Passageiro de última hora, Foz do Iguaçu prega cautela para fazer boa Série D


O Azulão da Fronteira passou por fortes emoções em abril. Após a decepção de ser eliminado do Paranaense com um gol aos 40’ do segundo tempo e a possibilidade de encerrar a temporada, o Foz foi presenteado no dia 17 com uma vaga na Série D do Brasileirão após a desistência do J Malucelli. Com cerca de um mês de preparação, o time aposta na juventude para superar uma chave difícil.

#SÉRIE D 2017
Por Dudu Nobre

Com média de idade aproximada de 25 anos, o Foz do Iguaçu tem seis titulares categoria sub-23. A base é a mesma que terminou o estadual na nona colocação, pois o orçamento do clube não permite contratações por atacado, como conta o técnico Alan Aal. “Conversamos com a diretoria e mantivemos os pés no chão, trazendo reforços pontuais, sem fazer loucura nem comprometer as contas do clube”.

Por conta disso o Azulão da Fronteira vem com uma filosofia humilde, pensando em conquistar objetivos jogo após jogo. “Vamos encarar cada partida como uma decisão. Nossa primeira missão é classificar na chave, de repente não em primeiro mas como um dos 15 melhores segundos colocados”, planeja Aal.

Discurso alinhado com o do goleiro Edson. “Antes de pensarmos em subir de divisão, temos que focar na classificação. O nosso time tem condições de cumprir essa meta, embora a nossa chave seja bem difícil”.

De fato a vida do Foz não será fácil. O time terá de superar Inter de Lages (SC), São Bernardo (SP) e Novo Hamburgo (RS). O Noia é o grande destaque do Grupo A16, já que foi campeão gaúcho após uma campanha irrefutável (9 vitórias, 6 empates e 2 derrotas).


Questionado sobre o adversário, Alan alertou para um provável desmanche do rival. “Quando um clube que não costuma ganhar o campeonato vence, é natural a procura de outras equipes por esses jogadores. Mesmo mantendo uma base, o time acaba se decompondo”. Prova disso é que, dos 11 titulares campeões, apenas Preto segue no Estádio do Vale.

Adversários à parte, o Foz entra como franco atirador, já que não teve um planejamento anual para a competição como os outros dois representantes paranaenses. Com espírito moleque, o azulão busca romper as fronteiras e chegar a Série C do futebol nacional.

A estreia será nesse domingo (21) contra o Inter de Lages em Santa Catarina. Uma semana depois recebe o Novo Hamburgo no oeste do estado.

Time base: Juninho, Léo, Barreto, Gustavo, Erwin; Felipe, Olavo, Yannick, Humberto, João Guilherme e Gian. Técnico: Alan Aal.



__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO