Coritiba bate o Rio Branco e assume vice-liderança do Campeonato Paranaense


No confronto válido pela décima rodada do Campeonato Paranaense, o Coritiba venceu o Rio Branco por 2 a 1 no Couto Pereira. A partida deste domingo (26) começou com as duas equipes bem equilibradas, com uma atuação valente do Leão da Estradinha, que enfrentou o Alviverde de igual para igual. Mas o time alviverde foi melhor na segunda etapa, marcando dois gols.

#PARANAENSE 2017
Por Bia Lima

No primeiro tempo, Coritiba e Rio Branco fizeram um jogo bem equilibrado, porém, morno. As duas equipes tiveram poucas chances significativas, teve bola na área em vários lances, mas faltou mira e organização nas jogadas. Aos 2', o Rio Branco já havia sofrido falta em cima de Minho e tentou a chance com a cobrança de Rafael Tavares, que chutou forte e mandou a bola pela linha de fundo. Aos 4', Coritiba fez sua primeira chegada com Neto Berola, que deu um belo chute, porém, alto demais para entrar.

O Coritiba teve grande chance aos 23' da primeira metade da partida, quando Kleber recebeu um passe na área e tentou uma bicicleta. O atacante não fez o gol e ainda acabou acertando a cabeça de Éverton Maringá, do Leão, que ficou no chão por alguns minutos até se recuperar da dor. O lance acabou rendendo cartão amarelo para o atacante do Coritiba. Passados 28’ do primeiro tempo, Rio Branco tem boa chance na área com Minho, mas logo o atacante é desarmado por Alan Santos. A equipe Alviverde tentou uma resposta rápida, que acabou com a bola nas mãos do goleiro Dalton. Não deu outra, o placar do primeiro tempo no Couto terminou sem alteração.


SEGUNDO TEMPO - Para o segundo tempo, o Verdão fez duas alterações: saíram Edinho e Neto Berola, entraram Tiago Real e Léo Santos. Na segunda etapa do jogo, foi possível ver um Coritiba bem diferente do primeiro tempo. A equipe de Pachequinho voltou bem mais disposta e fazendo bastante pressão sobre o time de Paranaguá.

Os coxa-brancas foram apertando, mas tinham dificuldades para finalizar. Até que, depois de tanto insistir, aos 10', a bola entrou no gol de Dalton com a cabeçada de Alan Santos, que aproveitou a cobrança de falta de Tiago Real. Com o gol, o Coritiba ganhou mais confiança e, apenas oito minutos depois, ampliou a vantagem com o chute no canto de Léo Santos. Aos 28', faltou pouco para a equipe Alviverde aumentar o placar novamente, mas Kleber, sozinho, chutou para fora. O artilheiro cometeu o mesmo erro quando pegou o rebote da espalmada de Dalton, aos 38'.

No segundo tempo, não sobraram muitas chances para o Rio Branco, mas, já nos acréscimos, o Coritiba achou que já estava tudo resolvido e bobeou na defesa. Minho chegou pela esquerda e passou para Juninho, que finalizou a jogada com um gol de fora da área, aos 46'. 

Aos 48', o árbitro apitou o fim da partida, que resultou em Coritiba 2 x 1 Rio Branco. Com esse resultado, o Coritiba assumiu a vice-liderança do Campeonato Paranaense, com 20 pontos. Já o Rio Branco caiu uma posição, tornou-se o 10º colocado e acabou ficando com o mesmo número pontos (8) que o Toledo, que já está na zona de degola.


Apesar do resultado insatisfatório na tabela para o Rio Branco, Saulo de Freitas, que assumiu como técnico na última sexta-feira (24), após demissão de Ary Marques, mostrou-se feliz com o desempenho de sua equipe. Freitas reconhece que ainda há muito a melhorar, mas com a atuação da última partida, o elenco conseguiu surpreender o adversário alviverde, mostrando evolução no trabalho dos paranaguaras.

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Coritiba: Wilson; Rodrigo Ramos, Márcio, Walisson Maia e William Matheus; Edinho (Tiago Real), Alan Santos e Anderson; Neto Berola (Léo Santos), Iago (Kady) e Kléber. Técnico: Pachequinho


Rio Branco: Dalton; Raul, Leandro Cardoso, Ramon e Maringá; Thiago Pedra (Juninho), Camargo, Oberdan (Thiago Santos) e Rafael Tavares (Juan); Eric e Minho. Técnico: Saulo de Freitas

Gols: Alan Santos, 10, Léo Santos, 18, Juninho, 46 do 2º;

MELHORES MOMENTOS (VÍDEO) xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx




__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO