Matador e eficiente: Neguinho, uma pedra sendo lapidada nos campos da Suburbana


Atacante do Bangu foi decisivo para a conquista do título para o escrete Tricolor. Com o brilho na competição, o jogador já começa a fazer planos para o futuro dentro do esporte. Confira mais uma entrevista da série, “uma pedra sendo lapidada nos campos da Suburbana”.

#ENTREVISTA
Por Gabriel Sawaf

Os apaixonados por futebol que tiveram a oportunidade de acompanhar o escrete do Bangú em campo, pelo torneio juvenil da Série B da Suburbana, pode notar uma pérola que jogava no ataque do Tricolor. O camisa 9 do time da zona oeste chamava atenção pela grande presença no campo ofensivo, seja armando jogadas, ou dando assistências para os colegas, e também finalizando e fazendo gols.

O jogador em questão é Allyson Renan, conhecido no mundo do futebol como Neguinho. A atleta de 17 anos jogou a competição pela terceira vez em sua carreira, pois já havia defendido o escrete do Urano nos anos de 2014 e 2015. Em 2016 Neguinho chegou a vice artilharia do certame com 19 gols, um a menos que Lucas Moraes do Ypiranga, e foi eleito o craque da competição pela Equipe DRAP.

Em entrevista ao site, Neguinho destacou que por atuar na Suburbana desde os 15 anos, já conhecia o clima e o nível da competição. “Eu vinha de uma Suburbana ano retrasado, mas como jogava com o campeonato 97 eu não era muito utilizado, e na suburbana do ano passado eu entrei faltando algumas rodadas só. Então já conhecia o clima da suburbana. E assim eu aprendi muito, aprendi q eu time é formado por 11 jogadores, eu jogava muito individual, mas nesse campeonato eu aprendi q cada jogador é importe e hoje eu consigo joga a favor do time”, declarou o atacante, que ressaltou a evolução no trabalho junto ao time nessa temporada.

O atacante não escondeu que não esperava chegar tão longe nessa temporada. “O título e a conquista do craque do campeonato significaram muito pra mim porque pelo campeonato que fiz não pensei q chegaria tão longe, eu percebi que cada treino, que cada esforço que eu fiz foi reconhecido e isso que me deixa mais contente, de sabe q nada foi em vão e também que toda honra e glória seja dada a Deus”, ressaltou.


Neguinho também agradeceu ao técnico Cristiano Bassoli, com o qual trabalha desde a quatro anos já, destacando não só o trabalho individual que tem com o treinador, mas também como Bassoli trabalha com todo o grupo. “O Cristiano foi uma pessoa fundamental para mim, ele tem trabalhado muito forte com todos, e ele me ajudou dando dicas como fazer ou como não fazer certas coisas dentro e fora do campo, aconselhou muito também, além de treinamentos específicos que me ajudaram bastante”.

Como nasceu em 1999, Neguinho não poderá atuar na competição no ano que vem. Mas já deixou claro que sua carreira não parará por ai. “Esse foi meu ultimo ano na suburbana no juvenil, pois como sou de 99 já esgotou a minha idade. Em relação ao ano vem ta surgindo algo novo sim, talvez a possibilidade de jogar o estadual sub 19 por alguma equipe”, afirmou, deixando-nos com saudades de seus grandes lances dentro dos gramados da Suburbana e também deixando uma ansiedade para todos que querem o ver brilhando pelos gramados por aí. 

__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO