Douglinhas, o destaque da partida entre Quitéria e Renovicente


Quitéria e Renovicente fizeram duelo de seis pontos no último sábado. O time da casa estava na liderança, com dois pontos de vantagem em relação ao adversário. Mal sabia o auriverde que iria encarar um adversário bem montado e que tinha uma carta na manga pronta para estraçalhar a estratégia dele.
Por Dudu Nobre

Ao começar a  partida percebi que não havia anotado os reservas do Renove. Chegando ao banco fui recebido por uma figura conhecida: o camisa 16 Douglinhas, que fez parte do esquadrão de aço do Fortaleza que venceu a Copa Paraná. Além da alegria costumeira senti a segurança e a vontade de jogar típicas de quem está na lista de suplência.

O treinador Rossano também percebeu isso e mexeu num momento necessário. O clube do Santa Cândida não conseguia levar perigo ao gol de Jonas, tanto que nos melhores momentos não coloquei nada do primeiro tempo pelo lado tricolor.

Cinco minutos de Douglinhas em campo e senti que minha intuição estava certa. Com fome de jogo, o atacante recuou à intermediária e regeu a criação do Renove, caindo principalmente pela esquerda. Com isso, o time passou a ter a bola e, a partir daí, agredir o Quitéria.

Nos dois gols tricolores, Douglinhas não marca nem dá assistência direta. Mas ele carrega a bola da defesa ao ataque, colocando o primeiro tijolo na construção da jogada. Ele fez com que os outros brilhassem. Nos minutos finais, lá estava ele fazendo a cobertura do lateral esquerdo.

Vitalidade de quem quer provar que pode ser titular nesse time. Com certeza colocou uma pulga atrás da orelha de Rossano. Isso aí depende do professor. Mas para a equipe Drap já são argumentos suficientes para que seja escolhido como a figurinha da rodada.

__________________________________________
É autorizada a livre circulação dos conteúdos desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,
desde que citada a fonte.