Atlético domina Coritiba na Vila Capanema e se garante cada vez mais próximo do G6


Em partida válida pela 31° rodada do brasileirão, o maior clássico do Paraná, o Atletiba, realizado na Vila Capanema neste domingo (16), devido ao show do tenor Andrea Bocceli, reservou tensão e polêmica. Atlético e Coritiba buscavam objetivos distintos no brasileirão, o Furacão buscava voltar ao G6, o Verdão queria afastar de vez todas as chances de cair para o Z4. No final, o escrete do Atlético, principalmente no 2º tempo, teve controle de jogo e venceu com dois tentos a equipe alviverde e aproximou ainda mais do sonho da Libertadores.

#DRAP NO BRASILEIRÃO
Por Arthur Henrique

O Atlético veio pressionando, com pouco menos de 2’ o Coritiba já precisava fazer uma falta próxima da área. Era visível que o rubro-negro queria e precisava mais da vitória, enquanto o coxa se aproximava com mais calma, trabalhando mais o passe e recuperando a bola mais vezes no meio.

O Atlético acalmou, subiu mais ao ataque e em uma bola praticamente perdida, que gerou polêmica se a bola teria saído ou não, mas o que aconteceu foi que Pablo correu, cruzou e a bola tocou em Hernani na área, sobrando para Matheus Rosseto, que com propriedade, aos 21’, bateu firme, bonito e sem chances para Wilson, levando a torcida à loucura.

O gol acendeu o jogo, o Coritiba subiu mais ao ataque. Aos 26’, João Paulo bateu uma falta de longe e obrigou Weverton a fazer uma grande defesa. Na continuidade do lance Juan cobrou na pequena área e Luccas Claro bateu, para uma nova excelente defesa do goleiro atleticano. O verdão no ataque obrigava o Atlético a se defender e utilizar o contra-ataque como arma para tentar matar o jogo. O escanteio era a principal arma coxa-branca e criou mais na primeira etapa, mas os méritos foram totais do Atlético, por saber aproveitar a melhor chance que teve, contando com a boa fase de Rosseto.


SEGUNDO TEMPO - Para a segunda etapa entraram no Coritiba Kazim e Carlinhos, mas o que se viu foi um crescimento do Atlético, que dominou o segundo tempo. Atlético chega mais forte no início do segundo tempo. Em uma das lambanças da defesa coxa-branca o furacão chegou com perigo nos pés de Lucas Fernandes, que pediu pênalti, mas o juiz anotou apenas tiro de meta. O jogo esfriou, mas sempre com o Atlético mais presente no ataque, o time chegou a tocar a trave, após chute de Hernani, aos 16’.

O coxa mostrava sinais que se perdia em campo, tirou Dodô para colocar Iago e ir para cima, o que Carpeggiani não esperava era o domínio atleticano no segundo tempo. Começou com um cartão amarelo para Leandro e a entrada de Sidcley no lugar de Renan Lodi. Aos 23’ a pressão fez efeito, Sidcley, que havia acabado de entrar, tocou para Pablo escolher o canto e marcar, chancelando o amplo domínio. O gol acabou de vez com o Coritiba em campo, o time não chutou nenhuma vez com perigo ao gol.

O Atlético estava mais próximo do terceiro gol que o Coritiba do primeiro. Enquanto o furacão garantia o jogo, o verdão perdia forças, tomou dois cartões amarelos, Juninho e Iago foram punidos, prejuízo para as próximas rodadas. O fim de jogo revelou um Coritiba apático.



ANÁLISE DRAP  xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

O Atlético tem mais time e joga melhor, a tabela não mente, apesar de estar fora da Arena da Baixada a torcida única foi determinante e o segundo tempo foi de amplo domínio atleticano. Agora o G6 é uma realidade, a esperança é de que o time possa, pelo menos, manter esse nível fora de casa, algo fundamental para quem busca vaga na Liertadores.

O Coritiba, apático ao final, sentiu o golpe do gol, se mostrou frágil e sem um ataque de qualidade. Esse jogo poderia ser determinante para aspecto emocional do time, que enfrenta agora o Atlético Nacional na Copa Sul-Americana.

OS ESCRETES xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Atlético-PR: 12 Weverton; 33 Leo, 89 Wanderson,44 Thiago Heleno; 98 Renan Lodi (8 Sidcley); 7 Otávio; 20 Rosseto(45 Marcão); 23 Hernani;  3 Lucho Gonzalez (21 João Pedro); 77 Lucas Fernandes; 92 Pablo.

Coritiba: 84 Wilson; 98 Dodô (7 Iago); 3 Luccas Claro; 21 Walisson Maia; 28 Juninho; 31 João Paulo; 33 Edinho (30 Carlinhos); 55 Juan; 20 Raphael Veiga; 11 Leandro; 8 Vinicius (10 Kazim).

Gols: Matheus Rosseto  aos 21’ 1° tempo e Pablo, aos  22’ do 2° tempo (Atlético)


CONFIRA O ÁLBUM DE FOTOS DA PARTIDA  xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx


SÉRIE A 2016 - ATLÉTICO 2 X 0 CORITIBA

__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO