Rodrigo, o destaque do confronto entre Iguaçu e Nova Orleans


No último sábado (5), Iguaçu e Nova Orleans se enfrentaram no Estádio Egydio Ricardo Pietrobelli, em confronto válido pelo jogo de volta da semifinal.  A equipe alvinegra de Santa Felicidade perdeu o primeiro embate da semifinal e era obrigado a vencer em tempo normal o confronto de volta para levar a decisão nos pênaltis. Desfalcado, o Nova Orleans não conseguiu segurar a pressão do time da casa no tempo normal e perdeu de 2 a 0. Na momento das cobranças, o arqueiro do Iguaçu entrou em cena e garantiu a classificação para mais uma final da equipe de Santa Felicidade.

#FIGURINHA DO JOGO
Por Rafael Buiar

O árbitro Rafael Traci trilou o apito para o início do confronto entre Iguaçu e Nova Orleans e não demorou muito para a blitz alvinegra de Santa Felicidade, comandada por Juninho, entrar em cena. Destaque para o trio de ataque do Iguaçu, com Pablo, Moscatelli e Marcelo Tamandaré, que foram os jogadores mais acionados ainda nos primeiros minutos. Do outro lado, quem trabalhou bastante para manter o placar fechado, ainda na primeira etapa, foram o arqueiro do Nova Orleans Rogério e a dupla de zaga com Du e Gbur.

Enquanto isso, o sistema defensivo, postado com os laterais Emerson e Luisinho Netto, e os zagueiros Dudu e Aderaldo, conseguiram travar as poucas ações ofensivas do Nova Orleans, principalmente, com Éder, e a vida do goleiro Rodrigo ficou bem tranquila. Mas o camisa 11 estava sentindo falta do meia Leomar e do destaque da Suburbana de 2014, Juliano. Por isso, o sistema de criação da equipe do Nova Orleans estava quase que nulo. A principal explicação disso foi a ótima tacada do treinador de Juninho, que avançou o zagueiro Douglão para a posição de volante. Devido a isso, Douglão foi praticamente um cão de guarda e não desgrudou dos meias Bruninho e Bitoca.

A redenção da equipe do Iguaçu aconteceu na segunda etapa, com dois gols. O primeiro após ótima jogada de Hideo e o segundo, entre uma trama com Emerson e Tamandaré, que acabou com o gol do lateral Emerson. Desde então, o time do Iguaçu administrou o embate até os minutos finais da etapa complementar. Com o resultado de 2 a 0, a vaga para a final decidida nos pênaltis.

Momento em que os goleiros se consagram ou viram vilão. Mas o arqueiro Rodrigo, pouco acionado no tempo normal,  preferiu a primeira opção e entrou em cena na hora decisiva. A equipe do Iguaçu 100 % nas cobranças, com Emerson, Tamandaré, Douglão, Léo Gago e Luisinho Netto. Já o escrete do Nova Orleans teve quatro cobranças. Dentre elas, o goleiro Rodrigo defendeu o tiro de Molão. Não deu outra, depois da cobrança de Luisinho Netto, o camisa 1 foi o destino final da corrida dos companheiros de equipe, que o abraçaram e comemoraram a chegada de mais uma final de campeonato.

Por isso, com uma cobrança defendida, que ajudou a equipe do Iguçau a garantir à classificação para final da Divisão Especial da Suburbana diante o Nova Orleans, Rodrigo foi o destaque da partida entre Iguaçu e Nova Orleans. Sendo ele, a quadragésima nona figurinha nona DRAP de 2016.


__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO