Felipe, o destaque da partida entre Vila Fanny e Capão Raso


O Capão Raso conquistou uma vitória importante na luta pela classificação à fase eliminatória. Para isso, precisou ter equilíbrio entre ataque e defesa. Nesse cenário, o lateral Felipe foi um bom exemplo da postura tricolor no Ismael Gabardo. Confira a sétima figurinha da Série A da Suburbana e a trigésima segunda do DRAP em 2016.

#FIGURINHA DA RODADA
Por Dudu Nobre

A missão dos comandados de Júnior Saurin não era das mais fáceis. Apenas o líder Santa Quitéria havia derrotado o Fanny no campeonato. Além disso, o Capão tinha o segundo pior ataque do torneio com quatro gols marcados, um a mais que o lanterna Nacional. Bola na rede era necessidade.

Os jogadores precisavam ter uma leitura de jogo perfeita para aproveitar os erros alvirrubros. Aí entra o nosso personagem. Quando Gasosa se machucou e Leco entrou na lateral esquerda, Felipe percebeu a queda no poder de marcação do time da casa e aumentou suas estocadas ao campo de ataque.

O escanteio do primeiro gol saiu de uma jogada pela direita, o que já seria um exemplo. Mas aos 28’ veio a prova cabal: Felipe pegou a bola do campo de defesa, passou por Leco e Lela, entrou na área e deslocou o goleiro Nenê antes que Everson o interceptasse no carrinho. Gol de quem tem capacidade.

O lateral deve ser completo. Além de atacar com maestria, o camisa dois tricolor neutralizou o setor esquerdo da ofensiva do Vila, que contava com o experiente Nilvano e o promissor Cicinho. Forte na marcação, cirúrgico no ataque: a receita de Felipe e do Capão Raso na Suburbana 2016.



__________________________________________

DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO