória, o treinador Vardo colocou a equipe com três atacantes. Já o Tricolor buscava manter os 100% de aproveitamento conquistado na primeira fase. A equipe contava com o retorno de Massai, que voltava de suspensão automática.

Com a bola rolando as duas equipes mostravam, logo no início do jogo, que a partida seria disputada e equilibrada, principalmente no meio de campo. Com muita disputa e muita marcação, os dois escretes não conseguiam criar muito e as chances de gol eram poucas. A primeira ocorreu aos cinco minutos, quanto Massai cobrou escanteio e Clênio aproveitou a sobra de bola para finalizar, mas a bola parou em boa defesa de Samuel. O Atalanta teve sua primeira chance aos 13 minutos com Gean, que fez boa jogada pela direita, trouxe pro meio e chutou para fora. 

Daí em diante o jogo ficou marcado pelo equilíbrio na meia cancha. As duas equipes posicionaram bem as duas defesas e nenhuma chance de gol era registrada. Até que aos 30 minutos, Romarinho impediu cobrança de falta do adversário, como já tinha levado o primeiro cartão amarelo do jogo, ganhou o segundo e de brinde o vermelho, deixando o Atalanta com um a menos. Em superioridade numérica, o Fanático foi para cima e teve boas chances de tirar o zero do placar. Aos 33 minutos, Dionatan fez boa jogada e concluiu para boa defesa de Samuel. Na cobrança de escanteio, Massai colocou na cabeça de Jair, que testou para fora. No último lance da primeira etapa, o goleiro Jonas bateu falta para boa defesa do goleiro da casa, que deu rebote, mas chegou á tempo para evitar a conclusão de Henrique Dias. 


SEGUNDO TEMPO - A vantagem numérica fez com que o treinador Leandro Chibior voltasse do intervalo com seu time mais postado no ataque. Em uma atitude ousada, o treinador tirou o zagueiro Jair e colocou o lateral Marabá, que atuou como ponta, adotando o esquema 3-5-2 na equipe. Já o treinador Vardo tentou arrumar sua meia cancha, colocando Paulinho no lugar de Josa. A primeira vista, parecia que as alterações do Tricolor fariam a diferença. Logo no início da etapa complementar, Henrique Dias fez boa jogada pela e cruzou na área, a bola encontrou Dionatan, que não virou o pé e finalizou mal demais. Depois foi a vez do Atalanta aproveitar o espaço na defesa e atacar o goleiro Jonas. Aos cinco minutos Gean fez boa jogada pela esquerda e chutou para fora. Aos dez minutos foi a vez do volante Ednaldo finalizar da entrada da área e obrigar o goleiro a trabalhar. 

Assim como na primeira etapa, o jogo seguia duro e disputado na meia cancha, com o Fanático chegando mais ao ataque, porém, sem ameaçar muito. Aos 18 minutos o Tricolor teve a sua perda. Dionatan fez falta grave no meio de campo, recebeu o segundo amarelo e foi convidado a se retirar com a tarja vermelha. Com os dois escretes com dez em campo, o jogo ficou ainda mais equilibrado, só que com chances para ambos os lados. Aos 20 minutos Juliano fez boa jogada, entrou na área, mas chutou torto. Depois foi a vez dos visitantes atacarem, com duas boas chegadas de Henrique Dias. Na primeira, ele aproveitou cruzamento de Massai e cabeceou para fora. Na segunda, o atacante cruzou e o meia Ronei deu uma casquinha na bola, fazendo a redonda passar perto da trave. O Atalanta respondeu com Henrique, que fez boa jogada pela esquerda e chutou para fora.

Nos minutos finais o cansaço predominou e as duas equipes desaceleraram um pouco e as principais chances foram com bola parada. Aos 38 minutos, Massai cobrou falta que passou por cima do gol. Aos 41 minutos, o artilheiro Clênio, teve sua chance, mas não conseguiu concluir bem e mandou para fora. Nos acréscimos, os donos da casa pressionaram mais. Aos 46, Jardel cobrou falta venenosa e Grilo quase testou contra a própria meta. No último lance do embate, Henrique teve a chance numa cobrança de falta, mas acabou isolando e concluindo que a rede não iria balançar neste embate.



OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

ATALANTA: 1 Samuel; 2 Passarinho, 3 Carlinhos, 4 Udson e 6 Clé; 5 Edvaldo, 8 Josa (16 Paulinho) (13 Rafael) e 10 Jader; 7 Gean (18 Henrique), 9 Juliano (19 Sady) e 11 Romarinho. Técnico: Valdemar Cremona.

FANÁTICO: 1 Jonas; 2 Ever (13 João Victor), 3 Baloi, 4 Jair (16 Marabá) e 6 Felipe (19 Caron); 5 Grilo, 8 Magu (18 Ronei), 7 Dionatan e 10 Massai; 9 Clênio e 11 Henrique Dias. Técnico: Leandro Chibior.

FICHA TÉCNICA: ATALANTA 0 X 0 FANÁTICO XXXXXXXXXXX

AMARELOS: Jair e Baloi (Fanático)
VERMELHOS: Romarinho (Atalanta); Dionatan (Fanático).
__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO