[JUVENIL] Seleção "Do Rico Ao Pobre" de 2016 da Série B


A Divisão de Acesso da Suburbana de 2016, categoria juvenil, também teve o seu fim no último sábado (17) com o título da equipe do Bangú, que no placar agregado venceu por 10 a 0 o escrete do Bairro Alto. Não muito diferente, a Série B do juvenil teve também mais de 120 jogos com os 15 escretes buscando o título e com centenas de jovens atletas buscando uma oportunidade. Dentre os que se destacaram ao longo do certame, os integrantes do site Do Rico ao Pobre montaram o escrete especial com os onze melhores da Série B da Suburbana desse ano.

#SELEÇÃO DRAP
Por Equipe Do Rico ao Pobre

A categoria juvenil iniciou e terminou no mesmo dia que a categoria adulta. Ou seja, o certame teve aproximadamente quatro meses de disputa. Ao todo, foram quatro fases e mais de 120 jogos. A final, diferente da categoria adulta, foi decidia entre Bangú e Bairro Alto, que terminou com o placar de 7 a 0 para o Bangú, no Estádio Ozório Claudino de Barros. Por isso, com a superioridade nos dois embates da final, a seleção DRAP da Série B (Juvenil) não poderia ser diferente. Mesmo assim, as duas equipes foram as que mais tiveram jogadores na seleção DRAP, com um tradicional 4-4-2.

Com uma ótima campanha, que somou 75% de aproveitamento, o time do Bangú teve cinco jogadores: O goleiro Matheus, o zagueiro Márcio, o lateral Du, o meio de campo Alison e o atacante Neguinho. Na sequência, o também finalista do certame, Bairro Alto, teve três representantes na Seleção DRAP: o zagueiro Luis, o volante Christian e o meia Bruninho.

Para completar a seleção, Vila Hauer, Grêmio Ipiranga e Vila Sandra tiveram um represente no escrete. O time do Vila Hauer teve o volante Trindade, o Grêmio Ipiranga o atacante e artilheiro do campeonato, Lucas Moraes, e o lateral do Vila Sandra, Alexandre. Para treinar a seleção DRAP da Série B, categoria juvenil, o treinador Cristiano Bassoli, que foi campeão pelo Bangú.

A equipe DRAP também escolheu o craque do campeonato, o atacante do Bangú, Neguinho.


Concorda? Discorda? Trocaria alguém? Mudaria a tática? Solte a sua voz nos comentários...

__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO