Frio e calculista, JMalucelli vence Coritiba e é o novo líder do Paranaense 2016


JMalucelli e Coritiba duelaram ontem (13) pela 9ª rodada do Campeonato Paranaense 2016, no Eco Estádio Janguito Malucelli. O embate teve premissas de decisão e de definições de como seria o futuro na competição, para ambas as equipes. Pelo lado do Jotinha, a liderança, já que o Tricolor empatou com o FC Cascavel na manhã do mesmo dia. No Coritiba, a chance de encostar nos líderes e ir com moral para o Atletiba na outra semana. "Mas cuidado ao caminhar, para não pisar falso". Sim, o escrete do Coritiba foi com muita sede ao pote e foi surpreendido com um contra-ataque mortal do caçula do certame, que foi frio e calculista. O Jota soube se defender e executar no momento que o adversário estava exposto.

Por Rafael Buiar

Com bola rolando, a equipe do Coritiba começou a 100 km/h em poucos minutos do embate. Destaque para os flancos, com Ceará e Benitez. Ambos os laterais municiaram os atacantes do time alviverde. Não deu outra, com dois minutos rolados no cronômetro, Ortega já carimbou a trave de Fabrício. Em boa jogada de Ceará com Juan, que cruzou no tempo certo para o camisa 18, que deu um leve toque de cabeça. Azar do Coritiba, que não abriu o placar. Mesmo com revés na jogada, o escrete visitante tomou conta da posse de bola e acionou ainda mais as laterais. Foi um Deus no acuda, até o Jotinha arrumar a cozinha. 

Ainda teve uma jogada individual do incansável Negueba, que ganhou na velocidade dos marcadores e não quis saber de tocar para os seus companheiros. Arriscou do meio da rua e quase surpreendeu o goleiro Fabrício, que não conseguiu segurar com firmeza. Mas, mais uma vez a trave a salvou. Com menos de 28’, o ataque do Coritiba chegou no quase, pelo menos duas vezes.

Mas aquele velho e tradicional ditado, “Quem não faz leva”. O JMalucelli começou a se armar e postar melhor defensivamente. Devido a isso, o time do Coritiba ficou mais nervoso ao aliar com a insatisfação da torcida com o futebol produzido até aquele momento. Pois é, foi isso que o time da casa tramou. Bobo o Coritiba, que caiu certinho na tática do ‘treineiro’ do Jotinha Ary Marques. O esquema tático versátil do caçula foi fundamental para abrir o placar aos 35’ da etapa inicial. Juan perdeu a bola no meio do campo, Dinélson recebeu a bola e já colocou em velocidade Getterson, que ganhou na velocidade de seus marcadores e ficou cara a cara com Wilson. Mas técnica e velocidade juntas, caixa. Gol do JMalucelli.

Sim, era o gol que o Jotinha imaginava. No sonho - "Vamos apanhar, para depois bater". Não deu outra, o escrete do Coritiba sentiu o gol. Devido a isso, o time da casa cresceu no jogo e trocou passes no setor de meio de campo. Dentre algumas jogadas, Lucas Claros chegou a salvar por algumas vezes a pátria coxa-branca. Do outro lado, era tudo que o Coritiba não queria. Sair com o resultado negativo para o intervalo e com os nervos à flor da pele.

SEGUNDO TEMPOA etapa complementar iniciou sem alterações nas duas equipes.  Fato que não se prolongou por muito tempo, já que o time do Jotinha voltou com mais determinação e marcando em pressão. Dificultando ainda mais a criação da equipe adversária. Mas as vezes, a técnica do trio de ataque funcionou no Coritiba. Dentre as jogadas, Ortega saiu da área. O atacante puxou a bola, chamando a marcação. Na sequência tocou para Negueba, que logo passou para Dudu. A nova sensação do Coxa respondeu com um lindo toque para o paraguaio, que chutou caindo. Azar do Coritiba mais uma vez, que perdeu outra grande oportunidade, com 5’.

Percebendo isso, Gilson Kleina movimentou o banco de reservas e na sequência sacou Benitez e colocou um meia atacante, querendo/buscando o empate. Vinícius que havia jogado no meio da semana ganhou outra oportunidade e logo quis mostrar serviço. Em jogada pela lateral esquerda, o camisa 8 passou por dois marcadores. Mas na conclusão, o serviço não fez jus a comemoração e sim, a lamentação do atleta e, principalmente, dos 3 mil torcedores presentes no Janguitão. Mas o que poderia melhorar, ficou pior minutos depois com a expulsão do Ortega, que na visão do árbitro simulou uma falta próxima da área. Mas o árbitro não quis cair nessa e mandou para a rua. Azar do Coritiba mais uma vez, que perde o atacante para o tão esperado Atletiba.

Desde então, ambos os treinadores fizeram várias alterações. Um “recuando” (JMalucelli) e o outro querendo mais opção de ataque (Coritiba). O troca-troca até que melhorou as ações ofensivas do Coritiba. Mas do outro lado teve Fabrício, que deu vários pulos tipo de gato para segurar o placar em 1 a 0 até o final do embate.

CONFIRA ALGUNS LANCES DO EMBATE



PRÓXIMA RODADA - Com a vitória, o time do Jotinha chegou a liderança com 20 pontos somados em nove rodadas. 10 pontos a mais que o oitavo colocado na tábua de classificação. O próximo adversário do Jotinha é o Toledo, no sábado em casa, às 18h30. O time do Coritiba perdeu uma posição na classificação. Agora o time alviverde é o quarto colocado. Seu próximo adversário é o seu maior rival, o Atlético, que vem embalado após uma goleada no PSTC, na Arena da Baixada.



__________________________________________

NÃO É autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso.