Nova Orleans supera Iguaçu em casa e tem vantagem para chegar à final


A primeira partida das semifinais entre Nova Orleans e Iguaçu foi realizada neste sábado, 29, no Estádio José Drulla Sobrinho. O Iguaçu chegou como favorito, mas o Orleans aliou técnica e raça para sair com a vitória.

#SUBURBANA16
Por Arthur Henrique

O jogo começou com muita marcação e poucas jogadas, alguns jogadores pareciam estar nervosos, aos 10’ um lance polêmico, no qual Bitoca 'chapelou 'na área e recebeu o toque por baixo, gerando muita reclamação. O placar abriu aos 13’, quando a bola pipocou na área e Molão empurrou de cabeça, levando o banco inteiro e a torcida à loucura. Era um recado de como seria a continuidade do jogo. 

O empate veio logo após, aos 15’, quando Pablo também de cabeça balançou as redes, se isolando na artilharia do time neste ano. A reclamação foi enorme, isso devido a uma falta em Juliano, que caiu no campo de ataque e a jogada não parou e o empate saiu na sequência. O verdão da zona oeste saiu todo em cima do árbitro para reclamar e Juliano tomou um amarelo. O jogo ficou tenso, com muita reclamação do Orleans. Leo Gago fez uma falta duríssima e recebeu cartão.

Os contra ataques do Iguaçu são letais, aos 27’ Hideo deu um belíssimo passe para Tamandaré na entrada da grande área, o capitão do Iguaçu tocou para o meio do pagode e Pablo rolou para Hideo na composição, a bola sobrou pra Leo Gago, que bateu para a defesa do goleiro Rogério.  A resposta veio aos 30’ com um belo chute de Bitoca pra fora.

Esse era um pressentimento para o que vinha a seguir: Igor rolou para Bitoca que meteu um balaço para desempatar a partida aos 33’. Um golaço do meio da rua. Pablo, aos 44’ tentou a última chance do primeiro tempo, onde recebeu sozinho na área e bateu pra fora.


SEGUNDO TEMPO - O Iguaçu voltou para o segundo tempo com Romário no lugar de Adan, um atacante por um volante. O que eles não esperavam era que o artilheiro Pablo sofresse uma séria lesão no pé e tivesse que deixar o campo. No lugar dele entrou Thiaguinho com a 18. Aos 9’, Leo Gago bateu de dentro do círculo central direto para o gol, o goleiro Rogério espalmou pra frente e Tamandaré empurrou pra dentro. O gol gerou muita polêmica sobre um impedimento do atacante alvinegro.

Aos 25’, Aderaldo derrubou Buiu em um pênalti duvidoso. Na cobrança Bitoca bateu no canto direito e o goleiro foi para o esquerdo. O gol resultou em muita confusão, com objetos sendo arremessados em campo e muito barulho da torcida alviverde. O Iguaçu exerceu muita pressão, de várias formas, com chutes de fora da área, com chutes de primeira, até uma tentativa de gol olímpico. O Orleans soube se defender e buscar o contra-ataque.  A maior chance alvinegra foi nos acréscimos, quando Leo Gago bateu em direção ao gol e Rogério desvio para a bola tocar no travessão.  

No lance seguinte, a maior emoção, bola lançada na área, o goleirão Rogério do UNO saiu errado, a bola voltou para os pés do Iguaçu, que chutou mais 3 vezes e na última a zaga tirou em cima da linha. A vitória era do Orleans. No José Drulla Sobrinho, UNO 3, Iguaçu 2.



ANÁLISE DRAP xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

O Nova Orleans se impôs, conseguiu garantir a vantagem e no mínimo os pênaltis. Soube subir ao ataque e marcar quando teve chance, na segunda etapa sofreu, tomou o empate, mas ainda assim conseguiu se segurar, contra todos os prognósticos.

O Iguaçu provou que favoritismo é pressão indesejada, veio com moral por golear o Uberlândia, mas não soube fazer os gols necessários para a vitória. Pressionou e jogou mais no segundo tempo, mas finalizou com pouca precisão e agora recebe toda a pressão por jogar em casa.

OS ESCRETES xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

NOVA ORLEANS: 1 Rogério; 2 Buiu; 3 Du; 4 Gbur; 6 Tili; 5 Erick, 7 Bruninho (17Bambu); 8 Molão (16 Pikachu); 9 Juliano; 10 Bitoca; 11 Igor. Técnico: Alexandre Oliveira

IGUAÇU: 1 Rodrigo; 2 Glauco (16 Zé Nunes); 3 Douglas; 4 Emerson; 5 Adan(11 Romário); 6 Aderaldo; 7 Pablo (18 Thiaguinho); 8 Leo Gago; 9 Moscatelli (19 Rogério); 10 Tamandaré; 20 Hideo. Técnico: Juninho

GOLS: Molão aos 13' do 1º tempo, Bitoca aos 33' do 1º tempo e aos 26' do tempo (Nova Orleans) Pablo aos 15' do tempo e Tamandaré aos 9' do 2º tempo (Iguaçu)

OS MELHORES MOMENTOS (VÍDEOS)  xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx




__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO