Sem o brilho e a quantidade de clubes de décadas passadas, a Taça Paraná vem aí


A Taça Paraná irá ter o ponta pé inicial neste domingo (24), com dois embates na abertura da 53ª edição do certame. Dentre eles, o representante de Curitiba, Santa Quitéria, que irá enfrentar o Internacional de Campo Largo, no Estádio Maurício Fruet. A competição de 2016 será de tiro curto, com apenas quatro equipes – dois de Campo Largo, um de Araucária e um de Curitiba. Diferente em décadas passadas. Confira a prévia e a expectativa do Santa Quitéria:
Por Do Rico ao Pobre

A edição de 2016 terá um número menor de escretes em relação ao ano anterior, em que teve nove clubes, cinco a mais que este ano. A queda dos times foi devido a ausência de outras ligas regionais, como Colombo, Guarapuava e Campina Grande do Sul. Mas a Taça Paraná já teve outro patamar quando fala em número de escretes em décadas passadas, como mais de 70 clubes na disputa pelo caneco. Ou seja, uma verdadeira integração com os clubes amadores do estado do Paraná.

Com esta quantidade de clubes, a competição teve grande impulso e chegou a ganhar holofotes nacionalmente, tendo vários craques revelados para o futebol profissional. Fato que foi considerado como um dos pilares para aumentar ano a ano o número de participantes e proporcionando a instalação de Ligas Regionais. Mas nos dias atuais, este cenário está bem diferente.

Segundo a Federação Paranaense de Futebol (FPF), a queda de times resume ao descumprimento dos times em relação ao estatuto da FPF. “Quando a atual gestão assumiu a entidade, em 2008, das mais de 70 ligas, somente em torno de 10 eram regulares. Infelizmente requisitos simples do Estatuto da FPF não são cumpridos, deixando muitas equipes de fora da competição.”, esclareceu.

Neste ano as Ligas de Campina Grande de Sul, Colombo e de São José dos Pinhais descumpriram requisitos do Estatuto da FPF para poderem indicar seus representantes.Ou seja, os times que irão disputar a 53ª edição da Taça Paraná serão, Fanático (Campo Largo), Santa Quitéria (Curitiba), Jatobá (Araucária) e Internacional(Campo Largo).  A primeira rodada do certame será de Fanático FC x Jatobá EC e URE Santa Quitéria x Internacional EC.

Diferente disso, o time do Santa Quitéria, campeão da Suburbana em 2016, confirmou a sua participação definitivamente, já que meados do mês fevereiro teve rumores da sua ausência na competição, por falta de patrocinadores. Segundo o diretor da agremiação do Quitéria, Roberto Braga, o time está motivado para o certame e vem montando o plantel aos poucos. "A nossa grande motivação para a disputa da Taça Paraná foi o título do ano passado e a grande oportunidade de conquistar mais um título este ano. Para isso, já estamos montando o plantel com os novos integrantes na comissão técnica. O primeiro passo já foi dado, com a manutenção do goleiro Jonas, que foi destaque no ano passado", enfatiza Braga.

Do outro lado, o escrete do Combate Barreirinha, campeão da Série B de 2015, não irá disputar o certame este ano. A notícia da negativa do clube veio através de uma nota oficial emitida via Rede Social pelo diretor de futebol da agremiação, Edivaldo Jubim. No primeiro parágrafo da nota, já o anúncio: “O Combate Barreirinha Futebol Clube, em respeito ao Futebol Amador do Paraná, a imprensa, aos seus torcedores, a história da Taça Paraná e aqueles que galgaram o posto mais alto desta competição comunica que não participará do Torneio neste ano”.

Segundo a nota, o principal motivo da desistência do clube é a desvalorização e a forma como ela está sendo tratada, conforme o trecho: “O enxugamento da competição movida pela formalização exacerbada sem a contrapartida e o auxílio necessário para as ligas e os atores principais do espetáculo, fizeram com que o tradicional embate se reduzisse a um torneio metropolitano”. Confira na íntegra a nota do clube: http://migre.me/tjwnJ
Foto: Arquivo Edivaldo Jubim
O diretor de futebol do Combate Barreirinha, Edivaldo, esclareceu que estavam aptos a participar da competição, mas por detalhes preferiram não seguir adiante. "A diretoria se reuniu e relatou que traria um prejuízo financeiro ao disputar uma competição com cinco times, o que entristece um clube de tanta tradição como o Combate", comentou.

Para melhorar a forma de disputa das competições de futebol amador em Curitiba e região metropolitana, o diretor do Combate sugeriu mudança de calendário e burocracias. "Com a baixa demanda no primeiro semestre, sugiro que a Suburbana fosse disputada no primeiro semestre e a taça no segundo. Além disso, a diminuição da burocracia, já que com ela só os clubes com recurso têm condições de jogar, o que acaba com o torneio", enfatiza Edivaldo.

REGULAMENTO - Na primeira fase, os clubes jogam em turno e returno em um grupo único. Os dois primeiros colocados, classificam-se para a fase seguinte (final). A final acontece em jogos de ida e volta. O mando de campo da segunda partida será da equipe melhor colocada na 1ª fase.


REGULAMENTO - Na primeira fase, os clubes jogam em turno e returno em um grupo único. Os dois primeiros colocados, classificam-se para a fase seguinte (final). A final acontece em jogos de ida e volta. O mando de campo da segunda partida será da equipe melhor colocada na 1ª fase.

TAÇA PARANÁ - Criada em 1964, na gestão de José Milani, pelo Capitão Hugo Weber, que na época era o superintendente da Federação Paranaense de Futebol (FPF). O Capitão criou visando interligar o futebol amador, até então disputado regionalmente pelas diversas ligas espalhadas em todo o Estado. Mas antes mesmo de ser oficializada, a FPF resolveu organizar duas competições experimentais, 1960 e 1962, para em 1964 criar a Taça Paraná, realizada anualmente com a presença dos campeões das Ligas regionais e também da Capital.

A capital paranaense está com o jejum de seis anos sem levantar o caneco da Taça Paraná, pois a última vez que este fato aconteceu foi em 2009 com a equipe do Urano. Nos últimos dez anos, quem levou o certame foram, a equipe do Fanático (2015), Bandeirantes (2014), Internacional (2011-2013), São Manoel (2010 e 2008), Urano (2009), Loadense (2007), Trieste (2006) e Combate Barreirinha (2005).


CHAMADA 53ª TAÇA PARANÁ



__________________________________________
NÃO é autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso.