Com gol de Grafite, Atlético vence Millonarios e sai em vantagem na Libertadores


Furacão não encontrou vida fácil diante da equipe colombiana e só conseguiu sair com o resultado favorável graças a um pênalti no começo do segundo tempo. Atacante fez seu primeiro gol logo na estreia. Partida de volta acontece quarta que vem em Bogotá.

#LIBERTADORES 2017
Gabriel Sawaf

O Atlético voltou a disputar da Libertadores após três anos, já a Baixada a receber jogos da competição após 12 temporadas. Um clima de expectativa rodeava a Arena para o embate. Do lado de fora também rodeou um clima amigável entre brasileiros e colombianos, que tentavam vender artesanatos e camisas de sua equipe para garantir o retorno para casa. Os torcedores do Millonarios viajaram mais de 15 dias, entre caronas e caminhadas.

Dentro de campo o Furacão vinha desfalcado. O zagueiro Thiago Heleno não teve seu nome publicado no BID e não está regularizado para o jogo, e foi substituído por Wanderson. Já Nikão cumpria suspensão, já que foi expulso no último jogo do Rubro Negro por uma competição internacional, quando foi derrotado para o Sportivo Luqueño por 2 a 0 no Paraguai. Em seu lugar entrou a novidade do time, o meia atacante Crysan, que retorna de um empréstimo ao Oeste de São Paulo.


PRIMEIRO TEMPO - Com a bola rolando os colombianos começaram melhor, com boas jogadas do lateral esquerdo Machado, que cruzou duas vezes com perigo para o corte da zaga atleticana. O primeiro susto foi com Cadavid, que aproveitou o bate rebote e chutou, mas foi travado por Wanderson. Incentivado por sua torcida, o Atlético foi aos poucos buscando o ataque, tendo a primeira ameaça após lançamento de Lucho Gonzalez para área buscando Pablo, que foi interceptado pelo goleiro o Vikonis. O Millonarios mostrava conhecer bem os pontos fracos do rubro negro e jogava nas pontas, chegando perigosamente em tabela do lateral Palacios com Nuñez, o lateral chutou fraco e a bola caiu ficou tranquila para Weverton. Aos 12 minutos o Atlético levou perigo ao gol colombiano, após cobrança de falta de Gedoz para Wanderson, que foi por cima do gol.

Aos poucos o clima de Libertadores foi dominando o jogo. Aos 15 minutos o juiz tinha parado o jogo e Felipe Gedoz não percebeu e continuou jogando e uma mini confusão se formou, mas o árbitro soube controlar. A medida que o jogo foi passando as faltas foram aumentando e as chances de gol diminuindo. Os colombianos seguindo apostando na jogada das pontas e o Furacão tentando jogar pelo meio. O Rubro Negro chegou com perigo aos 25 minutos, Gedoz cobrou falta e a bola encontrou Paulo André sozinho, que furou, perdendo uma boa oportunidade. Aos 30 minutos o Furacão chegou novamente. Jonathan cruzou e Grafite chegou dividindo com o goleiro Vikonis, a bola sobrou para Crysan, que teve sua finalização cortada pelo zagueiro Franco.

O jogo foi ficando morno e as chances de gol se tornaram escassas. Aos 37, Pablo chutou de fora da área, mas a bola passou longe do gol de Vikonis. Os colombianos tentavam chegar nas bolas áreas, mas não conseguiam levar muito perigo ao gol de Weverton. No último minuto da primeira etapa Wanderson tentou arriscar de fora da área, porém a bola foi longe. Com Carlos Alberto no aquecimento, o juiz assinalou o fim da primeira etapa.


SEGUNDO TEMPO - Para a etapa complementar o Furacão voltou modificado. Crysan saiu e deu lugar para Carlos Alberto fazer sua estreia com a camisa rubro negra. O Furacão começou melhor. Logo aos dois minutos Felipe Gedoz cruzou a bola na cabeça de Paulo André, que cabeceou para fora. Aos seis minutos foi a vez dos colombianos assustarem. Palacios fez boa jogada pela direita e cruzou na cabeça de Del Valle, que testou por cima do gol. No minuto seguinte Pablo tabelou com Jonathan e entrou na área, Cadavid chegou por trás e o juiz assinalou a marca do cal. Na cobrança Grafite cobrou no canto direito e marcou seu primeiro gol com a camisa atleticana.

Com o gol atleticano o Millonarios foi buscando mais o campo de ataque, porém parava na boa atuação da linha defensiva atleticana. O Furacão reforçou seu escrete defensivamente de maneira forçado, pois Lucho Gonzalez se contundiu e deu lugar à Rosseto. Enquanto os visitantes buscavam nas jogadas pelas pontas, o Atlético tentava surpreender no contra ataque. Aos poucos os colombianos foram chegando e criando suas chances. Aos 26 minutos Del Valle lançou para Mackallister na área, o meia recebeu e chutou no pé da trave, perdendo uma boa chance para o time visitante.

Com as chegadas de perigo do Millos, o Furacão deu uma acordada no jogo e foi tentando controlar mais o passe de bola. Com o gás dos seus atletas acabando, os treinadores mexeram nos times. Paulo Autori fortaleceu mais o seu lado direito, colocando Léo no lugar de Felipe Gedoz, fazendo Jonathan jogar como ala. Já Miguel Angel Russo tirou Duque e colocou o atacante Gutierrez, fortalecendo a sua linha ofensiva. Na marca de 40 minutos Russo mexeu novamente, tirando o meia Mackallister, que saiu do banco e se lesionou, para a entrada do atacante Arango. A aposta de atleticana no contra ataque quase funcionou. Otavio tocou para Carlos Alberto, que lançou Sidcley na esquerda, o lateral entrou e chutou cruzado, para boa defesa de Vikonis.  O fim do jogo foi mais tenso, com entradas mais fortes e diversas reclamações dos dois lados. Porém o juiz apontou o meio de campo apenas com o gol atleticano sendo marcado.


OS ESCRETES xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

ATLÉTICO 1 X 0 MILLONARIOS

ATLÉTICO-PR: 12 Weverton; 2 Jonathan, 13 Paulo André, 25 Wanderson e 6 Sidcley; 7 Otávio, 3 Lucho Gonzalez (20 Rosseto), 8 Pablo, 10 Felipe Gedoz (22 Léo) e 18 Crysan (19 Carlos Alberto); 23 Grafite. Técnico: Paulo Autori.

MILLONARIOS (COL): 21 Vikonis; 18 Palacios, 5 Cadavid, 19 Franco  e 15 Machado; 20 Dominguez, 22 Duque (25 Gutierrez), 17 Rojas e 11 Maxi Nuñez; 16 Ayron Del Valle e 24 Quiñonez (14 Mackallister) (9 Arango). Técnico: Miguel Angel Russo.

Cartões Amarelos: Felipe Gedoz, Pablo, Otávio, Carlos Alberto e Grafite (Atlético); Duque, Dominguez, Palacios, Cadavid e Arango (Millonarios).  

Gol: Grafite, aos oito minutos do segundo tempo para o Atlético.


__________________________________________

DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO