Londrina joga melhor, mas cede empate ao Coritiba no Couto Pereira



O Tubarão mostrou os dentes, assustou, mas não conseguiu quebrar o tabu de 22 anos sem vencer o Coritiba em Curitiba. Em um jogo truncado, como tem sido os confrontos entres os dois times, o Londrina conseguiu sair na frente mas não aguentou a pressão da torcida coxa-branca.

#DRAP in Paranaense 16
Por Yuri Casari

O time comandado por Gilson Kleina começou pensando o jogo. O experiente treinador deve ter acompanhado muito os times europeus. O Coritiba emula o Barcelona de Guardiola tentando a saída de jogo com os pés e a intensa troca de passes. O problema é que Amaral não é Xavi, Juan não é Iniesta, Negueba não é Messi, e nem Kleina é Guardiola. A bola rodava de um lado pro outro, sem objetividade. Tencati, adepto do brasileiríssimo feijão com arroz, adiantava a marcação dando ainda mais trabalho ao Coritiba. Apenas com Juan na armação, a bola demorava a chegar no trio ofensivo formado por Negueba e Leandro nas pontas e Kléber Gladiador centralizado. 


Com isso, o Londrina ameaçou mais desde o início e com apenas seis minutos já balançou o fio do barbante. Paulinho Moccelin cruzou da direita, e Germano, justo ele, tão "homenageado" pela torcida local, colocou o Tubarão na frente. Aliás, Germano foi um dos melhores em campo, ajudando a reger a equipe londrinense, que seguiu melhor durante todo o primeiro tempo. 

Na segunda etapa, não deu nem tempo do Londrina manter a pegada. O Coxa foi para cima e após um cruzamento vindo da esquerda de Guilherme Parede, que havia acabo de entrar, o volante Amaral completou pro gol de Marcelo Rangel. Ao invés de dominar de vez o jogo, o Coritiba seguiu com dificuldades, mesmo com a entrada de Ruy no lugar de Juan. O Londrina, apesar de ter melhores oportunidades, parecia bem satisfeito com o empate, que quase foi colocado a perder nos minutos finais. Aos 38, Bidía foi expulso. Aos 45, foi a vez de Pedrão ir para o chuveiro mais cedo. Mas no final, não houve tempo para reação de nenhum lado.



O futebol é muito dinâmico, o mundo dá voltas, nunca sabemos o dia de amanhã… frases como essas são muito comuns no esporte bretão e explicam uma maldição tão temida entre os torcedores: a chamada “lei do ex”. Fato esse que aconteceu nesta última quinta-feira (11) no futebol paranaense. O único gol do Londrina iniciou com jogada de Paulinho Moccelin, que cruzou na medida para Germano desviar levemente no fio do barbante. Ambos os jogadores jogaram no Coritiba, 2014 e 2015 respectivamente. O Coritiba que se cuide, pois pode pintar mais um ai já que o meia Zé Rafael foi anunciou ontem que irá retornar ao Londrina.

PRÓXIMA RODADA - O Coritiba, que caiu para a terceira colocação na tábua de classificação, irá desafiar no domingo (14), em Toledo no Estádio 14 de Dezembro, a equipe do Toledo Côlonia Work. A equipe do Tubarão, que está invicta e na quarta colocação também jogará no domingo, mas em sua "casa", no Estádio dos Pássaros (Arapongas) com o FC Cascavel, que tem técnico novo.


CONFIRA OS MELHORES MOMENTOS DA PARTIDA



__________________________________________

NÃO É autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso.