Coritiba vence o Paraná em jogo fraco tecnicamente


O clássico disputado no estádio Couto Pereira pela 3° rodada do Campeonato Paranaense de 2017 reuniu fortes emoções na noite do último domingo (5). Coritiba que teve dois resultados ruins nas rodadas anteriores e o Paraná era o líder isolado da competição com duas vitórias e sete gols anotados. Mas como clássico é clássico o alviverde mostrou mais volume e venceu pelo placar mínimo.

#PARANAENSE 2017
Por Arthur Henrique

O jogo iniciou pegaado, com o Paraná mais posicionado na defesa, tentando explorar os erros do adversário. Com 3’, Jhony, do tricolor matou um contra-ataque e recebeu amarelo. Mas aos 5’ foi a defesa do Coxa que quebrou o ataque adversário, a falta dura obrigou o juiz a compensar e mostrar o amarelo para Juninho.

Em vários momentos no primeiro tempo a zaga paranista recuava para o goleiro na fogueira. Aos 15’ o maior erro, em recuo errado o goleiro Leo chutou em direção aos pés de Kléber, que no arremate chutou no zagueiro e perdeu a chance. A primeira boa chance do Paraná veio aos 18’, com a cobrança de falta de Zezinho, que passou poucos centímetros do gol de Wilson.

Enquanto o Paraná não conseguia criar no meio-campo para as chances de arremate o Coritiba não conseguia infiltrar a área adversária devido a boa defesa paranista, que quando acionada correspondeu. O jogo continuava pegado, em contra-ataque perdido pelo Paraná o coxa avançou e Felipe Alves fez falta em Kléber e acabou levando o amarelo. Aos 31’ o zagueiro Werley subiu impedido e cabeceou, mas o bandeirinha já assinalava a posição irregular.


O técnico Wagner Lopes mexeu no fim do primeiro tempo, tirou o volante Jhony, que já tinha amarelo e colocou Gabriel Dias. Nos acréscimos o juiz mostrou amarelo para Alan Santos, mas o curioso do lance é que o árbitro já havia marcado falta para o Coritiba e na continuidade o defensor coxa entrou forte e levou o cartão.

SEGUNDO TEMPO - Após um fim de primeiro tempo enfadonho, a segunda etapa iniciou com muitos erros de ambas as equipes. Pelo Paraná muitos lançamentos em vão. No Coritiba as chances eram desperdiçadas em cruzamentos incompletos e em chance perdida por Henrique Almeida, que fez boa jogada e chutou no peito do goleiro Leo. Com mais volume no campo de ataque o Coritiba teve várias faltas para tentar abrir o placar. Em uma delas Alex Santana ganhou um amarelo.  Insatisfeito com o empate P. Carpegiani tirou Thiago Real e colocou Neto Berola, tentando colocar mais força no ataque. O Paraná também mudou, a estreia de Guilherme Biteco no lugar de Alisson e Junior no lugar de Kaike.

O Paraná cresceu no jogo, obrigando Carpegiani a mudar seu esquema e tirar Henrique Almeida no ataque para recompor com Ruy o meio. O tricolor apresentava volume com o ponta Vitor Feijão, que com velocidade passeou na lateral coxa. Aos 26’ a melhor chance do tricolor, com Biteco, que cabeceou firme e obrigou o goleiro Wilson a fazer uma bela defesa. Logo no melhor momento tricolor no jogo o alviverde subiu ao ataque e em cruzamento de Neto Berola, Kléber finalizou com frieza e garantiu a vantagem do Coritiba. Foi o primeiro gol que o Paraná sofreu no ano. Para piorar para o tricolor, além da derrota, Zezinho, em um lance bobo agrediu Kléber e tomou um cartão vermelho, desfalcando o Paraná para a próxima partida.

O Coritiba teve mais volume no final das contas, pressionou  no primeiro tempo e quando teve controle do jogo no segundo tempo soube marcar o gol, minimizando a fase. O Paraná entrou com time reserva para enfrentar o São Bento pela Copa do Brasil e decidiu não priorizar o clássico, na minha opinião um erro. Além disso se mostrou uma equipe frágil mentalmente, após tomar o gol se descontrolou e sofre sua primeira derrota no ano. 


OS ESCRETES xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Coritiba: Wilson; Carlinhos; Walisson Maia; Juninho; Werley; Alan Santos; Matheus Galdezani; Thiago Real (Neto Berola); Henrique Almeida (Ruy); Kléber; Rildo (Filigrana). Técnico: Paulo César Carpegiani.

Paraná: Leo; Diego Tavares; Artur Jesus; Rayan; Kaike (Junior); Jhony (Gabriel Dias); Vitor Feijão; Alex Santana; Zezinho; Felipe Alves; Alesson (Guilherme Biteco).  Técnico: Wagner Lopes.

GOL: Kléber aos 281 do 2º tempo ( Coritiba).

MELHORES MOMENTOS (VÍDEO) xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx


__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO