Campeão da Suburbana e da Taça Paraná, Juninho comemora ano vitorioso


Velho conhecido no futebol amador de Curitiba, Alei Silva Jr, mais conhecido como Juninho, teve um inesquecível ano de 2016. Campeão da Taça Paraná e da Divisão Especial da Suburbana, por Fanático e Iguaçu, respectivamente, o treinador analisa a temporada e já faz planos para seguir na rota dos títulos.

#ENTREVISTA
Por Yuri Casari

Conhecido por sempre montar equipes com fortes elencos e taticamente dominante em campo, Juninho conseguiu em 2016 um grande feito. Foi campeão das duas principais competições amadoras do estado por duas equipes diferentes. No primeiro semestre, Juninho comandou o Fanático de Campo Largo, com um elenco bem similar ao que teve à disposição no Iguaçu, durante o segundo semestre. Estavam com o treinador peças importantes como o goleiro Rodrigo, os zagueiros Emerson e Douglas, o lateral e meia Luisinho Netto, os volantes Aderaldo e Adan e o atacante Marcelo Tamandaré. Pelo Tricolor da Terra da Louça, Juninho terminou o torneio invicto, com seis vitórias e dois empates.

No Iguaçu, Juninho ficou à frente de um elenco que já vinha sendo base do alvinegro nos últimos anos. E conhecendo o caminho das pedras, o time do Butiatuivinha foi vencendo as dificuldades durante a Suburbana, mesmo caindo de produção em parte da competição. “Tivemos um início muito bom. Oscilamos no final da primeira fase devido à reconstrução da equipe e tivemos que mudar o esquema de jogo. Mas a principal virtude desta equipe foi a entrega e o comprometimento com o objetivo traçado”, conta Juninho. Na fase final, o Iguaçu cresceu, voltou a jogar bem, e na decisão venceu o Santa Quitéria com autoridade. “Foi um ano especial,  e com certeza o melhor sem duvida da minha carreira graças a Deus”, enfatiza o técnico.


Embora suas conquistas dentro do futebol amador digam o contrário, Juninho mantém a humildade e não se vê como uma lenda do esporte local. “Não me sinto como um dos grandes treinadores do amador, me sinto feliz e agradeço a Deus e à diretoria por confiar no trabalho de nossa comissão técnica por todo este tempo”, destaca o treinador, que também valoriza sua relação com o futebol e com o Iguaçu. “O fato de conquistar vários títulos e em varias equipes do futebol  amador me motiva a cada vez mas trabalhar em prol do amador e do Iguaçu, clube ao qual tenho um respeito e admiração muito grande pela maneira que a diretoria encara e trata com muito profissionalismo o futebol”.

Para 2017, o desejo é seguir conquistando títulos, e levar o Iguaçu para voos ainda maiores. “Objetivo é procurar manter a base, e se possível fortalecer a equipe para que possa brigar por títulos da Taça Paraná e da Suburbana”, finaliza Juninho, que ainda pode comandar a equipe no Sul-Brasileiro, em caso de título da Taça Paraná.


__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO