Quitéria cai na 1ª fase e pelo sétimo ano seguido Curitiba fica sem um time campeão na Taça Paraná


No último domingo (29) encerrou a primeira fase da 53ª edição da Taça Paraná e mais uma vez nenhuma equipe da capital paranaense conseguiu chegar a final do certame. Desta vez, o escrete do Santa Quitéria,  único representante de Curitiba em 2016, não conseguiu fazer o suficiente para garantir a classificação entre os dois melhores do quadrangular. Com a eliminação precoce, o time comandado por Valmir Constantino irá se preparar para o segundo semestre, que terá a Suburbana. Confira trajetória do Santa Quitéria na Taça Paraná de 2015:

Por Rafael Buiar

O jejum de vencer a Taça Paraná para os times da cidade Curitiba está aumentando, já que mais uma vez nenhum representante chegou a final da competição. Em 2016, apenas um representante foi ao combate, o Santa Quitéria, já que o time do Combate Barreirinha não quis participar e meses depois anunciou o licenciamento da Federação Paranaense de Futebol. Fato que coloca em dúvida se as outras ligas estão mais forte que a de Curitiba ou até que os clubes da capital paranaense não estão interessados com o campeonato do primeiro semestre. Pois é, esses são alguns dos argumentos que alimentam ainda mais esse assunto.

Quem está ganhando com este jejum são os times da região metropolitana de Curitiba. Por exemplo, a cidade de Campo Largo está na frente com cinco conquistas na última década, entre 2011 a 2013 e de 2015 e 2016, em relação a outras cidades. A sequência poderia ser maior se não fosse travada pelo Bandeirantes, da cidade de Colombo, que ano passado bateu na trave. Naquela ocasião, o time de Colombo foi comandado pelo treinador Ivo Petry, hoje na final da Copa de Futebol Amador da Capital, no Novo Mundo.


TRAJETÓRIA - A competição de 2016 foi tiro curto, já que apenas quatro clubes participaram do certame. Ou seja, o regulamento foi simples e direto. Todos contra todos, em turno e returno, com os dois melhores do quadrangular, depois das seis partidas, decidindo o título.

O primeiro embate do Santa Quitéria foi em casa contra o time do Internacional de Campo Largo no dia do seu aniversário, 24 de abril. Mas o atual campeão da liga de Curitiba não conseguiu um resultado positivo e perdeu no primeiro jogo de 1 a 0.  O embate seguinte poderia ser o da recuperação, mas o Santa Quitéria não contou que o Jatobá, campeão da liga de Araucária, estaria com mais vontade de jogar futebol. Devido a isso, o time do Quitéria foi ao Estádio Municipal Emílio Gunha e perdeu de 3 a 0.  

Com duas derrotas seguidas, o terceiro confronto foi diante o líder e atual campeão da competição, Fanático, que é comandado pelo treinador Juninho, vice-campeão da Suburbana 2015, com o Iguaçu. Mesmo assim, com o time do Quitéria jogando melhor que nas partidas anteriores, o escrete do Fanático conseguiu se postar melhor taticamente e ser mais objetivo. Ou seja, o suficiente para vencer a partida em 2 a 0, no Estádio Maurício Fruet e decretar a terceira derrota seguida na competição do Quitéria.


Derrotas que praticamente deixaram impossível a classificação para a fase seguinte, mesmo faltando três rodadas para o término da primeira fase. A esperança até que chegou a rondar no Santa Quitéria, já que conseguiu a sua primeira vitória em casa contra o Jatobá de 5 a 0, tirando toda a zica possível. Mas a vitória aconteceu tarde, pois as duas equipes da cidade de Campo Largo estavam na ponta do certame.

Com isso, as duas últimas rodadas da primeira fase foram fora de Curitiba, sendo mais preciso na cidade de Campo Largo, praticamente para cumprir tabela. Na quinta rodada, no Estádio Ângelo Antonio Cavalli, empate com o Fanático em 1 a 1, e na última uma vitória de 3 a 1 sobre o Internacional, no Atílio Gionedis.

RANKING - Mesmo sem ter um time campeão a sete anos, a cidade Curitiba lidera com 20 taças conquistadas, seguida por Campo Largo, com 15. Na sequência, outras 14 cidades do interior e região metropolitana seguem com uma ou duas conquistas cada uma.

O escrete que mais vezes levantou o caneco foi o Trieste, pois a equipe da colônia italiana tem 10 conquistas das 51 já disputadas. A primeira conquista do Trieste ocorreu em 1965 em cima da equipe do Corinthians, da cidade de Londrina. No ano seguinte, a conquista foi diante a equipe do Grêmio Oeste da cidade de Guarapuava. A última conquista do time de Santa Felicidade foi em 2006, diante outra equipe de Curitiba, o Combate Barreirinha.

__________________________________________
NÃO é autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso.