Nacional e Novo Mundo empatam e ambas as equipes ainda sonham com a classificação


Na semana anterior, Nacional e Novo Mundo venceram seus confrontos. Ou seja, o embate da terceira rodada da 2ª fase entre as duas equipes, no Estádio XV de Agosto, já teve premissas durante a semana que a vitória era o único artifício para a continuidade do certame. Mas com tanta ganância de vencer de ambas as equipes, o resultado não poderia ser outro, empate em 1 a 1.

Por Rafael Buiar

O confronto teve a saída de bola da equipe visitante, que já nos minutos inicias arriscou em jogadas laterais. Mas o sistema defensivo do Nacional, um dos menos vazados da competição, se pôs bem defensivamente e no comando de Ricardo soube segurar os primeiros minutos. Porém, o grande momento do início do embate saiu dos pés do camisa 10 do Nacional, Juninho.

Passado o susto, a equipe visitante melhorou o sistema de retaguarda e conseguiu ter mais controle no embate. Em jogadas de velocidade, o Novo Mundo procurou assustar com bolas de profundidade, com o trio de ataque: Jhonny, Batata e Hideo na organização, em pouco menos de 10’. Mesmo com o controle da partida, o Novo Mundo levou susto. Novamente, Juninho, abusando de sua velocidade, trabalhou a bola e cruzou para a área. O camisa 9, Guilherme, foi atrás e dividiu com o goleiro, Péricles, que fez ótima defesa e evitou o gol de abertura no Estádio XV de Agosto.


Na metade do primeiro tempo, o Nacional cresceu e equilibrou a partida. Mas as descidas da equipe do Novo Mundo foram perigosas. Primeiro aos 21’, com Jhonny, que colocou a bola na trave depois de um cruzamento da esquerda e a segunda, em um contra-ataque rápido, que teve origem com Elton e Jhonny e conclusão do artilheiro do certame, Batata, que não guardou desta vez.

Mas aos 30’, o artilheiro não perdoou e arrematou mais um no campeonato, o oitavo. Em jogada iniciada pelo lateral Anderson, que lançou na sequencia para Jhonny que sassaricou na frente do marcador e cruzou para Batata, que só teve o trabalho de colocar no fundo da rede, sem chances para o goleiro Ricardo. Após o gol, o time visitante trocou vários passes na sua intermediária, segurando o jogo. Percebendo isso, não demorou muito o treinador Alemão fazer a primeira substituição no time da casa, aos 34’. Sacou Jefferson e colocou Luiz Fernando, com o objetivo de dar mais mobilidade na meia cancha.

Nos minutos finais, o time do Novo Mundo quase que ampliou com mais um do atacante Batata, que tocou na saída do goleiro Ricardo. Mas o zagueiro Vitor tirou próximo da linha. Passados alguns minutos, o time da casa sofreu uma falta próximo da área com Luiz Fernando, que entrou há pouco. Juninho, que guardou na semana passada, novamente marcou. Desta vez, arrematando no canto superior do goleiro Péricles, que deixou o canto aberto, aos 47’ do primeiro tempo. Sendo esse o último lance da etapa inicial.


SEGUNDO TEMPO - No retorno ao embate, nenhuma equipe fez alteração. Mas a postura do Nacional foi diferente, pois animado com o gol de empate no último minuto da primeira etapa, foi pra cima da equipe visitante. Mas aos 6’, novamente, Batata perdeu outra grande chance de deixar o marcador  a favor da sua equipe. Desta vez, o camisa 9 do Novo Mundo ficou cara cara com Ricardo.

Depois do susto, o time do Nacional só assustou com a bola parada. Desta vez, Marquinhos arrematou forte de longa distância e quase surpreendeu o arqueiro do Novo Mundo. A outra alternativa da equipe da casa foi a velocidade do camisa 10, Juninho, que minutos depois saiu devido o cansaço. Mas não foi só o camisa 10 do Nacional que cansou, pois as duas equipes tiraram o pé na metade do segundo tempo e o embate caiu de produção. Devido a isso, com o confronto fraco na produção, muitas faltas de ambos os lados travaram ainda mais a partida.

O jogo só foi melhorar depois das trocas que o Ivo Petry fez na sua equipe, colocando mais jogadores ofensivos. Depois dos 30’, o escrete do Novo Mundo teve mais volume e arriscou mais, já que teve mais dois homens na frente. Enquanto isso, o time casa passou a defender apenas e quando conseguiu, contra-atacou. Mas as ações ofensivas não foram às mesmas depois que o Juninho saiu da equipe. A pressão do Novo Mundo foi intensa, mas não o suficiente para desempatar a partida, com mais 3’ de acréscimo.



XXXXXXXXXXXXXXXX OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXX

Nacional: Ricardo; Bruninho, Vitor, David e Carlinhos; Juarez, Marquinhos (Fábio), Jefferson (Luiz Fernando) e Juninho (Bruno); Diego (Diegão) e Guilherme . Treinador: Alemão.

Novo Mundo: Péricles; Paulo Sérgio, Muriel, Samuca e Anderson (Marcelo); Bruno, Elton, Matheus (Gélson) e Hídeo; Jhonny (Waguinho) e Batata. Treinador: Ivo Petry.

Gols: Batata aos 30' do 1º (Novo Mundo) e Juninho aos 47' do 1º (Nacional)

Cartão amarelo:  Batata (Novo Mundo) e Juarez e Diegão (Nacional)

XXXXXXXXXXXXXXXX PRÓXIMA RODADA XXXXXXXXXXXXXXXXXX

Na próxima rodada, a equipe do Nacional irá até a Arena Vermelha desafiar o Novo Mundo. Confronto que poderá decidir e praticamente colocar na frente da disputa em uma das vagas para a semifinais da Suburbana 2015. A equipe do Novo Mundo segue com cinco pontos em três jogos, já a equipe do Nacional segue na cola com 4 pontos.

__________________________________________
É autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, 
desde que citada a fonte.