Santa Quitéria empata e conquista pela quinta vez o título da Suburbana


Iguaçu e Santa Quitéria duelaram neste sábado (5) no Estádio Egído Ricardo Pietrobelli, valido pelo segundo jogo da final. Em um confronto bastante equilibrado e com o regulamento ao seu favor, o time do Quitéria empatou com o time de Santa Felicidade e sagrou-se o campeão da Suburbana 2015.

Por Rafael Buiar

O embate iniciou com show de ambas as torcidas, com repertório de foguetes, fumaça e muito gogó. Com bola rolando, a equipe do Iguaçu deu o pontapé inicial, mas foi o escrete do Quitéria que buscou primeiro o gol. Passado os 5’, o time da casa estudou o jogo e atacou quando teve espaço pelas laterais, principalmente, com Marabá. Do outro lado, o Santa Quitéria assustou nas bolas paradas, em lances de escanteios. Jonatas foi quem chamou a responsabilidade do lado visitante.

Passado dos 10’, o jogo ficou nervoso. Mas aos 11, Djhonatan teve ótima oportunidade, ganhou do goleiro. Mas na hora da conclusão perdeu o tempo da bola, desperdiçando a primeira oportunidade do jogo. Na sequência, Altair recebeu de Tamandaré. Lance que o volante do Iguaçu sentiu e pediu pra sair, no seu lugar entrou Moscatelli. Aos 18’, Marabá puxou o contra-ataque, ganhou de dois zagueiros e passou para Djhonatan. O camisa sete dominou e na hora do chute foi travado pelo sistema defensivo do Quitéria. Minutos depois, o time do Iguaçu teve outra oportunidade. Em jogada de velocidade, Djhonatan desceu em profundidade e na linha de fundo passou para Tamandaré, que de frente pro gol chutou colocado, obrigando grande defesa de Jonas que rebateu para escanteio.


Aos poucos a equipe do Quitéria chegou. Fato que foi notável quando o camisa 7, Pedra, quase marcou em um chute de linha de fundo. Quase surpreendeu o goleiro Rodrigo, aos 28’. Mas quem esteve bastante acionado com 30’ foi o lateral Marabá, a válvula de escape da equipe da casa. O lateral-esquerdo ganhou na velocidade e deu várias assistência para seus companheiros que não aproveitaram as oportunidades criada pelo camisa 6. Com o passar do embate, o nervosismo começou a estar presente na equipe da casa, pois faltas bobas foram cometidas próxima da área do Iguaçu para desespero do técnico Juninho.

Nos minutos finais, a equipe visitante melhorou e conseqüentemente teve mais volume de jogo. Jonatas e Robson os mais acionados na equipe do Quitéria, mas mesmo nervosa, a equipe do Iguaçu conseguiu travar as jogadas. O embate persistiu em mais posse de bola do Quitéria, que segurou a bola no campo do Iguaçu até o apito final da primeira etapa de José Mendonça, que aplicou três cartões amarelos em 47’.


SEGUNDO TEMPO – No retorno para o segundo tempo, nenhuma equipe fizeram alterações.  Mas a postura da equipe da casa foi diferente. Iguaçu mais ofensivo, diferente do Quitéria que preferiu explorar os contra ataques, principalmente, com o atacante Jonatas. Mas aos 8’, o time casa, em jogada de Djhonatan para Tamandaré quase resultou em gol. Destaque para boa presença do goleiro Jonas que evitou o primeiro gol do jogo.

Aos 10’, em um contra-ataque puxado por Jean, Jonatas perdeu outra chance importante de gol. Minutos depois, o treinador Juninho fez duas alterações. Entraram Thiaguinho e Tomate, para a saída de Luciano e Marabá, respectivamente.  Com o troca-troca, a equipe da casa ganhou mais presença de ataque. Fato que foi notável com pelo menos três ataques em menos de 5’. 
Passados dos 20’, o embate ficou aberto. Mas a presença massiva da equipe do Iguaçu no ataque foi constante. Dentre os ataques, Thiaguinho recebeu cruzamento da esquerda e finalizou com um voleio, a bola ainda sobrou para Tamandaré  que perdeu o tempo da bola.

Passado da metade do segundo tempo, o time visitante conseguiu pressionar por alguns minutos. Mas o resultado não interessava para o time da casa, por isso o time do Iguaçu voltou pressionar. Ou seja, o embate ficou em ataque (Iguaçu) e defesa (Quitéria). Devido a isso, Leandro Chibior fez duas alterações na equipe. Sacou Aroldo e Jonatas. Entrou João Victor e Luan. E não é que a dupla quase resolveu abrir o placar. João Victor Lançou Luan que tocou na saída do goleiro, mas a bola passou tirando tinta.

Nos minutos finais, todos os jogadores praticamente, menos o goleiro, no ataque. Fato que deixou o time exposto para o contra-ataque, principalmente, com Jacaré. Mas não deu outra, o placar persistiu fechado e o time visitante com esse resultado  sagrou-se campeão de 2015.



xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx OS ESCRETES xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

IGUAÇU: Rodrigo; Everson (Bruninho), Douglas, Emerson e Marabá (Tomate); Junio, Altair (Moscatelli), Djonathan e Tamandaré; Luciano (Thiaguinho) e Nilvano. Técnico: Juninho.

SANTA QUITÉRIA: Jonas; Renan, Lela, Bruno e Chuva (Lima); Adan, Aroldo (João Victor), Pedra e Jean; Robson (Jacaré) e Jonatas (Luan). Técnico: Leandro Chibior.