Iguaçu faz o dever de casa, goleia Costeira e sobe uma posição na Taça Paraná


Neste domingo (21) o Iguaçu recebeu o Costeira no Estádio Egydio Ricardo Pietrobelli. Mesmo abusando dos gols perdidos, o time da casa conseguiu aproveitar o cansaço dos visitantes no final da segunda etapa para aplicar um placar elástico. Com o resultado, o Alvinegro assumiu a terceira posição da competição. Já o Costeira deu adeus as chances de classificação.

#TAÇA PARANÁ
Por Gabriel Sawaf

PRÉ JOGO - A tarde chuvosa em Curitiba não atraiu um grande público ao Estádio Egydio Pietrobelli no último domingo (21). Dentro de campo, Iguaçu e Costeira se duelaram com objetivos bem distantes. O time da casa buscava entrar de vez na zona de classificação para semifinal, já que dividia a quarta colocação com o Bonato. Por outro lado, os visitantes jogavam a sua última chance de classificação, além de tentar manter a invencibilidade jogando longe de Araucária, já que nas rodadas anteriores conseguiu dois empates fora de casa.

PRIMEIRO TEMPO - Logo de início, o Iguaçu mostrou que a chuva não ficaria só no tempo cinzento da capital paranaense. Aos dois minutos Luisinho Netto fez boa jogada pela direita e cruzou na área, a bola atravessou toda a área e encontrou Piki, que estufou a rede e marcou seu primeiro gol na temporada. O time da casa continuou no ataque e teve mais chances de ampliar. Aos cinco, Marcelo Tamandaré chutou e João Vitor fez boa defesa. Aos 11, Tamandaré entrou na área finalizou, mas a zaga do Costeira bloqueou a oportunidade Alvinegra. Porém, aos 13 minutos, não teve jeito. Dionata tabelou com Tamandaré, ficou cara a cara com o goleiro e ampliou o marcador.


A pressão dos donos da casa continuava, atuando principalmente com bolas na direita com Luisinho. As chances foram aparecendo. Aos 18, Piki chutou e João Vitor trabalhou bem. Aos 24, o atacante finalizou e o jovem goleiro fez outra boa defesa. Na cobrança do escanteio, Herick subiu sozinho e testou para fora. Com o jogo fácil, o Alvinegro relaxou um pouco e deu espaço para os visitantes chegarem. Aos 28, Jean teve a primeira oportunidade do Costeira, carimbando a trave. Aos 31, Carlinhos cobrou falta e Rodrigo fez boa defesa.

O time de Araucária cresceu no jogo e foi ocupando o campo de ataque, porém sem criar grandes chances. A chegada perigosa do Alviverde foi aos 38, quando Carlinhos chutou e Rodrigo defendeu. O Iguaçu perdeu a criatividade pela direita, já que a bola não chegava até Luisinho. Porém, aos 39, a sorte ajudou. Hideo fez boa jogada e cruzou para Tamandaré. O atacante foi fechado pelo goleiro, mas atropelado por Richarlyson. Pênalti, que o próprio Tamandaré cobrou e João Vitor fez grande defesa. O time da casa chegava, mas não finalizava e, quando chegava, o goleiro de Araucária fazia grandes defesas.

Aos 42, Piki invadiu a área e se enrolou para chutar, quando finalizou, João Vitor fez grande defesa. As chances perdidas irritaram o elenco iguaçuano e Hideo e Piki começaram a discutir entre si. Com o clima tenso, o primeiro tempo foi encerrado.


SEGUNDO TEMPO - Na segunda etapa o time visitante seguiu com espaço e criando chances. Aos quatro minutos, Jean chutou e Rodrigo fez boa defesa. No rebote Rato ajeitou para Carlinhos, que finalizou para fora. No minuto seguinte Tamandaré recebeu bom lançamento do campo defensivo, saiu na cara do jovem goleiro, que estava inspirado, e fez uma grande defesa. Além da grande atuação de João Vitor, o atacante alvinegro tinha como dificuldade o azar.

Aos sete minutos Herick cruzou na cabeça de Tamandaré, que cabeceou com precisão, na trave. Aos 12 minutos, o Costeira chegou com perigo em boa cobrança de falta de Carlinhos, que passou por cima do poste superior de Rodrigo. Pelo lado do Iguaçu a "zica" perseguia Tamandaré. Aos 14 minutos, Quitino lançou o atacante ficou a cara com João Vitor, tentou driblar o arqueiro, mas tocou para fora, revoltando a torcida alvinegra.

O Iguaçu conseguiu retomar o controle do jogo e ia deixando o quente o terceiro gol. E deu certo. Aos 21 minutos, o zagueiro Rodrigão foi até a linha de fundo e cruzou na área. O goleiro João Vitor saiu e trombou com Caio, a bola sobrou limpa para Marcelo Tamandaré, que mandou a "zica" para longe e ampliou o marcador. O terceiro gol trouxe mais tranquilidade para os donos casa, que seguiram no campo ofensivo e criando chances. Aos 30, Romário fez boa jogada pela linha de fundo e cruzou para Pablo, que foi travado pela marcação.


O time do Costeira cansou na última parte do jogo e deu ainda mais facilidade para os donos da casa chegarem à frente. Aos 33 minutos Rafinha fez boa jogada e só rolou para o Pablo marcar o quarto. Aos 35, Quintino fez boa jogada pela esquerda e chutou cruzado, fazendo a bola passar na frente do gol. Aos 37 minutos o próprio Quintino fez o quinto, após cobrança de escanteio feita por Luisinho Netto.

O time da casa apertava a saída de bola do Costeira, que não apresentava mais ritmo de jogo. Numa dessas roubadas, o zagueiro Douglas recuperou e lançou Rafinha, que driblou o goleiro e marcou o sexto, aos 40 minutos. No minuto seguinte, Quintino invadiu a área e chutou para boa defesa  de João Vitor. No rebote, Luisinho Netto cruzou para Pablo, que cabeceou firme, para boa defesa do jovem arqueiro alviverde.

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

IGUAÇU: 1 Rodrigo; 2 Luisinho Netto, 3 Douglas, 4 Emerson e 6 Dionata; 5 Herick (14 Roberto), 8 Helton (15 Caio), 20 Hideo (18 Romário), 11 Piki (16 Rafinha) e 7 Feijão (17 Quitino); 10 Marcelo Tamandaré (9 Pablo). Técnico: Juninho.

COSTEIRA: 1 João Vitor; 88 Paulinho, 3 Rodrigão, 5 Batata e 6 Cabeça; 8 Andrey, 2 Richarlyson, 10 Dieguinho e 85 Carlinhos (99 Michel); 9 Jean (11 Fininho) e 89 Rato (7 Diogo). Técnico: Adilson Soczek.

FICHA TÉCNICA - IGUAÇU 6 X 0 COSTEIRA XXXXXXXXXXXXXXX

GOLS: Piki, aos 2’ minutos do 1ºT, Dionata, aos 13’ do 1ºT, Marcelo Tamandaré, aos 21’ do 2ºT, Pablo, aos 33’ do 2ºT, Quitino, aos 37’ do 2ºT e Rafinha, aos 40’ do 2ºT para o Iguaçu.

AMARELOS: Hideo, Piki e Luisinho Netto (Iguaçu); Andrey (Costeira).

MELHORES MOMENTOS XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX




__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO