Andraus e Cascavel CR: Quem ainda pode sonhar com algo na Divisão de Acesso?


Em jogo válido pela penúltima rodada da primeira fase Divisão de Acesso, Andraus e Cascavel CR entraram pensando em se aproximar cada vez mais da próxima fase, que decidirá as equipes promovidas para a elite em 2018. O empate de 1 a 1 classificou a Serpente e colocou o Gigante da Pedreira na zona de classificação

#ACESSO 2017
Por Gabriel Sawaf 

A tarde nublada em Campo Largo não era convidativa para os torcedores comparecerem ao Estádio Atílio Gionedis para o embate entre Andraus e Cascavel CR. Em campo, o pensamento era o mesmo: ficar cada vez mais longe da degola e se garantir na próxima fase. O time da casa vinha engasgado da última rodada, quando empatou em 1 a 1 com a Portuguesa Londrinense, sofrendo o gol de empate no último lance da partida, quando tinha um atleta a mais. Já os visitantes vinham empolgados após vencerem o Apucarana Sports por 3 a 0 na estreia do treinador Jonas Siqueira.  Antes de falarmos sobre o duelo, vamos avaliar as equipes e seus destaques.

Andraus - O time da casa jogava sobre pressão. Após sete rodadas, o time de Campo Largo tinha somado quatro pontos apenas e se encontrava na zona de rebaixamento. Na rodada anterior, o gol sofrido no último lance da partida contra a Lusa ainda pesava e ainda causava um certo ressentimento no Gigante da Pedreira antes do confronto.

Com bola rolando, a principal característica da equipe ficou evidente: a velocidade. O Andraus se mostrou mais entrosado do que nas outras rodadas e controlou bem o jogo na base da juventude da sua equipe. Porém, como o aspecto fundamental da equipe ficou esclarecido o negativo também se manteve presente: a falta de oportunismo do ataque, que havia marcado apenas seis gols nos outros jogos. A ofensividade dos pontas não resultava em grandes chances de Flavio. Tanto que o gol saiu de um chute de longa distância.
O treinador Claudemir Peixoto lamentou muito o gol sofrido no final e pede concentração total para a decisão da vaga contra o Grêmio Maringá, no próximo domingo (16).



O TALISMÃ (Lennon) - Capitão da equipe, o volante esteve presente em sete dos oitos jogos realizados pela equipe até aqui (só ficou de fora do confronto contra o Apucarana por suspensão automática). O jogador alvicinza mostra-se bem ativo na meia cancha, ligando as jogadas da defesa para o ataque. Foi premiado marcando um belo gol.



FIQUE DE OLHO (Barbosa) - Para quem acompanha o escrete do Andraus a alguns anos já deve conhecer bem o atacante. O jogador foi artilheiro da equipe na campanha do título da Terceira Divisão do Paranaense em 2014. Nessa temporada, o atleta começou no banco, mas aos poucos foi conquistando seu lugar e no confronto diante da Serpente foi um dos destaques. Em caso de classificação, o clube de Campo Largo pode contar com o atacante, que está a caminho do retorno do seu melhor potencial.

Cascavel CR - A Serpente d’Oeste veio motivada pela vitória contra o Apucarana. Porém, no início do embate contra o Andraus o escrete tricolor se mostrou bem perdido. Mas, como já foi citado anteriormente, teve sorte da falta de ofensividade do ataque campo-larguense. Aos poucos, o time visitante foi controlando o jogo e ficando mais com a bola.

Na segunda etapa o time voltou melhor e o treinador Jonas Siqueira aproveitou para estrear os jogadores Éder e Alan James, que vieram emprestados pelo Foz do Iguaçu. A entrada dos atletas deu mais consistência no meio e criando mais chances. O Cascavel sofreu o gol e quase se perdeu, com bolas cruzas do meio de campo para a área, indo de graça para as mãos de Augusto. Mas as tentativas, mesmo que sem muita criatividade, deram certo com o gol de Fernando no final.



Com o empate e a combinação de resultados, a Serpente já garantiu vaga para a segunda fase do campeonato. O treinador Jonas Siqueira comemorou a classificação e disse que já aproveitou o embate para fazer testes.

FIQUE DE OLHO  (ALAN JAMES) - Para a segunda fase o time precisa se reinventar para brigar pelo acesso. Uma das principais apostas para que isto ocorra foi a parceria junto ao Foz de Iguaçu. Dentre os quatros atletas que já atuaram, o atacante Alan James, que entrou no segundo tempo, chamou atenção. Com a entrada do jogador, a Serpente conseguiu evoluir e chegar até o gol de empate. Com a chegada de uma nova fase, novos jogadores sempre são bem vindos para renovar a cara da equipe.

TALISMÃ (JALNIR E GILSON) - Como já citamos, o Andraus foi melhor na primeira etapa mas não conseguia marcar gols. Um dos motivos disto acontecer foi a grande atuação da dupla de zaga. A defesa é um dos pontos positivos da campanha, já que o clube sofreu sete gols em todo campeonato, ficando atrás apenas dos três primeiros colocados do certame. O zagueiro Gilson comemorou a classificação e disse dos novos desafios.



O EMBATE - A partida começou animada e muito corrida. O time da casa foi melhor e criou as melhores chances. Barbosa finalizou para fora e logo depois o volante Krismann chutou para boa defesa do goleiro Eneias. A primeira chegada da Serpente foi aos 26 minutos, quando John Lennon fez boa jogada e caiu na área, reclamou de pênalti, que não foi marcado. No lance seguinte, Flavio invadiu a área e chutou para a fora. O primeiro tempo foi marcado por uma pausa. O bandeirinha relatou que sofreu ameaças e cuspes vindos da torcida do Andraus. A partida ficou parada por três minutos até que a PM agisse.

Na segunda etapa o ritmo foi ainda maior. Logo no primeiro minuto Marcio quase marcou de cabeça. Depois a Serpente criou grandes chances em menos de dez minutos. Primeiro com Adriano de falta que foi para fora. Depois Fabricio finalizou novamente para fora. O lateral ainda saiu cara a cara com Barbosa, que fez uma grande defesa; Depois Jalnir cobrou falta que foi por cima do gol. O CCR continuou melhor, mas parou de criar com perigo. 


O Andraus foi chegando aos poucos e abriu o marcador. Aos 25 minutos, Lennon acertou belo chute no ângulo e abriu o marcador. Logo depois Flavio perdeu uma grande chance de ampliar o marcador. A partida voltou ao domínio da Serpente, que se mostrava muito nervosa e não conseguia criar. O placar parecia que iria ficar no 1 a 0, até que o time da casa sofreu outro baque. Andres, que tinha acabado de entrar, fez falta violenta e foi expulso, aos 43 minutos. O castigo foi grave para o Alvicinza. Aos 49 minutos, Fernando aproveitou sobra de cruzamento e chutou forte no canto, empatando o marcador e classificando o Tricolor para a próxima fase.

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Andraus: 12 Augusto; 2 Caio, 3 Marcio, 4 Charles e 6 Copetti (13 Andres); 5 Krismann, 7 Lennon, 8 Gabriel Ramos (14 Vinicius) e 10 Fabinho (18 Marcelinho); 9 Flavio e 11 Barbosa. Técnico: Claudemir Peixoto.

Cascavel CR:  1 Eneias; 2 Fabricio, 3 Jalnir, 4 Gilson e 6 Adriano; 5 Mattos (15 Éder), 8 Wellington Ceará (16 Fernando), 11 Ronaldo (18 Alan James) e 10 Rafael Barbosa; 9 Danubio e 7 John Lennon. Técnico: Jonas Siqueira.

FICHA TÉCNICA: ANDRAUS 1 X 1 CASCAVEL CR XXXXXXXXXXXXXX

Gols: Lennon, aos 25’ do 2º tempo para o Andraus e Fernando, aos 49’ do 2º tempo para o Cascavel CR.
Cartões Amarelos: Flavio, Krismann, Marcelinho, Caio, Vinicius e Copetti (Andraus) Mattos e John Lennon (Cascavel CR)
Cartão Vermelho: Andres (Andraus).

EM BREVE ÁLBUM DE FOTOS DA PARTIDA XXXXXXXXXXXXXX

__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO