Christian Ristow, uma pedra sendo lapidada nos campos da Suburbana 2016


A equipe do Bairro Alto da categoria juvenil venceu o primeiro embate das quartas e empatou no último sábado (19)  com o escrete do Vila Sandra. Embate que teve o choque das duas melhores equipes da competição da primeira fase, ainda, nas quartas de final. Dentre os jogadores que estão ajudando a equipe juvenil a seguir em frente no certame, o volante do Bairro Alto, Chrtistian Ristow, tem se destacado. Confira mais uma entrevista da série, “uma pedra sendo lapidada nos campos da Suburbana”.

#ENTREVISTA
Por Rafael Buiar

O volante do Bairro Alto, Chrtistian Ristow Andrade, tem 17 anos e já tem bastante responsabilidade. Além de ser um dos líderes da equipe, as vezes a faixa de capitão fica no seu braço. Característica que o camisa cinco do alvinegro enaltece. "Sempre tive o costume de falar e orientar meus companheiros, desde trabalhos acadêmicos a conselhos pessoais e acredito que isso me torne um "líder".  Não sou o primeiro capitão da equipe, mas acredito que o professor Edu confia muito no meu trabalho e por isso me orienta nesse aspecto", esclarece.

Aproveitando esse aspecto, o futebol amador de Curitiba é onde Christian pode desenvolver e aprimorar o seu sonho, que igual na maioria dos garotos da mesma idade é ser jogador de futebol. Por isso, a cada jogo com a camisa do Bairro Alto o volante fica ainda mais motivado para seguir este caminho. "No meu ponto de vista a suburbana motiva ainda mais um moleque com o sonho de ser profissional, principalmente, por conta da organização da competição. Em relação ao Bairro Alto, só tenho a agradecer esse time, pois possuí um ambiente muito bom de se conviver. Eu estou a pouco tempo, mas dou a vida dentro de campo por esse clube", comenta.

O time do Bairro Alto foi o primeiro escrete na Suburbana da carreira de Chritian, pois foi através dele que o volante teve os primeiros passos no futebol amador de Curitiba. "Eu fui apresentado a suburbana pelo professor Thiago que já trabalhou conosco no Bairro Alto. O campeonato atendeu muito as minhas expectativas. Primeiro porque eu me encantei pela competição e pelo ambiente que ela gera a todos. Desde então, foi uma trajetória instantânea, pois eu cheguei na segunda rodada da Copa dos campeões, fiz meu primeiro treino de mansinho e tímido. Mas com o passar do tempo me soltei já nos primeiros jogos e consegui mostrar minhas qualidades para o treinador", acrescentou.


A inspiração do volante vem setor defensivo, mas em posição diferente da qual atua. Mas o principal fato pela escolha como referência no futebol vem da pessoa em si e que coincidentemente apresentou um bom futebol em anos anteriores, principalmente, com a camisa do Barcelona da Espanha. Christian admira muito o ex-jogador Puyol, qualidade inquestionável e se dúvida tem muita liderança. Outo ponto que faz com que o sonho seja alimentado é lado da família, pois o sonho dos familiares é o sonho do atleta Christian. "A relação com a minha família é a melhor possível, pois me acompanham sempre e me motivam muito para acreditar nesse sonho! Foi um sonho para o meu pai e minha mãe ao ver que isso significava muito para mim, pois correm atrás de tudo para me incentivar ainda mais" comenta.

Com os familiares próximos e empurrando o mesmo sonho para cima, o volante do Bairro está passando por uma fase de transição nos estudos, entre colégio e faculdade/universidade. Mesmo assim, Christian não vê problema e vai seguir com o estudo. Sim, ligado ao esporte. "Administro o estudo com os treinos da melhor maneira, e, posso cravar que o futebol não atrapalha os estudos se você se dedicar. Estou nessa transição de colégio/faculdade. Pretendo cursar Educação física e trabalhar como um técnico de futebol profissional", relata.

A carreira não é grande e extensa ainda, mesmo assim o volante do Bairro Alto tem várias lembranças que já passou com a camisa alvinegra e que trouxe pontos positivos para o atleta de hoje. Dentre elas, um embate que o time do Bairro Alto saiu derrotado. "Acredito que o meu início foi muito feliz, pois conquistei muitos campeonatos e isso me motivou muito. Mas como aprendizado no Bairro Alto eu destaco uma dramática derrota de 8x0. Justo na minha esteia, pois ali eu vi a responsabilidade de jogar pelo clube", relembrou.


Por isso, Christian está motivado para os confrontos das semifinais da Série B, diante o escrete do Vila Hauer. "Ainda é cedo para falar em título, mas o meu objetivo junto com de todo o grupo é ser campeão desse campeonato e fazer parte da história do Clube Atlético Bairro Alto", enaltece.

Gosto de pensar no presente, por isso a minha meta é ser campeão com o Bairro Alto e fazer minha história dentro do clube.


__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO