Atlético derrota o Flamengo por 2 a 1 e assume a liderança do grupo 4 da Libertadores da América


A Arena da Baixada recebeu nesta quarta-feira (26) um jogo de altíssimo nível entre Atlético e Flamengo, valendo a liderança do grupo na Libertadores. O Furacão segurou a pressão flamenguista e conquistou importante vitória com atuação consistente da equipe atleticana.

#LIBERTADORES 2017
Por Yuri Casari

Talvez embalado pela torcida, o time atleticano iniciou a partida com grande ímpeto ofensivo, impossibilitando o Flamengo de tentar sair para o jogo. O Atlético trocava passes constantemente e buscava espaço pelas pontas, enquanto o rubro negro carioca fazia apenas um jogo de observação, posicionado em seu campo de defesa. Aos 7 minutos aconteceu o primeiro lance de grande perigo. Otávio trocou passes com Nikão e arriscou o chute. A bola explodiu em um defensor do Flamengo e sobrou para Nikão, que limpou o lance e bateu forte carimbando a trave.

Depois do susto, enfim, o Flamengo conseguiu segurar a bola por mais de três passes, e passou a girar a bola com paciência. Mas o Atlético vinha apresentando um grande poder de recuperação e não demorou a voltar a ter a posse da bola. Ainda assim, o time carioca chegou ao ataque em boa jogada de Arão, que passou para Guerrero bater prensado na dividida com Thiago Heleno. Na sequência, em bola alçada na área, Rômulo cabeceou forte pra fora.

O jogo que começou bem para o Furacão começou a virar de lado. Após um erro de passe atleticano, Guerrero disparou em direção ao gol com grande liberdade, fez a finta cortando a bola para o pé direito e bateu colocado, mas a bola saiu pelo lado esquerdo de Weverton, que ficou apenas no golpe de vista. Na casa dos 15 minutos, o Atlético voltou a assumir o protagonismo, mas em três jogadas ofensivas seguidas a equipe se livrou da bola em cruzamentos sem alvo na área. Aos 22, o Flamengo tentou usar da mesma tática atleticana e subiu a marcação. Com isso, conseguiu uma finalização com Trauco que não trouxe dificuldade para Weverton. Aos 28 o Atlético voltou a finalizar em chute rasteiro de longa distância de Nikão, mas que passou bem longe da meta defendida por Muralha.

Aos 36 minutos, o Atlético recorreu a um velho expediente. Se com a bola rolando não estava funcionando, o jeito era tentar na bola parada. Em falta cobrada do lado direito da intermediária, Matheus Rossetto lançou e Thiago Heleno cabeceou para o alto encobrindo o goleiro Muralha, e ateou fogo na Arena da Baixada abrindo o marcador para o Furacão. O gol deu a tranquilidade necessária para o Atlético manter o Flamengo sob controle.

Na primeira etapa, o Atlético realizou uma partida segura, atuando dentro de suas características, e alcançando o gol em seu ponto forte: a bola parada pelo alto. Porém, a insistência em lançamentos na área fez com que o rubro negro paranaense se livrasse da bola de maneira desnecessária em alguns momentos. Já o Flamengo mostrou muito preparo técnico e tático, se movimentando bastante e trocando muitos passes, inclusive tendo ficado próximo de marcar antes do gol atleticano.


No segundo tempo, logo com dois minutos, o Atlético conquistou sua primeira finalização com Rossetto, que aproveitou sobra e tentou colocar efeito, mas a bola foi pra longe. Em seguida, o Flamengo deu a resposta com um forte chute de Pará, que Weverton espalmou. Na sequência do lance, Paolo Guerrero mandou para as redes, mas estava em flagrante posição de impedimento. O peruano voltou a aparecer em um contra-ataque flamenguista ao dar um lindo passe de calcanhar para Gabriel, que acabou desperdiçando a jogada para irritação de Guerrero. O Mengão voltou a chutar a gol com Arão, que bateu no meio para nova defesa do camisa 12 atleticano.

Aliás, o Flamengo foi gostando do jogo. Aos nove minutos, a equipe flamenguista fez linda jogada coletiva iniciada por Muralha que lançou Pará pela direita, que tabelou com Arão e virou o jogo para Gabriel, que em seguida colocou Renê na linha de fundo, que por sua vez tentou o cruzamento, interceptado por Weverton. Aos 11 o Atlético respondeu com um rápido contra-ataque que terminou em chute muito forte de canhota de Eduardo da Silva, mas Muralha espalmou pra longe.

Depois de quase 15 minutos de posse flamenguista, Nikão, o melhor jogador atleticano em campo, tentou outro arremate, mais uma vez defendido por Muralha. Aos 29, o Flamengo criou sua melhor chance na partida. No cruzamento na área, Leandro Damião ganhou pelo alto e pregou o travessão. No rebote, Paolo Guerrero cabeceou e parou em Weverton, que se recuperou rápido do primeiro lance e salvou o Atlético. Guerrero desafiou Weverton de novo em chute de fora da área, e novamente o arqueiro levou a melhor. O Flamengo voltou a ficar próximo do empate aos 36 minutos, quando Matheus Sávio levantou na área, todo o setor defensivo do Atlético falhou, e Leandro Damião entrou pelo alto e cabeceou muito forte, mas por cima do travessão. Logo em seguida, a zaga atleticana deu outro vacilo e Gabriel perdeu chance de ouro.

Depois de tantos sustos o Atlético voltou a atacar. Primeiro aos 39 em chute sem muita direção de Felipe Gedoz e depois com Otávio que finalizou com perigo, mas a bola passou pela linha de fundo. Mas foi aos 42 que a Arena da Baixada voltou a explodir. Eduardo da Silva deu ótimo passe para Felipe Gedoz completar para as redes. A vitória parecia certa, mas dois minutos depois de marcar, o Atlético cedeu o gol. Após cobrança de escanteio, a bola sobrou para Willian Arão diminuir o placar, premiando a boa partida individual do volante. Já nos instantes finais Matheus Sávio assustou o torcedor atleticano, mas um desvio providencial na zaga mandou a bola para fora. O Flamengo ainda teve a última tentativa no escanteio, mas a defesa afastou  garantindo a vitória atleticana que coloca o clube na liderança do grupo 4 da Libertadores com 7 pontos.

OS ESCRETES xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Atlético-PR (2): Weverton, Zé Ivaldo, Thiago Heleno, Paulo André e Sidcley; Otávio, Lucho González (Felipe Gedoz) e Matheus Rossetto (Wanderson); Nikão, Douglas Coutinho e Eduardo da Silva. T: Paulo Autuori.

Flamengo (1): Muralha, Pará, Réver, Rafael Vaz e Renê (Matheus Sávio); Márcio Araújo (Mancuello), Willian Arão, Rômulo (Leandro Damião), Trauco e Gabriel; Paolo Guerrero. T: Zé Ricardo.

Gols: Thiago Heleno aos 36 do 1º tempo; Felipe Gedoz aos 42 do 2º tempo e Willian Arão aos 44 do 2º tempo.


Cartões amarelos: Weverton (CAP); Rafael Vaz e Guerrero (FLA)

Imagens: Fabio Wosniak e Marco Oliveira/Site Oficial do Atlético Paranaense.


__________________________________________

DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO