No dia do aniversário do Quitéria, Inter comemora estreia com vitória



Domingo, 24 de Abril. Um dia muito importante para o Santa Quitéria. Além de completar 42 anos, a data marcou a estreia da equipe verde e amarela na LIII Taça Paraná. Mas o Santa tinha pela frente um adversário tradicional no certame amador. O Inter de Campo Largo veio disposto a arrancar os três pontos, e contou com uma defesa experiente aliada a qualidade de Feijão para dar um presente de grego ao clube curitibano.

Por Dudu Nobre

Não faltaram jogadores cascudos nos dois escretes. Se por um lado o Inter tinha Flávio - ex-Coritiba -, João Victor - ex-Paraná -, Nilvano - ex-Iguaçu - e Feijão - ex-Novo Mundo-, o Quitéria contava com Jonas, Merci - ex-Iguaçu -, Matraca - ex-Trieste - e Edmar - ex-Fortaleza. Em um jogo desse, quem errasse menos levaria a peleja. E o alvinegro foi perfeito.

O time comandado por Pepo marcou muito bem, compactado para impedir a troca de passes de Jean e Edmar pelo meio. Para fugirem dessa tática, os comandados de Valmir Constantino rodavam a bola buscando o jogo pelas pontas, mas quando afunilavam a jogada, paravam na parede defensiva ou jogavam a bola pela linha de fundo. Tanto que a única chance clara de gol do time no primeiro tempo veio aos 36', quando Bruno França acertou a trave.


Esse cenário era típico de 0 a 0. Mas o alvinegro tinha em seu camisa nove um artista que colocou cor em um jogo apagado. Aos 10 minutos Feijão recebeu de Nilvano, deu um lindo corte no zagueiro e fuzilou no canto direito. A vantagem poderia ser maior se a bola de Tobias não tivesse carimbado o travessão aos 38'.


O time quiteriense voltou igual para o segundo tempo, mas com o passar dos minutos o técnico Valmir percebeu que era hora de mudar. Aos 9', tirou o lateral Alan e colocou Aragão para ser o centroavante, deslocando França para a direita e Robson para a esquerda, que cansou e foi substituído por Alex aos 18'. A segunda mudança deu mais ofensividade ao time, mas a missão de furar o bloqueio defensivo seguia complicada.

As mudanças de Pepo serviram para oxigenar a puxada de contra-ataques, trocando os laterais e o setor de criação. Mesmo se preocupando em manter o placar, foi do Inter a chance mais perigosa, já no fim do jogo: Matheus cobrou escanteio e a trave impediu o gol olímpico.

Nos acréscimos, o jogo foi paralisado por conta de uma confusão entre a torcida da casa e o auxiliar. Nada que mudasse o resultado: Santa Quitéria 0, Internacional 1, colocando água no chopp verde e amarelo.

Esse resultado mais a vitória do Fanático por 3 a 0 deixa o alvinegro na segunda colocação e o Santa na terceira. Na próxima rodada, dia primeiro de maio às 15h30, o Quitéria vai a Araucária enfrentar o Jatobá no estádio Emílio Gunha. Já o Inter faz o clássico campo larguense no Atílio Gionedis.


OS ESCRETES xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

SANTA QUITÉRIA: Jonas; Alan (Aragão), Merci, Matraca e Go; Edmar, Orlei, Pity e Jean; Robson (Alex) e Bruno França. Técnico: Valmir Constantino.

INTERNACIONAL: Adeilson; Brayan (Rity), Flávio, J. Vitor e Willian (Greg); Igor, Kazu (Gasosa), Tobias (Matheus) e Feijão; Moro e Nilvano (Dionata Ioiô). Técnico: Pepo.

GOLS: Feijão aos 10’ do 1º tempo


MELHORES MOMENTOS (VÍDEO) xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx



__________________________________________
NÃO É autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso.