Andrade, o destaque da primeira final do juvenil entre Novo Mundo e Trieste


Assim como na segunda partida das semifinais contra o Vila Fanny, o Novo Mundo controlou o primeiro jogo da final contra o Trieste, teve amplo domínio, mas demorou a balançar as redes do adversário. E mais uma vez, quem definiu o resultado em favor do time da Arena Vermelha foi o ponteiro Andrade, que marcou dois gols de bola parada e colocou o Novo Mundo na frente na luta pelo título juvenil.

#FIGURINHA DO JOGO
Por Yuri Casari

Jogando pelo lado esquerdo do campo, Andrade esbanja habilidade e rapidez. Não à toa era um dos mais acionados no ataque do Novo Mundo e um dos principais motivos de preocupação para a defesa do Trieste. E não era apenas com a bola rolando que Andrade demonstrava qualidade. Foi dele o primeiro lance de perigo do Novo Mundo na partida, em cobrança de falta venenosa defendida pelo bom goleiro Lucas.

Aliás, era Lucas o principal nome do Trieste, o que mostra a força com que o Novo Mundo vinha para o ataque. No segundo tempo a situação não mudou. O alvirrubro seguiu buscando o gol. O técnico Carlos Magrão até mudou Andrade de posição. O camisa 11 passou a ser o último homem do ataque, trocando de posição com Matheus.

Aos 24 minutos, falta marcada a poucos metros da grande área, de frente para o gol. Quase uma penalidade máxima para quem sabe bater na bola. Andrade foi para a cobrança e nem pegou tão bem na bola, batendo rasteiro. Mas Lucas, que vinha sendo o herói da partida, falhou, e o placar enfim foi aberto.

Depois de sofrer o gol o Trieste finalmente resolveu atacar. Mas o Novo Mundo segui mais perigoso. E em uma saída errada do Tricolor italiano, Matheus roubou a bola no campo de ataque, avançou e foi derrubado na área. Pênalti que Andrade chamou a responsabilidade para bater, e não desperdiçou, garantindo de vez a vitória do Novo Mundo e garantindo um espaço no Do Rico ao Pobre como Figurinha da Rodada.


__________________________________________

DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO