A reta final na Divisão De Acesso: Paranavaí vence Andraus por placar mínimo e segue vivo


Pela segunda rodada da segunda fase da Divisão de Acesso, em jogo válido pelo grupo B, o Andraus recebeu o Paranavaí no estádio Atílio Gionédis. Depois de um primeiro tempo sem gols e com uma defesa de pênalti para cada lado, o Vermelhinho do fim da linha fez valer a qualidade técnica do elenco e saiu de Campo Largo com os três pontos.

#ACESSO PR 2017
Por Yuri Casari 

Depois da inesperada classificação, com duas vitórias em cima das equipes maringaenses, o Andraus não tinha muito a esperar, entrando como grande azarão na segunda fase. Após estrear com derrota frente ao forte Maringá fora de casa, o time alvicinza queria aproveitar o fator casa para vencer e mostrar que pode sim lutar pelo acesso. Já o Paranavaí vinha de um empate contra o Cascavel CR, em que o ACP sofreu um gol já nos minutos finais de partida, e precisava se recuperar para não deixar o Maringá disparar na classificação. A partida entre os dois times não foi um primor técnico, mas ofereceu aos cerca de 100 torcedores emoção até os últimos minutos. 

O EMBATE - A partida começou melhor para o Andraus, que rapidamente passou a ter maior controle da bola. Entretanto, a pelota parecia queimar nos pés dos jogadores, que de maneira afobada tentavam inúmeros passes sem sucesso. Após cobranças do técnico Claudemir Peixoto, os atletas do Andraus começaram a tentar o arremate, mas o chute também não estava caibrado, e não foram raras as finalizações pra bem longe da meta. O primeiro lance de real perigo aconteceu aos 20 minutos em forte chute do lateral do ACP João Victor, que Augusto desviou para escanteio. 

O Paranavaí demonstrava ter atletas muito técnicos no meio de campo, mas faltava incisividade. Era visível que, caso a equipe se soltasse mais, o gol seria questão de tempo. E em um dos esparsos ataques, o ACP ficou muito próximo de marcar. Aos 28, Rômulo foi derrubado na área por Márcio. O próprio Romulo foi para a cobrança e bateu chapado de esquerda, com força, mas Augusto pulou muito bem para praticar a defesa. 


Apenas três minutos depois, foi a vez do Andraus ter uma penalidade máxima. Marcelinho tentou a jogada individual e chutou forte, a bola pegou no braço de Leonardo e a arbitragem apontou a marca da cal. Na cobrança, o também canhoto Flávio optou pelo chute cruzado, mas bateu fraco e Dida defendeu com grande segurança. Mais alguns chutes para fora de ambos os times, e o primeiro tempo chegou ao fim. 

No segundo tempo, o técnico Rafael Andrade promoveu algumas alterações no meio que logo surtiram efeito. Aos 2 minutos Gláuber bateu pra fora após bom passe de Chimbinha. Aos 4, Jerferson Pará deixou Rômulo e Chimbinha na cara do gol, mas ninguém completou para as redes e a bola correu pela linha de fundo. Aos 13, Robinho cobrou falta e Augusto fez boa defesa. Já pelos lados do Andraus a bola seguia sendo mal tratada e a insistência nos chutes de fora da área deixava a equipe de Capo Largo mais longe de um resultado positivo. Quando pensou em tratar bem a redondinha, Dwann deu um passe espetacular para Fabinho dentro da pequena área, mas o goleiro Dida saiu fechando o ângulo e impedindo o gol dos donos da casa. 


O jogo parecia caminhar para um empate sem gols, até que aos 36, Rômulo lançou Jerferson Pará pela direita, que cruzou no segundo pau onde estava Chimbinha. O camisa 8 se esticou para finalizar, o goleiro Augusto ainda defendeu no primeiro lance, mas a bola bateu na trave, voltou no goleiro e passou pela linha mortal. A partir daí, o Andraus esqueceu de jogar bola e exagerou nos lances ríspidos. Ainda assim, teve uma última chance com Dwann, que bateu mascado, a bola deu aquela tradicional quicada traiçoeira, mas Dida estava lá para garantir a vitória alvirrubra. Vamos agora analisar as duas equipes:

Andraus - É bem verdade que poucos esperavam que o Andraus chegasse à segunda fase. A classificação já poderia ser considerada uma vitória, mas não é assim que o presidente da equipe, Nadim Andraus, vê a situação. Assim que o apito final foi dado, o mandatário "pagou geral" no vestiário e se irritou com mais uma derrota. Ainda mais porque a vitória poderia ter saído se os atletas tivessem mais tranquilidade. Como destacado anteriormente, a equipe alvicinza teve mais posse de bola e não raro acuou todo o time do ACP no campo de defesa. Diversas chances foram criadas, mas a falta de pontaria assustou. Só para se ter uma ideia, o Andraus teve 13 finalizações contra 10 do Paranavaí. Mas faltou capricho na hora de matar as jogadas. O técnico Claudemir Peixtoo lamentou mais esse revés, mas ainda acredita que a situação pode ser revertida.


Os destaques - Nessa partida, quem se destacou no time do Andraus foi o volante Krisman. Embora discreto, o volante foi um dos que menos errou passes e ainda buscava aparecer nas jogadas ofensivas. Mostrou bom posicionamento e bom tempo de bola, dando diversos botes bem sucedidos no meio de campo. Quem também brilhou foi o goleiro Augusto, que vinha praticando boas defesas durante toda a partida, já havia pego um pênalti, mas sofreu um gol em um lance de azar em que após a defesa, a bola bateu na trave e no corpo do goleiro antes de entrar.



Paranavaí - O tradicional Vermelhinho do Fim da Linha se apresentou com atletas bastante técnicos. Pelo que foi visto no Atílio Gionédis, o ACP tem grandes chances de surpreender o favorito Maringá e pegar a vaga de acesso do grupo B. Entretanto, se quiser vencer as partidas, precisa mudar um pouco a postura. Mesmo diante de um adversário notadamente mais frágil, o Paranavaí demorou a sair do campo defensivo, jogando recuado a maior parte do primeiro tempo, deixando nos pés do ligeirinho Chimbinha as principais jogadas de ataque. No segundo tempo, com a entrada de Jerferson Pará, o ACP ficou mais leve e veloz, mas ainda assim pecou na construção de jogadas. Na próxima rodada, enfrenta o Maringá em em Maringá valendo a liderança. Será o jogo da prova.  técnico Rafael Andrade analisou a vitória e mostrou que já está pensando no difícil duelo que terá contra o Maringá:



Os destaques - Pelo ACP o grande nome da partida foi, sem dúvidas, o camisa 8 Chimbinha. Destacado pela imprensa de Paranavaí antes da partida, representados no Atílio Gionédis pelo narrador Ferreira Júnior e pelo comentarista Valdir Ramos da Rádio Skala FM, Chimbinha mostrou muita velocidade, além de exímio driblador. Também é um atleta que distribui bem o jogo mesmo sendo um jogador mais de lado do campo. Além de tudo isso, ainda foi o autor do gol da vitória. E assim como o Andraus, o ACP também viu seu goleiro aparecer bem. Sempre que acionado, Dida apareceu com segurança, além de também ter feito importante defesa de pênalti. O arqueiro de 29 anos ficou feliz pela vitória e convocou o torcedor para a sequência dos jogos:


OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Andraus: Augusto, Caio, Márcio, Charles e Coppetti (Randrick); Krisman, Lennon, Marcelinho e Dwann; Flávio (Fabinho) e Barbosa (Antônio).Técnico: Claudemir Peixoto.

Paranavaí:  Dida, Fiúza (Ataíde), Leonardo, Gláuber (capitão) e João Victor; João Antônio, Alan (Robinho), Chimbinha, Rômulo e Ricardinho (Jerferson Pará); Alessandro. Técnico: Rafael Andrade.

FICHA TÉCNICA: ANDRAUS 1 X 1 CASCAVEL CR XXXXXXXXXXXXXX

Gol: Chimbinha, aos 36 do 2º tempo.
Cartões Amarelos: Charles, Lennon e Antônio (Andraus); Ricardinho e Robinho (Paranavaí).

EM BREVE ÁLBUM DE FOTOS DA PARTIDA XXXXXXXXXXXXXX



__________________________________________

DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO