Bonato e Iguaçu empatam sem gols e ficam a um passo das semifinais


Em partida disputada no último domingo (28) em Porto Amazonas, Bonato e Iguaçu mediram forças entre quarto e terceiro colocados na Taça Paraná. A partida foi tensa, com chances para ambos os lados. No fim, o empate sem gols - junto com a combinação de resultados - foi bom para ambos os lados. 

#TAÇA PARANÁ 2017
Por Gabriel Sawaf

PRÉ-JOGO: O clima era de decisão em Porto Amazonas. No estádio João Schede o Bonato recebeu o Iguaçu, ambos empatados na tabela com nove pontos, dividindo o terceiro lugar, com vantagem para o time do Santa Felicidade no saldo de gols. Os dois times vinham de vitória. O time da região metropolitana venceu a Aprovale por 3 a 1 na casa do adversário, e contava com as estreias de Juarez, Greg e Matheuzinho. Já o Alvinegro havia goleado por 6 a 0 o Costeira, e, mesmo com o desfalque de Marcelo Tamandaré, contava com Pablo para ser a esperança de gols iguaçuana.



PRIMEIRO TEMPO - Com bola rolando as equipes se mostraram que iriam para cima para garantir a classificação antecipada. O Bonato se mostrava mais ofensivo na teoria, com o trio de ataque composto por Marcelinho, Greg e Matheuzinho. Mas foi o Iguaçu que mostrou mais perigo na prática, mantendo ela no ataque. Aos cinco minutos Hideo recebeu de Pablo e balançou a rede, mas o bandeira marcou impedimento. Aos 12 minutos Piki cruzou na área e foi a vez do atacante marcar, porém o juiz anulou novamente, alegando falta de Pablo no goleiro Marcão. A defesa Alvinegra bloqueava bem as ações ofensivas azulinas e na primeira parte do jogo quem mais ameaçou o goleiro Rodrigo foi um cachorro, que passeou pela área iguaçuana.

Com o desenrolar da partida, as defesas começaram a trabalhar mais e o jogo ficou mais truncado nas entradas de ambas as áreas. Porém, aos 21 minutos, Hideo aproveitou bobeada da zaga e lançou boa bola para Piki, o atacante saiu na cara do goleiro, que fez grande defesa. Piki ainda ficou com o rebote e chutou, mas Marcão estava inspirado no lance e fez outra boa defesa. O ataque do Bonato não conseguia chegar, graças a boa atuação dos volantes Herick e Helton. O trivote não conseguia adentrar a área e tinha que arriscar de fora, o que parecia não ser o forte, já que as finalizações saíam fracas ou tortas.

A primeira boa chance do Bonato foi apenas aos 31 minutos: Juarez tocou para Marcelinho na ponta esquerda. O atacante ameaçou cruzar e chutou cruzado, fazendo a bola passar ao lado da trave. A partir daí a partida ficou sonolenta, com muitas divididas e passes errados. O Iguaçu tentava chegar nas jogadas pelas laterais, mas sem sucesso. O lance que gerou perigo foi após boa jogada individual de Piki, que fintou dois marcadores e chutou por cima do gol, aos 43'. No minuto seguinte foi a vez de Hideo bater de fora área, acertando um torcedor que assistia o jogo em cima do muro. Vendo que os cachorros dormiam na arquibancada, o juiz encerrou a primeira etapa.


SEGUNDO TEMPO - Sem nenhuma alteração, as equipes voltaram mais ofensivas na segunda etapa. O Iguaçu começou melhor e pressionou os mandantes, fazendo uma blitz em busca do gol. Aos quatro minutos, Pablo recebeu de Luisinho, dominou e foi desarmado. Na sobra Piki dominou e chutou para fora. No minuto seguinte, Hideo deu bom passe para Pablo, que ficou cara a cara com o goleiro e chutou na trave. No mesmo minuto, Hideo fez boa jogada pela esquerda e finalizou para grande defesa de Marcão.

Aos 8', Luisinho cobrou falta na cabeça de Douglão, que testou para fora. A pressão iguaçuana foi enfraquecendo e o Bonato foi crescendo no jogo. Aos 11 minutos o Rubro Azul teve sua primeira chance. Matheuzinho fez boa jogada pela esquerda e tocou para Marcelinho, que puxou para o meio e finalizou para boa defesa de Rodrigo.

Com o equilíbrio do Bonato o jogo voltou a ser truncado no meio. As equipes fizeram alterações para tentar dar mais agilidade à partida. No time da casa, Dinho e Jhow entraram no lugar de Bitoca e Braian. No Iguaçu entraram Romário e Rafinha no lugar de Piki e Feijão. As alterações iguaçuanas geraram mais resultado de início. Aos 19 minutos, Romário fez boa jogada pela e esquerda e tocou para Rafinha, que chutou para fora. Aos 25 o azulino assustou. Greg recebeu pela direita e chutou cruzado, buscando Dinho. O goleiro Rodrigo interviu bem, mas acabou dando rebote, deixando a bola oferecida á Marcelinho. Para a sorte iguaçuana, Luisinho Netto chegou cortando para fora. O técnico Castilho promoveu mais duas alterações para tentar fluir o jogo do time da casa, colocando Batata e Willians no lugar de Marcelo Silva e Greg.

A partida estava chegando ao fim e a tensão tomou conta da arquibancada e do gramado. Divididas mais intensas e mais reclamações com o árbitro. As chegadas ao gol também aconteciam. Aos 33 minutos Romário fez boa jogada pela esquerda e chutou com categoria para fora. O Iguaçu reforçou a marcação com a entrada de Zé Nunes no lugar de Helton. O Bonato também chegava. Aos 38' Matheuzinho chutou e a bola passou perto do gol de Rodrigo. O time da casa pressionou até o fim. Aos 44' Marcelinho cobrou escanteio e Muha subiu sozinho, mas a bola foi nas mãos de Rodrigo. Mesmo com a pressão dos mandantes, o placar não saiu do zero.


OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

BONATO: 12 Marcão; 2 Braian (14 Jhow); 3 Renan, 4 Nathan e 6 Marcelo Silva (15 Batata); 5 Juarez,, 18 Muha, e 10 Bitoca (17 Dinho); 9 Greg (19 Willians), 7 Marcelinho e 11 Matheuzinho. Técnico: Castilho.

IGUAÇU: 1 Rodrigo; 2 Luisinho Netto, 3 Douglão, 4 Emerson e 6 Dionata; 5 Herick, 7 Feijão (16 Rafinha), 8 Helton (18 Zé Nunes), 11 Piki (17 Romario) e 10 Hideo; 9 Pablo. Técnico: Juninho.

FICHA TÉCNICA - BONATO 0 X 0 IGUAÇU XXXXXXXXXXXXXXX


AMARELOS: 4 Nathan e 12 Marcão (Bonato); 8 Helton (Iguaçu).



__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO