Iguaçu vence sem susto o Vila Fanny e confirma a vaga na final da Suburbana 2015


Iguaçu e Vila Fanny duelaram neste sábado (21), no Estádio Egídio Ricardo Pietrobelli, em confronto válido pelo segundo jogo da semifinal da Suburbana 2015. Com bola rolando, a equipe de Santa Felicidade fez o dever de casa com autoridade e venceu em 3 a 0 o escrete do Fanny, que não teve força de vencer e pelo menos levar a prorrogação. Agora a equipe do Iguaçu volta a uma final depois de anos e irá enfrentar o Santa Quitéria.

#SUBURBANA

Por Rafael Buiar

Em um confronto com premissas de decisão, a equipe visitante deu o ponta pé inicial do embate no Estádio Egídio Ricardo Pietrobelli. Mas não demorou muito para a equipe do Iguaçu atacar. Com um escrete bem organizado no meio do campo, o time da casa atacou principalmente com o atacante Djhonantan. Mesmo assim, o lance mais perigoso nos primeiros minutos foi da equipe visitante, com jogada de Gasosa que terminou com a conclusão de Anderson, que quase surpreendeu o goleiro Jura. Na seqüência, o mesmo Djhonatan respondeu, após receber de Tamandaré. Mas sem sucesso na finalização. Em menos de 10’, o embate teve bastante movimento.



Passado dos 10’, o time do Iguaçu, com mais posse de bola, insistiu em criar as jogadas pelas laterais e quando não avançou tocou bola na sua intermediária. Com isso, a equipe de Santa Felicidade passou a sofrer bastante falta próxima da área. Tamandaré cobrou e Nenê fez ótima ponte evitando o primeiro gol do embate. Minutos depois, a pressão do Iguaçu continuou. Djonathan e Nilvano trocaram passes até chegar a área. Mas na hora da conclusão, o camisa 11 não obteve sucesso. A essa altura, o escrete do Iguaçu melhorou em relação ao volume de jogo, mas a equipe de Santa Felicidade cedeu espaço para o contra-ataque que não foram aproveitados pela equipe visitante.



A partir dos 30’, o time do Fanny começou a chegar mais no gol do Iguaçu. Evolução no ataque foi graças aos jogadores do Fanny seguirem a orientação do treinador do Nego, em que a marcação nos homens de frente do Iguaçu. Mesmo assim, o time do Iguaçu chegou a assustar, com Altair em cobrança de falta. Continuando com as ações ofensivas nos minutos finais, a equipe do Fanny em jogadas pelas laterais arrancou três escanteios. Já o time do Iguaçu, acanhado, pouco chegou à reta final e apenas trocou passes em ritmo lento. Com dois minutos de acréscimo, o embate persistiu com o placar fechado até o apito final do árbitro Traci, no Estádio Egydio Ricardo Pietrobelli. 

SEGUNDO TEMPO – No retorno do segundo tempo as equipes voltaram com os mesmos jogadores que terminaram a etapa anterior. Do mesmo modo que o primeiro tempo, o jogo começou movimentado e aos 3’, o árbitro assinalou pênalti. João empurrou o atacante Tamandaré dentro da área. Altair ajeitou e cobrou com segurança no contrapé de Nenê, aos 5’. Após o gol, o treinador Nego fez duas alterações na equipe do Fanny. Sacou dois volantes para colocar dois atacantes, Dinda e Alisson. Ou seja, foi tudo ou nada para a equipe do Fanny. 

Depois do gol, a equipe do Fanny procurou mais a meta do Jura, mas nessa altura do embate o nervosismo começou a bater nos jogadores e complicou a vida do time visitante que teve mais dificuldades em criar jogadas. Minutos depois, muitas alterações em ambas as equipes. Mas com o troca-troca de jogadores, quem foi que fez movimentar o placar foi o time do Iguaçu. De um cruzamento da esquerda de Marabá para Tamandaré, livre, que só teve o trabalho de tocar levemente no canto superior do arqueiro Nenê e marcar o 13º da competição. 2 a 0, aos 23’ da segunda etapa.


Time da casa superior, tanto na parte física quanto na técnica. Deste modo, o terceiro gol estava fresco. Dito e feito, minutos depois, o artilheiro do certame fez mais um. Em jogada individual de futsal de Djonathan, que tirou o zagueiro e tocou para Tamandaré concluir e liquidar o terceiro da partida, aos 25’ Cinco minutos depois do gol, em uma dividida entre Joãozinho do Fanny e Djhonantan do Iguaçu. Lance que gerou confusão entre jogadores e, principalmente, o treinador Nego, que discutiu com o árbitro da partida. Resultado, duas expulsões da equipe visitante. Resultado da confusão, Nego e Dinda expulsos. Depois de 17’, o jogo reiniciou.

A partir disso, depois do troca-troca e confusão, o embate caiu de produção. Fato visível, principalmente, com o toque de bola do Iguaçu, que amorcegou o embate. Mas quando o cronometro chegou a marca do 50’, a equipe do Fanny conseguiu mais posse de bola, tentando diminuir o embate e se despedir com dignidade da competição. 

Enquanto o time da casa atacou nos contra-ataque, utilizando a velocidade de Thiaguinho e Roberto. O camisa 18 do Iguaçu, Thiaguinho, foi um dos poucos que queria jogo na equipe do Iguaçu, pois nos minutos finais se destacou e participou de várias jogadas de ataque do time de Santa Felicidade. Dentre elas, Thiaguinho ganhou na velocidade de Juliano. Mas o atacante chegou a tempo de derrubar o zagueiro. Como ele foi o último homem, Traci expulsou mais um na equipe do Fanny aos 60’. Na bola parada, Bruninho quase que marcou o quarto. Sendo essa a última oportunidade de gol da partida, já que aos 63’ Rodolpho Traci decretou o final da partida em 3 a 0 para o time do Iguaçu no Vila Fanny


XXXXXXXXXXXXXXXX OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXX

IGUAÇU: Jura; Everson, Douglas, Emerson e Marabá (Roberto); Junio, Altair e Tamandaré (Bruno); Djonathan (Guilherme), Nilvano e Moscatelli (Thiaguinho). Tec. Juninho.

VILA FANNY: Nenê;  Anderson, João, Rogério e Gasosa (Furgo); Arthur (Dinda), Alex (Alisson), Magú e Joãzinho; Juliano e André (Valdir). Tec. Nego.

GOLS: Altair aos 3' do 2º tempo, Tamandaré aos 23' e 25' do 2º tempo (Iguaçu)

Cartão amarelo: Rogério, Arthur e João (Vila Fanny) e Junio e Nilvano (Iguaçu).


Cartão Vermelho:  Treinador Nego, Dinda e João (Vila Fanny)
__________________________________________
É autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, 
desde que citada a fonte.