[JUVENIL] Trieste está a um empate do título da Suburbana 2015


No último sábado (28), Novo Mundo e Trieste duelaram no Estádio Maurício Fruet para o primeiro confronto da decisão da categoria juvenil da Suburbana 2015. Embalado, depois de vencer no tempo normal e também nos pênaltis, o Trieste deu um passo importantíssimo para a conquista do título desta temporada vencendo em 2 a 0 o escrete do Novo Mundo. O camisa 11, Victor Hugo, do time da Colônia foi o responsável pelos dois gols.

Por Equipe Do Rico ao Pobre

A equipe do Novo Mundo, que teve o mando de jogo na casa do Santa Quitéria, teve o apoio do seu torcedor para empurrar e ajudar a equipe a dar um passo importante na conquista. Com bola rolando, o escrete do treinador Luciano deu o pontapé inicial e tomou as primeiras tentativas de ataque no embate. Do outro lado, a equipe do Trieste um pouco nervosa. Fato que foi visível com a saída errada do goleiro João, que quase deu em gol de Matheus Bueno no primeiro minuto de jogo.

Passado o susto, o time do Trieste se acertou em campo e passou o nervosismo para o outro lado com o desenrolar do embate. Percebendo isso, o árbitro Leandro José Mendes aplicou os primeiros cartões amarelo para ter o controle do jogo em ambas as equipes, com menos de 10’ de jogo. Aos 11’, o Trieste aproveitou a falha do sistema defensivo e quase abriu o placar.

Na metade da primeira etapa, a equipe do Novo Mundo dormiu em alguns minutos. Para ser mais preciso, em dois minutos. Percebendo isso, o escrete do Trieste aproveitou e foi logo marcando dois gols com o atacante Victor Hugo, camisa 11. O primeiro, com assistência de Barreto foi aos 32’ e o outro aos 34’. Depois de dois gols, o embate ficou preso no meio de campo, pois ambos os times focaram na marcação e tiveram muita dificuldade de furar a retaguarda.


SEGUNDO TEMPOA equipe do Novo Mundo retornou para a segunda com mudança de postura. Maldini o que o diga, pois em poucos minutos já assustou o goleiro do Trieste com chute de fora da área.  Mas não foi por muito tempo que o time da “casa” ficou pressionando o escrete do Trieste, o ritmo caiu e consequentemente o embate também. Foi ai então, que chegou o momentos dos treinadores acionarem as substituições.

O troca-troca até que deu resultado para a equipe do Novo Mundo, que acabou aproveitando que o ataque do Trieste não aplicou a mesma intensidade do primeiro tempo, com Barreto e Victor Hugo. Diferente disso, do outro lado o camisa 9 participou mais na segunda etapa. Dudu caprichou no chute de longa distância e quase surpreendeu o arqueiro João.  A pressão persistiu, o craque do time, Matheus Bueno, tocou para Andrande, que de voleio quase diminuiu para o Novo Mundo. Destaque para o arqueiro do Trieste, que neste período foi um dos destaque e o responsável pelo placar continuar em 2 a 0.

Mas quando tudo pareceu terminar tranquilo e encerrar com o placar de 2 a 0, uma confusão generalizada deu um tom de ponto negativo no embate. Em um lance na linha de fundo, Matheus Bueno (Novo Mundo) e Lucas (Trieste) desentenderam e acabaram sendo expulso nos minutos finais do embate. Passado a muvuca, Leandro José Mendes decretou final de partida no Estádio Maurício Fruet. Novo Mundo 0, Trieste 2.


Conforme o regulamento da Federação Paranaense de Futebol, o CAMPEÃO será o clube que somar o maior número de pontos ao final da segunda partida. Caso haja, ao término da segunda partida, a igualdade de pontos ganhos, serão cobrados tiros livres diretos da marca pênalti. Ou seja, a equipe do Trieste só precisa de um empate para conquistar a taça da categoria, já o Novo Mundo precisa vencer para definir o embate na decisão de pênaltis. 



__________________________________________


É autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,
desde que citada a fonte.