Coritiba e J.Malucelli não saem do 0 a 0 em partida tediosa


A partida entre Coritiba e J.Malucelli começou cheia de expectativas. Poucos momentos antes do jogo foi divulgada a nova decisão sobre o “Caso Getterson” no qual o time havia perdido 16 pontos. Com a decisão a partida ganhava contornos distintos fora de campo, mas dentro das quatro linhas Coritiba e Jota buscaram o resultado com muita persistência.


#Paranaense 2017
Por  Arthur Henrique

A pressão inicial foi Coxa-branca, com boa presença de meio-campo, principalmente nos pés de Anderson, que distribuía a bola e criava volume no ataque. O Jota por sua vez marcava  bem, cadenciando o jogo e buscando o contra-ataque. A primeira meia-hora de jogo foi basicamente de dois times com muita marcação pelo meio, a solução era buscar as laterais, mas nenhum dos dois times foi efetivo em abrir as jogadas. Jonas, sentiu com poucos minutos, mas insistiu, na continuidade do jogo ele não conseguiu se manter e teve que sair, para a entrada de Edinho.

Apesar da forte marcação, foram registradas poucas faltas. Thiago Lopes, do Jota, tomou um cartão amarelo. Werley e  Kléber também foram amarelados. A melhor chance do Jota Malucelli foi aos 33’, com péssimo recuo de Werley, que perdeu a bola para Jatobá, que adiantou o suficiente para Wilson tirar para a lateral. Pouco pode se aproveitar do primeiro tempo. Coritiba aparecia sem vontade, Henrique Almeida, no ataque, parecia querer se livrar da bola. O Jota Malucelli sumido em campo, com Tomas em destaque, mas de resto muito apagado.


SEGUNDO TEMPOA segunda etapa veio diferente, pelo menos no quesito vontade. Com mais movimentação de ambos os lados. Com 3’ o Coxa teve a chance de abrir o placar, mas Kleber caiu na área, o juiz não deu o pênalti. Pouco tempo depois, Eltinho tomou amarelo por falta dura, sinais de que o jogo poderia melhorar. Uma esperança falsa, mas pelo menos um grande lance. Pachequinho tirou Rildo e colocou Iago Dias. Aos 15’, o primeiro chute do Coritiba, com o primeiro toque na bola, Iago Dias tocou para Anderson, que bateu bem obrigando o goleiro Fabrício a fazer boa defesa. Buscando um resultado melhor ou pelo menos mudar a postura do time, o treinador Luciano Gusso colocou Paulinho e Guilherme Parede nos lugares de Jatobá e Jenisson.

O segundo tempo foi mais faltoso, ficou travado e com pouquíssimas chances. Não haviam nem chutes ruins em direção ao gol. No Coritiba, Kleber pareceu sentir a coxa e foi substituído por Neto Berola. Aos 30’, Henrique Almeida recebeu livre e avançou, tocou a bola para Neto Berola, que entrou na área e bateu na área. O Coritiba esboçou uma reação, pouco depois, aos 35’ Werley subiu sozinho e o goleiro Fabrício fez boa defesa.

Na melhor chance do Coritiba, Neto Berola aplicou uma linda caneta em cima de Alex, dominou na área e bateu pro gol, obrigando Fabrício a fazer uma grandiosa defesa. A pressão coxa foi maior nos cinco minutos finais que em toda a partida. Coritiba e Jota Malucelli protagonizaram uma péssima partida, com muitos erros de ambos os lados. Passes, finalizações, posicionamento, movimentação, enfim, todos os fundamentos foram mal. O melhor jogador talvez tenha sido Fabrício, goleiro do Jota, mas não porque o coxa exigiu muito dele, mas em dois lances ele não tomou gol e isso torna a atuação dele grandiosa em relação a qualquer outro jogador em campo neste sábado.


Com uma postura deprimente dos dois times o Couto Pereira viu, talvez, o pior jogo desta edição do Paranaense 2017.

S ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

CoritibaWilson; Rodrigo Ramos; Werley; Juninho; Carlinhos; Jonas (Edinho); Thiago Lopes; Anderson; Rildo(Iago Dias); Henrique Almeida; Kléber. Técnico: Pachequinho

J. Malucelli: Fabrício; Neto Ramos; Alex Fraga; Tiago; Eltinho; Wellington; Jatobá (Paulinho); Tomas Bastos; Santiago (Diogo); Jenisson (Guilherme Parede); Getterson. Técnico: Luciano Gusso 

MELHORES MOMENTOS (VÍDEO) xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx




__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO